ANÁLISE DA POTABILIDADE DAS ÁGUAS DE FONTES NATURAIS, JUNTO AO MUNICÍPIO DE FRAIBURGO-SC

Carina Novicki, Roger Francisco Ferreira de Campos

Resumo


Neste trabalho foram realizadas pesquisa e análises de fontes naturais situadas nas áreas urbanas e rurais do município de Fraiburgo – SC, a fim de caracterizar a sua potabilidade quanto aos parâmetros estabelecidos na legislação ambiental vigente. As fontes foram divididas em: (fonte 1) Gruta João Maria, (fonte 2) Gruta Nossa Senhora de Fátima, (fonte 3) Gruta Nossa Senhora de Lourdes, as quais passaram por coletas e os seguintes parâmetros: coliformes totais, coliformes fecais, acetato, cloreto, nitrito, brometo, nitrito, sulfato, lítio, sódio, amônia, potássio, magnésio, cálcio, cor, turbidez, pH, dureza de cálcio, dureza de magnésio, dureza total. As análises das fontes com os parâmetros cor e nitrato houve alteração nas 3 fontes em nitrito na (fonte 3), coliformes totais e termotolerantes onde não se adaptam de acordo com a resolução CONAMA 357/2005, Portaria n° 2.914 do Ministério da Saúde. Parâmetros pH, turbidez, dureza total, sulfato, lítio, sódio em todas as fontes estão de acordo com a resolução CONAMA 357/2005, Portaria n° 2.914 do Ministério da Saúde, para águas de classe 3 o parâmetro de nitrito na (fonte 1) e (fonte 2) está de acordo. Conclui-se, portanto, que as fontes do município de Fraiburgo – SC estão poluídas. Um plano de Educação Ambiental respaldado na Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999 será aplicado visando alertar sobre as principais doenças que podem indicar cólera, hepatites, verminoses e diarreias.


Palavras-chave


Avaliação físico químico microbiológico, Educação Ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Coordenação: Soraia Silva de Mello, Rachel Trajber. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007.

BRASIL. Portaria nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Disponível em: . Acesso em: 12 mai. 2013.

BRISCOE, J.; FEACHEM, R. G.; RAHAMAN, M. M. Avaliação do impacto à saúde no abastecimento de água, saneamento, higiene e educação. Ottawa: InternationalDevelopmentResearch Center, 1986.

CAMPOS, Tiago de Souza et al. Avaliação dos valores de nitrato em águas subterrâneas e sua correlação com atividades antrópicas no município de Águas Lindas de Goiás (2009).Disponível em: Acesso em 15 jun. 2013.

COSTA, Odimar Lorini da et al.Análise da qualidade da água de quatro fontes naturais do vale do Taquari/RS (2012). Disponível em: Acesso em 15 jun. 2013.

CETESB. Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Variáveis de qualidade das águas. Disponível em: Acesso em: 03 jun. 2013.

ROITMAN, I.; TRAVASSOS, R.L; AZEVEDO,J.L. Tratamento de microbiologia. São Paulo: Manole. 1999.

SOUZA, Cezarina Maria Nobre; FREITAS, Carlos Machado de. A produção científica sobre saneamento: uma análise na perspectiva da promoção da saúde e da prevenção de doenças. Eng. Sanit. Ambient. [online]. vol.15, n.1, pp. 65-74, 2010.

ZARSE, K. et al. Captação de lítio em baixa dose promove a longevidade em humanos e metazoários. Jornal Nutrição, (5), p. 387-389, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130819317

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.