Acolhimento: percepção de enfermeiros em uma unidade de urgência e emergência

Natália Mendes Malta Rodrigues Costa, Rejane Cussi Assunção Lemos, Poliana Silva de Oliveira, Gisele Bento Sgotti

Resumo


Objetivos: identificar a percepção dos enfermeiros sobre o acolhimento e analisar sua articulação com os fundamentos da Política Nacional de Humanização (PNH). Método: pesquisa qualitativa, com 14 enfermeiros que atuam no Pronto-Socorro Adulto do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Os dados foram coletados em dezembro de 2015, por meio de entrevista semiestruturada e analisados conforme análise de conteúdo. Resultados: emergiram as categorias: o acolhimento como atendimento inicial, em que o acolhimento é descrito como ação na entrada do usuário no serviço; acolhimento com vistas à humanização, demonstrando entendimento e aplicação de acordo com a PNH; dificuldades para desenvolver o acolhimento devido à sobrecarga de trabalho, a falta de fluxo e de infraestrutura. Conclusões: os enfermeiros demonstraram compreender o significado de acolhimento. Porém, existem pontos frágeis na aplicabilidade, merecendo atenção dos gerentes de saúde para efetivar que os princípios da PNH sejam garantidos.

Palavras-chave


Enfermagem; Acolhimento; Atenção terciária à saúde

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/2179769229808



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.