Cuidado de recém-nascidos por mães adolescentes primíparas no domicílio

Mayane Trindade Silva, Aisiane Cedraz Morais, Jairo Caique Araújo, Ariane Cedraz Morais, Sinara Lima Souza, Ana Silva Celi Torres Nascimento

Resumo


Objetivo: compreender a forma de cuidado das mães adolescentes primíparas aos seus filhos recém-nascidos no domicílio. Método: trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório, realizado no município de Feira de Santana - Bahia, tendo como participantes sete adolescentes primíparas.  A coleta de dados aconteceu de setembro a novembro de 2018, os quais foram analisados por meio da Análise de Conteúdo de Bardin. Resultado: evidenciaram que a rotina do cuidar do filho recém-nascido baseia-se nos cuidados relacionado à higiene, alimentação, sono e repouso; possuindo interferência direta da cultura. Além disso, identificou-se que as adolescentes recebem apoio de membros da família para cuidar do recém-nascido e deparam-se com dificuldades associadas ao cuidado diário. Conclusão: as mães se demonstraram zelosas e dedicadas, suprindo as necessidades básicas do recém-nascido com competência, contanto com o auxílio de pessoas que compõe suas redes de suporte social.


Palavras-chave


Adolescentes; Mães; Recém-nascido; Cuidado domiciliar; Enfermagem materno-infantil

Referências


Dias PMM, Oliveira JM, Lustosa AP, Lima HKLS, Moreira KAP, Pereira TM. Repercussões da gravidez na adolescência na vida da mulher adulta. Rev Rene (Online). 2017 jan-fev;18(1):106-13. doi: 10.15253/2175-6783.2017000100015

Maranhão TA, Gomes KRO, Oliveira DC, Moita Neto JM. Repercussão da iniciação sexual na vida sexual e reprodutiva de jovens de capital do Nordeste brasileiro. Ciênc Saúde Colet. 2017 dez;22(12):4083-94. doi: https://doi.org/10.1590/1413-812320172212.16232015

Vieira EM, Bousquat A, Barros CRS, Alves MCGP. Gravidez na adolescência e transição à vida adulta em jovens usuárias do SUS. Rev Saúde Pública (Online). 2017;51:25. doi: https://doi.org/10.1590/s1518-8787.2017051006528

Oliveira EAR, Rocha SS. O cuidado cultural às crianças na dinâmica familiar: reflexões para a Enfermagem. Rev Interdiscip [Internet]. 2015 jan-mar [acesso em 2019 out 09];8(1):227-33. Disponível em: https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/view/302/pdf_198

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília, DF, 2013. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html. Acesso em: 10 out. 2019.

Araújo MGO, Dutra MOM, Leite-Freitas CCS, Guedes TG, Souza FS, Baptista RS. Cuidando de quem cuida: qualidade de vida e sobrecarga de mulheres cuidadoras. Rev Bras Enferm. 2019 jun;72(3):728-36. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0334

Linhares EF, Marta FEF, Dias JAA, Santos MCQ. Family management influence in the birth of the newborn and prevention of omphalitis. Rev Enferm UFPE On Line [Internet]. 2017 nov [cited 2019 Sept 28];11(11 Suppl):4678-86. Available from: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/231209

Bonow CT, Ceolin T, Mendieta MC, Piriz MA, Minuto JC, Heck RM. Práticas de cuidado em saúde realizadas às crianças de uma área rural. Ciênc Cuid Saúde. 2019;18(3):e45128. doi: https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v18i2.45128

Rocha SK, Ravelli APX. Práticas culturais de puérperas no aleitamento materno: problemas mamários. Rev Triângulo (Online). 2014 jan-jun;7(1):140-57. doi: https://doi.org/10.18554/rt.v7i1.495

Rocci E, Fernandes RAQ. Dificuldades no aleitamento materno e influência no desmame precoce. Rev Bras Enferm. 2014 jan-fev;67(01):22-7. doi: https://doi.org/10.5935/0034-7167.20140002

Takemoto AY, Zarpelon NF, Rossetto ED. Práticas populares no cuidado infantil: percepção das mães. Rev Rene (Online). 2019;20:1-9. doi: 10.15253/2175-6783.20192040075

Molina RCM, Higarashi IH, Marcon SS. Importância atribuída à rede de suporte social por mães com filhos em unidade intensiva. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2014;18(1):60-7. doi: 10.5935/1414-8145.20140009

Demori CC, Soares MC, Cremonese L, Barreto CN. De mulheres para mulheres: rede social de apoio às adolescentes grávidas. Rev Enferm UFSM. 2018 jun;8(2):247-62. doi: http://dx.doi.org/10.5902/2179769229288

Cruz C, Nelas P, Coutinho E, Chaves C, Amaral O. A influência do suporte social na vinculação pai/bebê. Rev INFAD Psicol. 2017;1(3):123-30. doi: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2017.n1.v3.981

Lopes KDCL, Oliveira Neto JG, Sá GGM, Carvalho DA, Monteiro MM, Martins MCC. Dificuldades nos Cuidados ao Recém-Nascido: Realidades de puérperas primíparas. Rev Saúde Pública Santa Catarina [Internet]. 2015 set-dez [acesso em 2019 out 10];8(3):19-33. Disponível em: http://revista.saude.sc.gov.br/index.php/inicio/article/view/351

Amaral LJX, Sales SS, Carvalho DPSRP, Cruz GKP, Azevedo IC, Ferreira Júnior MA. Fatores que influenciam na interrupção do aleitamento materno exclusivo em nutrizes. Rev Gaúch Enferm. 2015;36(1):127-34. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2015.esp.56676

Cremonese L, Wilhelm LA, Prates LA, Paula CC, Sehnem GD, Ressel LB. Apoio social na perspectiva da puérpera adolescente. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2017;21(4):e20170088. doi: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2017-0088




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769239922

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.