Environmental indicators and applicability in high current river basin Mundaú-PE

Marcelo Siqueira Araújo, Hélio Mário Araújo, Clovis Gomes da Silva Junior

Abstract


The upper course of the river basin Mundaú in Pernambuco State is the object of analysis of environmental relations based on the methodology of the Barometer of Sustainability combined with systemic vision made possible the production of molded diagram of vulnerability analysis in three dimensions: environmental, economic and social, through the application of sustainability indicators adopted by IBGE. The use of the methodology allowed us to conclude that the environmental dimension showed high level of vulnerability mainly driven by low fertility soils, steep rate of deforestation, Basin Committee disarticulation, besides the lack of diagnostics on water resources in the area. In the social dimension, the level was found to be moderate, but inspiring care about the poor records of HDIM, high rates of illiteracy and infant mortality. The economic dimension, it seems, requires more urgent action, as it reached the maximum level of vulnerability in all indicators, namely: low per capita income, low number of employees in the formal sector, low agricultural production and GDP inexpressible.

Keywords


Mundaú; Sustainability; Indicator

References


ANA, Agência Nacional das Águas. Base de dados do Estado de Pernambuco - 2010. Disponível em Acesso em 20 de dezembro de 2012;

ARAÚJO, H.M. de & SANTOS, N. dos (org). Temas de Geografia Contemporânea: teoria, método e aplicações. São Cristóvão: Editora UFS; Aracajú: Fundação Oviêdo Teixeira, 2010.

BDE/PE, Banco de Dados do Estado de Pernambuco. Base de Dados do Estado de Pernambuco. 2013. Disponível em Acesso em 15 de maio de 2012.

BOLÓS, I; CAPDEVILA, M. d. El geossistema, modelo teórico del paisaje. In: manual de ciência del paisaje: teoria, métodos y aplicaciones. Barcelona: Masson, 1992.

BOTELHO, R.G.M. & SILVA, A.S. Bacia hidrográfica e qualidade ambiental. In: x

BRASIL, Lei n° 12.984 de 30 de dezembro de 2005. Dispõe sobre a Política Estadual de Recursos Hídricos e o Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos, e dá outras providências. Disponível em Acesso em 15 de abril. 2012

BRASIL, Plano Territorial de desenvolvimento rural sustentável do Agreste Meridional de Pernambuco. Disponível em . Acesso em 15 de mar. 2012.

BRASIL, Resolução CONAMA nº 357 de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências.. Disponível em < http://www.mma.gov.br > Acesso em 10 de mar. 2013.

BRASIL, Resolução nº 04 de 2002. Homologa a criação do Comitê da Sub Bacia Hidrográfica do Rio Mundaú. 2002.

BRUNDTLAND, G. H. Nosso Futuro Comum: Comissão Mundial sobre o Meio

Ambiente e Desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas. 1991

BRÜSEKE, F. A crítica da razão do caos global. Belém, SEPEQ/NAEA, 1993.

CARVALHO, Gustavo Silva. Potencialidade dos recursos hídricos da bacia hidrográfica do rio Mundaú. Secretaria de Recursos Hídricos de Alagoas: Maceió, 2002.

CHRISTOFOLETTI, Antônio. Geomorfologia. 2ª Ed. São Paulo: Edgard Blucher, 1980.

CPRM, Serviço Geológico do Brasil. Base de dados do Estado de Pernambuco – 2005, 2006. Disponível em < http://www.cprm.gov.br > capturado em 2013.

DEPONTI, C.M. et al. Estratégia para construção de indicadores para avaliação da sustentabilidade e monitoramento de sistemas. Revista Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável. Porto Alegre, v. 3, n. 4, out/dez 2002.

EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Banco de Dados do Estado De Pernambuco. Disponível em < http://www.embrapa.br > capturado em 2013.

FONTES, Aracy Losano. Caracterização geoambiental da bacia do rio Japaratuba/SE. Tese de Doutorado, Rio Claro, IGCE/UNESP, 1997.

HAESBAERT, Rogério. Regional-global: dilemas da região e da regionalização na geografia contemporânea. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

HARVEY, David. Condição pós-Moderna. 11 ed. Edições Loyola. São Paulo. 2002.

IBAMA, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Base de Dados do Estado de Pernambuco - 2006. Disponível em capturado em 2013.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Base de dados do Estado d Pernambuco - 2012. Disponível em < http://www.ibge.gov.br > capturado em 2013.

INMET, Instituto Nacional de Meteorologia. Base de dados do Estado de Pernambuco e Alagoas. Disponível em < http:// www.inmet.gov.br > capturado em 2013

LEFEBVRE, Henri. A Revolução Urbana. Editora UFMG. Belo Horizonte. 1999.

MORAES, Marcela Figuerêdo Duarte, Levantamento biológico preliminar da área da Sementeira Municipal de Garanhuns-PE.. Secretaria de Municipal de Agricultura, Abastecimento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Garanhuns-PE, 2000.

OCDE. Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Paris: OCDE, 1993.

RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993.

SACHS, Igancy. Ignacy Sachs: caminhos para o desenvolvimento sustentável. Organização: Paula YoneStroh. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

SECTMA, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente Plano de aproveitamento dos recursos hídricos da RMR, Zona da Mata e Agreste pernambucano I: diagnóstico dos recursos hídricos. Recife: Secretaria, 2005.

SECTMA, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Atlas de Bacias Hidrográficas de Pernambuco. Recife: Secretaria, 2006

SOTCHAVA, V. B. O Estudo de geossistemas. Métodos em questão, 16. São Paulo: IGUSP,1977.

TRICART, J. Ecodinâmica. Rio de Janeiro: IBGE/ SUPREN, 1977.

VALVERDE, Rodrigo Ramos Hospodar. Transformações no conceito de território: competição e mobilidade na cidade. Geousp – Espaço e Tempo, São Paulo, nº 15, PP 119 - 126, 2004.

VAN BELLEN, Hans Michael. Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. 1.ed.Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2005.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236117013111



DEAR AUTHORS,

PLEASE, CHECK CAREFULLY BEFORE YOUR SUBMISSION:

- IF ALL AUTHORS "METADATA" (ORCID, LINK TO LATTES, SHORT BIOGRAPHY, AFFILIATION) WERE ADDED,

- THE CORRECT IDIOM YOUR SECTION,

- IF THE HIGHLIGHTS WERE ADDED,

- IF THE GRAPHIC ABSTRACTS WAS ADDED,

- IF THE REVIEWERS INDICATION WAS DONE,

- IF THE REFERENCES FORMAT ARE CORRECT(ABNT)

- IF THE RESOLUTION YOUR FIGURES (600 DPI) ARE SUITABLE

*******************************

PREZADOS AUTORES,

POR FAVOR, VERIFIQUE ATENTAMENTE ANTES DA SUBMISSÃO: 
- SE OS METADADOS (ORCID, LINK PRO LATTES, CURTA BIOGRAFIA E AFILIAÇÃO) DE "TODOS" OS AUTORES FORAM ADICIONADOS, 
- IDIOMA, 
- SE OS HIGHLIHTS FORAM ADICIONADOS, 
- SE O GRAPHICAL ABSTRACT FOI ADICIONADO, 
- SE A INDICAÇÃO DOS REVISORES FOI FEITA, 
- SE O FORMATO DAS REFERÊNCIAS ESTÁ ADEQUADO (ABNT) 
- SE A RESOLUÇÃO SUAS FIGURAS (600 DPI) ESTÁ ADEQUADA.

 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

 

**************************************************

WE ARE ON FACEBOOK! (You are our guest!)

 

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/22361170

Contact: reget.ufsm@gmail.com

...................................................................................


Accesses since 19/06/2012

...................................................................................

Sponsors: