A utilização da tecnologia, oficinas e jornadas interdisciplinares para desenvolver a aprendizagem significativa da educação ambiental: um ato de cidadania

Tamiris Locatelli

Resumo


É necessário mais que apenas transferência de conteúdos, como defende Paulo Freire é preciso autonomia, nossos alunos necessitam estar frente ao seu processo de aprendizagem tendo um professor mediador. Possível solução a esse problema, os projetos, jornadas interdisciplinares auxiliam no desenvolvimento integral do conhecimento, por meio das resoluções de situações problemas reais, enriquecendo a aprendizagem, os recursos tecnológico aliado a estes, aproxima o aluno ao professor, levando a aprendizagem significativa. É função da escola, gerar aprendizagem, assim como, competências e habilidade necessárias para o convívio em sociedade. A Educação Ambiental é primordial nas escolas, é por meio dela que nossos alunos desenvolvem um engajamento social com ações e atitudes que visem garantia da qualidade de vida de nossas gerações futuras. Para tanto, o problema de pesquisa deste artigo tem como foco responder como as oficinas, jornadas interdisciplinares e a tecnologia contribuem para a formação da aprendizagem significativa da educação ambiental. Sendo objetivo geral realizar estudos acerca dos projetos interdisciplinares, oficinas, uso da tecnologia na educação e suas contribuições para a aprendizagem, desenvolvendo a consciência crítica nos alunos do ensino fundamental, adotando postura de respeito e valorização sobre as questões ambientais. A metodologia deste artigo foi desenvolvida através de pesquisas bibliográficas.


Palavras-chave


Ensino; Interdisciplinaridade; Jornadas; Ambiental; Aprendizagem

Texto completo:

HTML PDF

Referências


ALBANUS, L.L.F.; ZOUVI, C.L. Eco pedagogia: educação de meio ambiente. Curitiba. InterSabere, 2012. Disponível em: http://bv4.digitalpages.com.br/?term=ecopedagogia&searchpage=1&filtro=todos&from=busca#/edicao/3246.

AUSUBEL, David Paul. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

CHAVES, E., O., C. O que é um projeto interdisciplinar? Educação Pública. Disponível em: http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/educacao/0026.html.

CONCEITOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Ministério do meio ambiente. Disponível em: http://www.mma.gov.br/educacao-ambiental/politica-de-educacao-ambiental.

CONHEÇA OS MAIORES DESASTRES AMBIENTAIS DO BRASIL. Nos últimos 30 anos, uma série de desastres ambientais acarretaram em grandes danos para a população. Disponível em: https://www.terra.com.br/noticias/mundo/conheca-os-5-piores-desastres-ecologicos-da-atualidade,e35c27721cfea310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html>. Acesso em: 28 jun. 2018.

CORRÊA, H, LIMA, S, e GOMIDE , R. Mariana: os dramas e as culpas pela tragédia. Um dos maiores desastres ambientais do país faz um povoado desaparecer, arrasa um rio e mostra que o Brasil precisa punir com mais rigor (20/11/2015). Disponível em: https://epoca.globo.com/tempo/noticia/2015/11/mariana-os-dramas-e-culpas-pela-tragedia.html. Acesso em 28, jun 2018.

CORTEZ, C. O que um bom projeto para a educação infantil precisa ter? Nova Escola. 2013. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/50/o-que-um-bom-projeto-para-educacao-infantil-deve-ter.

DIAS, G. F. et al. Educação ambiental. Princípios e práticas, 6ª Edição. São Paulo: Editora Gaia, 2000. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Antonio_Fluminhan/publication/309179299_Utilizacao_do_Acervo_Educacional_de_Ciencias_Naturais_da_Unoeste_para_a_Educacao_Ambiental/links/5803024408ae310e0d9dec44/Utilizacao-do-Acervo-Educacional-de-Ciencias-Naturais-da-Unoeste-para-a-Educacao-Ambiental.pdf.

FERNANDES, Elisangela. David Ausubel e a aprendizagem significativa. 2011. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/262/david-ausubel-e-a-aprendizagem-significativa. Acesso em: 25 out. 2018.

FRANCIOSI, B. R. T. I., MEDEIROS, M. F., COLLA, A. L. Caos, criatividade e ambientes de aprendizagem. Educação a Distância–Cartografias Pulsantes em Movimento. Porto Alegre:

EDIPUCRS, 2003, p. 129-149.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 36 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

LOCATELLI, T. A Utilização de Tecnologias no Ensino da Química. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 03, Ed. 08, Vol. 04, pp. 5-33, 2018. Disponível em: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/tecnologias-no-ensino.

MASETTO, Marcos Tarciso. (Org.) Docência na Universidade. Campinas: Papi¬rus, 2013.

MELARÉ, Daniela. Estilos de uso do espaço virtual: como se aprende e se ensina no virtual? Inter-Ação, Goiânia, v.1, n.34, p. 51-74, jan.-jun. 2009. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/interacao/issue/view/688/showToc. Acesso em: 25 out. 2018.

MOURA, D., G.; BARBOSA, E., F. Trabalhando com projetos: planejamento e gestão de projetos educacionais. Editora Vozes Limitada, 2017. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=W9Q5DwAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT5&dq=projetos+educacionais&ots=CBbBOgSRML&sig=6_a8tjcDTQTSuDXr7kkTaS6OwN4#v=onepage&q=projetos%20educacionais&f=false.

MOÇO, A. 14 perguntas e respostas sobre projetos didáticos. Nova escola. 2011. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/424/14-perguntas-e-respostas-sobre-projetos-didaticos.

MÚSICAS- LETRAS, chovendo na roseira (tom Jobim), planeta agua (Guilherme Arantes) planeta azul (Chitãozinho e Xororó) poemas – paraíso (José Paulo Paes), sou da natureza e separe (Berenice Gehlen Adams). Disponível em: http://www.vagalume.com.br/.

PALLOFF, Rena M. e PRATT, Keith. Construindo Comunidades de Aprendizagem no Ciberespaço: Estratégias eficientes para salas de aula on-line. Porto Alegre: Artmed, 2002. 248 p.

PELLIZZARI, Adriana et al. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Rev. PEC, Curitiba, v.2, n.1, p.37-42, jul. 2001-jul. 2002. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/0000012381.pdf. Acesso em: 25 out. 2018.

PONTES, Elivelton. O que é o Moodle? Conheça esse ambiente virtual de aprendizagem, 20 de out. 2017. Disponível em: https://eadbox.com/o-que-e-moodle-como-funciona/. Acesso em: 15 nov. 2018.

RELEMBRE OS PRINCIPAIS DESASTRES AMBIENTAIS OCORRIDOS NO BRASIL. Disponível em:http://www.ebc.com.br/noticias/meio-ambiente/2015/11/conheca-os-principais-desastres-ambientais-ocorridos-no-brasil . Acesso em 28 jun. 2018.

SANTOS. Edméa Oliveira. Ambientes virtuais de aprendizagem: por autorias livres, plurais e gratuitas. In: Revista FAEBA, v.12, no. 18.2003

SILVA, Marco. Educar na cibercultura: desafios à formação de professores para docência em cursos online. Revista Digital de Tecnologias Cognitivas, PUC-SP. Nº 3, jan - jun. p. 36-51, 2010. Disponível em: http://www4.pucsp.br/pos/tidd/teccogs/artigos/2010/edicao_3/3-educar_na_

cibercultura-desafios_formacao_de_professores_para_docencia_em_cursos

_online-marco_silva.pdf. Acesso em: 23 out.2018.

SOARES, A. L. A. Metodologia de ensino: projetos interdisciplinares. Brasil Escola. 2012. Disponível em: https://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/educacao/metodologias-ensino-projetos-interdisciplinares.htm.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130843139

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.