Avaliação de eficiência de estratégias de hedge para o risco de preço do café do Brasil com o uso de contratos da BM&FBOVESPA

Waldemar Antonio da Rocha de Souza, André Ricardo Reis Costa, Tristão Sócrates Baptista Cavalcante, Claudio Zancan, Pedro Valentim Marques

Resumo


O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café. Entretanto o novo regime de preços e volatilidade a partir da crise de 2008, bem como o aumento da concorrência pela entrada de novos players expressaram a necessidade de uso de mecanismos de mercado para gestão de risco de preço. Entre as alternativas, ilustravam-se os mercados futuros, em particular os contratos futuros de café da BM&FBOVESPA, do Brasil. Objetivou-se avaliar a eficiência das estratégias sem hedge, hedge simples (naïve), hedge estático e hedge dinâmico calculado pelo modelo GARCH-BEKK na gestão de risco dos preços do café das principais regiões produtoras brasileiras. A eficiência dos hedges estático e dinâmico foi superior à das outras estratégias, embora o último possibilite a calibragem das taxas de hedge intertemporais, diminuindo os custos operacionais. Também, o uso dos contratos futuros de café da BM&FBOVESPA para hedge aumentará a liquidez do mercado, possibilitando a esquematização de várias alternativas operacionais.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1983465913003

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

  

Revista de Administração da UFSM. Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659