Vulnerabilidade e estratégias de adesão ao tratamento da tuberculose: discurso dos enfermeiros da atenção primária

Jonh Jorge Costa Barros, Aliéren Honório Oliveira, Jeane Lima Cavalcante, Tacyla Geyce Freire Muniz, Maria Lúcia Duarte Pereira, Edilma Gomes Rocha Cavalcante

Resumo


Objetivo: identificar as estratégias dos enfermeiros para potencializar a adesão de pacientes em tratamento de tuberculose diante de suas vulnerabilidades ao abandono. Método: estudo descritivo de abordagem qualitativa, realizado com 13 enfermeiros da Atenção Primária à Saúde de um município do Ceará, Brasil. Utilizou-se entrevista semiestrutura que foram submetidas à técnica do Discurso do Sujeito Coletivo, de dezembro/2014 a março/2015. Resultado: as vulnerabilidades ao abandono foram: condições de saúde; aspectos comportamentais; falta de moradia, dinheiro e apoio familiar e falta de incentivo dos profissionais de saúde. As estratégias para potencializar a adesão forma: educação em saúde; acolhimento e corresponsabilidade; busca de faltosos, monitoramento de exames e da adesão ao tratamento e, interdisciplinaridade e intersetorialidade. Conclusão: os enfermeiros utilizaram estratégias para potencializar a adesão ao tratamento com foco nas dimensões assistências e educacionais diante às vulnerabilidades dos pacientes. Necessitando ampliar a estratégia do tratamento diretamente observado para redução do abandono.


Palavras-chave


Tuberculose; Adesão ao Medicamento; Enfermagem em Saúde Comunitária

Referências


Beraldo AA, Andrade RLP, Orfão NH, Silva-Sobrinho RA, Pinto ESG, Wysocki AD, et al. Adherence to tuberculosis treatment in Primary Health Care: perception of patients and professionals in a large municipality. Esc Anna Nery. 2017;21(4):e20170075. doi: 10.1590/2177-9465-ean-2017-0075

Souza ACS, Silva MLSJ, Miranda LN. Dificuldades na adesão do plano de tratamento pelo paciente com tuberculose. Cad Grad Ciênc Biol Saúde UNIT Alagoas [Internet]. 2017 [acesso em 2020 jan 05];4(2):297-312. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/index.php/fitsbiosaude/article/view/4560

Ministério da Saúde (BR). Brasil livre da tuberculose: plano nacional pelo fim da tuberculose como problema de saúde pública [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2017 [acesso em 2020 jan 05]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/brasil_livre_tuberculose_plano_nacional.pdf

Orlandi GM, Pereira EG, Biagolin REM, França FOS, Bertolozzi MR. Social incentives for adherence to tuberculosis treatment. Rev Bras Enferm. 2018;72(5):1182-8. doi:10.1590/0034-7167-2017-0654

Ayres JRCM. Organização das ações de atenção à saúde: modelos e práticas. Saúde Soc. 2009; 18(Suppl 2):11-23. doi: 10.1590/S0104-12902009000600003

Malagón Oviedo RA, Czeresnia D. O conceito de vulnerabilidade e seu caráter biossocial. Interface (Botucatu). 2015;19(53):237-50. doi: 10.1590/1807-57622014.0436

Temoteo RCA, Figueiredo TMRM, Bertolozzi MR. Vulnerabilidade individual e social na adesão ao tratamento da tuberculose: estudo descritivo. Online Braz J Nurs. 2017;16:508-11. doi: 10.17665/1676-4285.20176043

Lefevre F, Lefevre AM. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS; 2003.

Sousa ERF, Castro KF, Cavalcante JL, Silva KN, Barbosa RS, Santos RL, et al. Social relations and social support: the experience of caring for a person with tuberculosis in a rural community. Int J Develop Res [Internet]. 2019 [cited 2020 Nov 01];9(11):31672-5. Available from: http://www.journalijdr.com/social-relations-and-social-support-experience-caring-person-tuberculosis-rural-community

Maffacciolli R, Oliveira DLLC, Brand EM. Vulnerabilidade e direitos humanos na compreensão de trajetórias de internação por tuberculose. Saúde Soc. 2017;26(1):286-99. doi: 10.1590/S0104-12902017168038

Sales CMM, Nunes GF, Rogerio WP, Castro TJ, Santos BR, Maciel EL, et al. Tuberculose e a questão social: uma revisão sistemática de estudos brasileiros. Rev Bras Pesqui Saúde. 2015;17(4):156-75. doi: 10.21722/RBPS.V17I4.14342

Silva PLN, Oliveira MKS, Guimarães CF, Guimarães LF, Santos LR, Alves ECS. Análise do conhecimento de moradores quanto à transmissibilidade e prevenção da tuberculose: implicações biopsicossociais. J Manag Prim Health Care. 2019;10(e3):1-16. doi: 10.14295/jmphc.v10i0.515

Oliveira AH, Pinto AGA, Quirino GS, Cruz RSBLC, Pereira MLD, Cavalcante EGR. Necessidades de saúde das pessoas com tuberculose pulmonar. Rev Enferm UFSM. 2021;11(e11):1-18. doi: 10.5902/2179769243901

Berra TZ, Bruce ATI, Alves YM, Campoy LT, Arroyo LH, Crispim JA, et al. Fatores relacionados, tendência temporal e associação espacial do abandono de tratamento para tuberculose em Ribeirão Preto-SP. Rev Eletrônica Enferm. 2020;22:58883. doi: 10.5216/ree.v22.58883

Junges JR, Burille A, Tedesco J. Tratamento diretamente observado da tuberculose: análise crítica da descentralização. Interface (Botucatu). 2020;24:e190160. doi: 10.1590/interface.190160

Clementino FS, Marcolino EC, Gomes LB, Guerreiro JV, Miranda FAN. Ações de controle da tuberculose: análise a partir do programa de melhoria do acesso e da qualidade da atenção básica. Texto Contexto Enferm. 2016;25(4):e4660015. doi: 10.1590/0104-07072016004660015

Oliveira AH, Pinto AGA, Lopes MSV, Figueiredo TMRM, Cavalcante EGR. Itinerário terapêutico de pessoas com tuberculose diante de suas necessidades de saúde. Esc Anna Nery. 2019; 23(3):e201900340. doi: 10.1590/2177-9465-EAN-2019-0034

Temoteo RCA, Carvalho JBL, Lira ALBC, Lima MA, Sousa YG. Enfermagem na adesão ao tratamento da tuberculose e tecnologias em saúde no contexto da atenção primária. Esc Anna Nery. 2019;23(3):e20180321. doi: 10.1590/2177-9465-EAN-2018-0321

Freire APVS, Normann KAS, Nakata PT, Cicolella DA. Percepção da enfermagem sobre a adesão e o abandono do tratamento da tuberculose. Rev Enferm UFSM. 2020;10(e37):1-18. doi: 10.5902/2179769239456

Cavalcante EFO, Silva DMGV. Compromisso dos enfermeiros com os cuidados dos pacientes com tuberculose. Texto Contexto Enferm. 2016;25(3):e3930015. doi: 10.1590/0104-07072016003930015




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769262654

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.