Repatriação de profissionais brasileiros: uma análise das políticas praticadas pelas empresas brasileiras

Thaís Ettinger Salgado, Eduardo Camargo Oliva, Edson Keyso de Miranda Kubo, Darticleia Almeida Sampaio da Rocha Soares, Marcos Eduardo Zambanini

Resumo


Com o objetivo de analisar as políticas nos programas de repatriação, praticadas nas transnacionais brasileiras, esta pesquisa se concentrou em estudar a gestão internacional de Recursos Humanos, bem como em se aprofundar nas políticas e práticas das empresas brasileiras que possuem programas de repatriação. Para isso, foi feita uma pesquisa descritiva com uma população limitada aos Rankings das Transnacionais Brasileiras (2011 e 2012) realizados pela Fundação Dom Cabral. Das 52 empresas listadas, 25 participaram da pesquisa, que ocorreu em formato de entrevista in loco. As informações obtidas foram analisadas com o auxílio do software de análise qualitativa Atlas TI, evidenciando que há algum tipo de cuidado por parte das empresas em diminuir as incertezas do repatriado, seja por meio de uma comunicação eficiente e de clareza acerca das possibilidades de crescimento; de salários e benefícios atraentes; de suporte; ou de um contrato específico que garanta retorno para ambas as partes.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1983465913597

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

  

  

Revista de Administração da UFSM. Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659