Cidades verdes: uma análise do Plano Diretor de Arborização Urbana do município de Salvador (BA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236130862962

Palavras-chave:

Arborização urbana, Áreas verdes, PDAU, Lei 9.187/2017, Gestão pública

Resumo

O ato de arborizar as cidades é primordial para a dinâmica nas zonas urbanas, seja do ponto de vista funcional, da biodiversidade ou do impacto na qualidade de vida das populações. Como descrito pela ciência, o ato de arborizar zonas urbanas resulta em uma série de benefícios: conforto climático e ambiental, recuperação da fauna e flora locais, melhoria do impacto visual e paisagístico ou mesmo para regular o microclima urbano. Este estudo teve como objetivos analisar os desafios, perspectivas e possibilidades da arborização urbana no município de Salvador (BA), a partir da aprovação do Plano Diretor de Arborização Urbana (PDAU). As etapas metodológicas consistiram em pesquisa bibliográfica e documental, que incluíram a análise do PDAU, implementado pela Lei nº 9.187/2017, e levantamento de dados em fontes de pesquisa secundárias como leis, artigos, periódicos e relatórios. De acordo com levantamentos realizados em dados do IBGE, observamos que o município de Salvador ocupa um dos últimos índices de arborização urbana entre as capitais do Nordeste, perdendo apenas para o município de São Luís (MA). A partir da homologação e implementação do PDAU como instrumento legal, concluímos que a sua implantação é essencial para uma melhor gestão municipal, que deve orientar, a partir de critérios técnicos estabelecidos, o planejamento das áreas verdes do município, além de oferecer melhor qualidade de vida para a população e favorecer a manutenção da biodiversidade local.

Biografia do Autor

Marcos Paulo Sales do Nascimento, Universidade Católica do Salvador, Salvador, BA

Jornalista. Doutorando em Mudança Social e Participação Política (USP), e em Território, Ambiente e Sociedade (UCSal). Mestre em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social (MPTDS), pela Universidade Católica do Salvador (UCSal).

Geraldo Jorge Barbosa de Moura, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE Universidade Católica do Salvador, Salvador, BA

Docente da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Programa de Pós-graduação em Planejamento Ambiental (UCSal).

André Augusto Araújo Oliveira, Universidade Católica do Salvador, Salvador, BA

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Território, Ambiente e Sociedade (PPGTAS), da Universidade Católica do Salvador (UCSal).

Ronaldo Souza Piber, Universidade Paulista, São Paulo, SP

Advogado, graduando em Ciências Biológicas pela Universidade Paulista (UNIP). Membro da Sociedade Brasileira de Bioética (SBB).

Referências

ARAÚJO, Sucfy Mara Váz Guimarães de. O Estatuto da Cidade e a questão ambiental. Brasília: Câmara dos Deputados, 2003. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/pubhcacoes/estnoiiec/tema 14/pdí73043íi6.pdf. Acesso em: 22 fev. 2021.

BERNATZKY, A. Tree ecology and preservation. 2 ed. Amsterdam: Elsevier, 1980. 357p.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. São Paulo.

BONAMETTI, João Henrique. Arborização Urbana. Terra e Cultura, Ano XIX, nº 36, p. 51- 54, 2003.

BRAGA, R. Política urbana e gestão ambiental: considerações sobre o plano diretor e zoneamento urbano. In: CARVALHO, P.F.; BRAGA, R. Perspectiva de gestão ambiental em cidades médias. Rio Claro: LPM-UNESP, 2001. p. 95-109.

CARVALHO, Pompeu Figueiredo. Repensando as áreas verdes urbanas. Rio Claro: Unesp, Território e Cidadania, 2003.

DE ARAÚJO JUNIOR, Miguel Etinger. Algumas considerações sobre o Plano Diretor dos municípios e sua importância no processo de construção da cidadania e da democracia. Revista do Direito Público, v. 1, n. 1, p. 45-62, 2005.

EMBRAPA. Boletim, 2000. Disponível em: http://www.cnpf.embrapa.br/publica/boletim/boletarqv/boletim18_19/baggio.pdf. Acesso em: 10 jan. 2021.

GALIL, A. M. G. O direito urbanístico no Brasil: aspectos estratégicos para a elaboração do plano diretor. Centro de Pesquisas Estratégicas “Paulino Soares”, Juiz de Fora: UFJF, nov 2005, 20 p.

HERRMANN, C. R. A. A qualidade do sombreamento de espécies arbóreas e sua influência no microclima do entorno imediato em ambientes urbanos. 2008. 160 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia do Meio Ambiente) - Escola de Engenharia Civil, Universidade Federal de Goiás, Goiânia. 2008.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Atlas do censo demográfico. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/apps/atlas/. Acesso em: 8 mar. 2021.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Moraes, 1991.

MMA – MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Biodiversidade brasileira: avaliação e identificação de áreas e ações prioritárias para a conservação, utilização sustentável e repartição dos benefícios da biodiversidade nos biomas brasileiros. Secretaria de Biodiversidade e Florestas, MMA, Brasília, 2002.

NASCIMENTO, D. T. N. & CAMPOS, E. T. Instrumentos de planejamento territorial urbano: plano diretor, estatuto da cidade e a agenda 21. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO, 2006, Florianópolis, 10 p.

PINHEIRO, C. B.; SOUZA, D. D. A importância da arborização nas cidades e sua influência no microclima. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, Florianópolis, v. 6, n. 1, p. 67-82, 2017.

SALVADOR. Lei nº 9.187, de 17 de janeiro de 2017. Dispõe sobre o Plano Diretor de Arborização Urbana do Município de Salvador. Salvador: Câmara Municipal, [2017]. Disponível em: http://www.sucom.ba.gov.br/wp-content/uploads/2017/01/Lei_9187_2017.pdf. Acesso em: 22 fev. 2021.

SPANGENBERG, J. et al. Simulation of the Influence of Vegetation on Microclimate and Thermal Comfort in the City of São Paulo. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba - SP, v. 3, n. 2, p. 1-19, 2008.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do Espaço Habitado. São Paulo: EDUSP, 2008.

SANTOS, M. (2002). O espaço do cidadão. São Paulo, Edusp.

TAHA, H.; DOUGLAS S.; HANEY, J. Mesoscale meteorological and air quality impacts of increased urban albedo and vegetation. Energy and Buildings, USA, v. 25, 1997.

TOZZI, Rodrigo Henrique Branquinho Barboza. A tutela jurídica da arborização urbana. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XX, n. 159, abr 2017. Disponível em: http://ambitojuridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=18708&revista_caderno=5. Acesso em: 10 fev. 2021.

TUAN, Y. -F. Espaço e Lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: DIFEL, 198

WOLF, K. L. A economia e o valor público das florestas urbanas. Revista de Agricultura Urbana, Havana, n. 13. Disponível em: http://www.ipes.org/index.php?option=com_content&view=article&id=111&Itemid=135. Acesso em: 21 jan. 2021.

Downloads

Publicado

2021-04-16

Como Citar

Nascimento, M. P. S. do, Moura, G. J. B. de, Oliveira, A. A. A., & Piber, R. S. (2021). Cidades verdes: uma análise do Plano Diretor de Arborização Urbana do município de Salvador (BA). Revista Monografias Ambientais, 1, e1. https://doi.org/10.5902/2236130862962

Edição

Seção

PROBLEMAS AMBIENTAIS