O tabu do poder e da política nos estudos organizacionais

Sandra Miranda

Abstract


A ideia generalizada de que as organizações são espaços altamente permeáveis e atreitos ao exercício do poder e da movimentação política e de que muitas das decisões que aí ocorrem não reflectem, necessariamente, os interesses do pretenso bem comum, contrasta com um certo “acanhamento” da parte dos investigadores organizacionais em abordar e estudar o fenómeno. O presente artigo tem como objectivo discutir as principais razões que estão por detrás desta tímida e algo escassa produção teórica e empírica, salientado que ao ignorarmos a inevitabilidade do poder e da política estaremos a omitir uma das mais reveladoras e determinantes peças do puzzle organizacional.




DOI: https://doi.org/10.5902/198346591262


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

  

   

       

 

------

Revista de Administração da UFSM. Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659