Eficiência produtiva da agropecuária do estado de Santa Catarina e seu novo espraiamento territorial pós-2003

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236499464708

Palavras-chave:

Eficiência produtiva, Estruturas produtivas mesorregionais, Especialização, Formação socioespacial.

Resumo

O processo de modernização, pós-1960, transformou a agropecuária catarinense em um ramo especializado da produção inserido na divisão social do trabalho. Nos anos de 1990, os diferentes produtos agrícolas catarinenses (soja, leite, carnes, frutas, madeira, milho, fumo, entre outros) passaram por intenso processo de reestruturação técnica e econômica, agregando alterações geoeconômicas e sociais a jusante e a montante das atividades agropecuárias. Dessa forma, constituem-se hoje em um dos principais setores econômicos geradores de renda no estado. Entre 2003-2020, o valor bruto da produção dos principais produtos agrícolas catarinenses cresceu de R$ 11,7 milhões para R$ 28, 3 milhões. Nas exportações, o valor gerado em 2019 foi de US$ 6,2 bilhões, o que representa 69,6%, do valor total do estado, e 6,4%, do valor total dos produtos do campo brasileiros. Desvendar a eficiência produtiva da agropecuária catarinense, com base nos indicadores de área plantada, valor bruto da produção, produtividade e participação na pauta exportadora catarinense, é o objetivo central deste texto. Esse dinamismo veio acompanhado de alterações significativas nas estruturas produtivas regionais. As antigas áreas agrícolas apresentaram transformações na sua estrutura, forma e função, promovendo um novo espraiamento territorial.

Biografia do Autor

Roberto César Costa Cunha, Universidade Federal de Santa Catarina

Geógrafo - UFMA, Mestre e Doutor em Geografia -UFSC

Carlos José Espíndoal, Universidade Federal de Santa Catarina

Geógrafo - UFSC, Mestre e Doutor em Geografia -USP. Professor titular do departamento de Geociências da UFSC

Referências

BARBOSA, N. Dez anos de Política Econômica. In: SADER, E. (Org.). 10 anos de governos pós-neoliberais no Brasil: Lula e Dilma. São Paulo; Rio de Janeiro: Boitempo; Flacso, 2013. p. 63-101.

BIELSCHOWSKY, R. Estratégia de Desenvolvimento e as Três Frentes de Expansão no Brasil: um desenho conceitual. Texto para Discussão, Brasília, IPEA, n. 1828, p. 1-27, 2013.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Estatísticas do valor bruto da produção agropecuária. 2021a. Disponível em: < http://www.agricultura.gov.br/>. Acesso em: 25 fev. 2021.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Estatísticas de comércio exterior do agronegócio brasileiro. 2021b. Disponível em: <http://sistemasweb.agricultura.gov.br/pages/AGROSTAT.html>. Acesso em: 27 fev. 2021.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuário e Abastecimento. Valor Bruto da Produção Agropecuária. 2018. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/assuntos/politica-agricola/valor-bruto-da-producao-agropecuaria-vbp>. Acesso em: 25 fev. 2021.

CONTINI, E. et al. Evolução recente e tendências do agronegócio. Revista de Política Agrícola, Brasília, CONAB, ano XV, n. 1, jan.-fev.-mar, p. 5-28, 2006.

CHOLLEY, A. Observações sobre alguns pontos de vista geográficos. Boletim Geográfico, Rio de Janeiro, n. 180, p. 267-276, 1964.

CUNHA, R. C. C. A geoeconomia da cadeia produtiva da soja no Brasil. 2020. 313 f. Tese (Doutorado)- Curso de Geografia, Geociências, Universidade de Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2020.

CUNHA, R. C. C.; ESPÍNDOLA, C. J. Dimensão dinâmica do processo produtivo e territorial da agropecuária no Rio Grande do Sul pós-2003. Revista da Anpege, São Paulo, v. 16, n. 30, p. 75-99, 2020.

CUNHA, R. C. C.; FARIAS, F. R. Dinâmica produtiva e ordenamento territorial dos agronegócios do Mato Grosso do Sul pós-2003. Geosul, Florianópolis, v. 34, n. 71, p.130-153, 2019.

CUNHA, R. C. C.; CRUZ, W. L. de M. Aspectos geoeconômicos da cadeia produtiva da Soja no Estado de Santa Catarina: Produção e Circulação. Geo UERJ, Rio de Janeiro, n. 31, p. 745-769, 2017.

EPAGRI/CEPA. Instituto de Planejamento e Economia Agrícola de Santa Catarina. Síntese Anual da Agricultura Catarinense. 2004. Disponível em: <http://www.epagri.sc.gov.br/?page_id=3210>. Acesso: 9 mar. 2021.

EPAGRI/CEPA. Instituto de Planejamento e Economia Agrícola de Santa Catarina. Síntese Anual da Agricultura Catarinense. 2009. Disponível em: <http://www.epagri.sc.gov.br/?page_id=3210>. Acesso: 10 mar. 2021.

EPAGRI/CEPA. Instituto de Planejamento e Economia Agrícola de Santa Catarina. Síntese Anual da Agricultura Catarinense. 2017. Disponível em: <http://www.epagri.sc.gov.br/?page_id=3210>. Acesso: 7 mar. 2021.

EPAGRI/CEPA. Instituto de Planejamento e Economia Agrícola de Santa Catarina. Síntese Anual da Agricultura Catarinense. 2020. Disponível em: <http://www.epagri.sc.gov.br/?page_id=3210>. Acesso: 5 mar. 2021.

ESPÍRITO SANTO, E. Agricultura no Estado de Santa Catarina, Período 1920-1985. Estudos Econômicos, São Paulo v. 28, n. 3, jul-set, p. 453-473, 1998.

ESPÍNDOLA, C. J. A dispersão territorial dos investimentos do agronegócio de carne. Anais de Geografia Econômica e Social, Florianópolis, v. 2, p. 251-281, 2009. Disponível em: <http://cadernosgeograficos.ufsc.br/aquisicao/revista-geografia-economica/>. Acesso em: 26 fev. 2021.

ESPÍNDOLA, C. J. As duas macroformações socioespaciais do Sul do Brasil na gênese da indústria de carnes. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 37, p. 715-738, 2016a. Disponível em: <https://revistas.fee.tche.br/index.php/ensaios/article/viewFile/3419/3792>. Acesso em: 25. fev.2021.

ESPÍNDOLA, C. J. Ciclo de crescimento da economia brasileira e desempenho do agronegócio catarinense. Geografia (Londrina), Londrina, v. 25, p. 91-109, 2016b. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/geografia/article/viewFile/24919/20546>. Acesso em: 27. fev. 2021.

ESPÍNDOLA, C. J. A dinâmica geoeconômica do agronegócio brasileiro de carnes e soja. In: LAMOSO, L. P. (Org.). Temas do desenvolvimento econômico brasileiro e suas articulações com o Mato Grosso do Sul. Curitiba: Íthala, 2016c, p. 19-53.

ESPÍNDOLA, C. J.; CUNHA, R. C. C. Os agronegócios no desenvolvimento econômico brasileiro. In. ALMADA, J., PAULA, L. F. de; JABBOUR, E. M. K. (Orgs). Repensar o Brasil. Rio de Janeiro: AMFG, 2020, p. 371-402.

ESPÍNDOLA, C. J.; CUNHA, R. C. C. A dinâmica geoeconômica recente da cadeia produtiva de soja no Brasil e no Mundo. Geotextos, v. 11, n. 1, p. 217-238, Salvador, UFBA, 2015.

FARIA, L.A.E. Sobre o conceito de valor agregado: uma interpretação. Ensaios FEE, Porto Alegre, v.3, n.2, p. 109-118,1983.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. Atlas: São Paulo, 1994.

GONÇALVES, J. S. Agricultura sob a égide do capital financeiro: passo rumo ao aprofundamento do desenvolvimento dos agronegócios. Informações econômicas, São Paulo, IEA, v. 35, p. 7-36, abr. 2005.

GONÇALVES, R. Crise econômica: Radiografia e soluções para o Brasil. 2008. Disponível em: <http://www.ie.ufrj.br/oldroot/hpp/intranet/pdfs/crise_economica_radiografia_e_solucoes_para_o_brasil_29_outubro_2008.pdf>. Acesso em: 23 fev. 2021.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Agrícola Municipal. Rio de Janeiro, 2021a. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/home/pimpfbr/brasil>. Acesso em: 26 fev. 2021.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Pecuária Municipal. Rio de Janeiro, 2021b. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/home/pimpfbr/brasil>. Acesso em: 26 fev. 2021.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da extração vegetal e a silvicultura. Rio de Janeiro, 2021c. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/home/pimpfbr/brasil>. Acesso em: 23 fev. 2021

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Trimestral de abate. Rio de Janeiro, 2021d. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/home/pimpfbr/brasil>. Acesso em: 23 fev. 2021

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas. Rio de Janeiro, v. 1 2012. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/divisao-regional/15778-divisoes-regionais-do-brasil.html?=&t=o-que-e> Acesso em: 10 mar. 2021.

KLEIN, H. S.; LUNA, F. V. Alimentando o mundo: o surgimento da moderna economia agrícola no Brasil. São Paulo: FGV Editora, 2020.

MAMIGONIAN, A. Tese de livre docência. São Paulo, USP, 2005. Disponível em: https://teses.usp.br/index.php?option=com_jumi&fileid=13&Itemid=78&lang=pt-br>. Acesso em: 28 fev. 2021

MAMIGONIAN, A. As conquistas marítimas portuguesas e a incorporação do litoral de Santa Catarina. In: ANDRADE, M. C.; FERNANDES, E. M.; CAVALCANTI, S. M. (Orgs.). O mundo que o português criou: Brasil: século XVI. Recife: CNPq/FJN, 1999. P. 57-78.

MAMIGONIAN, A. Estudo Geográfico das Indústrias de Blumenau. Revista Brasileira de Geografia, n. 3, p. 389-480, Rio de Janeiro: IBGE. 1966.

MARCONDES, T Agropecuária em Santa Catarina: Cenário atual e principais tendências. Revista NECAT, ano 5, n. 9, p. 8-38, 2016.

NEUMANN, E, FAJARDO, S., MARIN, M. Z. Transformações recentes no espaço rural brasileiro: análises do papel do Estado nas políticas públicas de desenvolvimento rural nas décadas de 1970 a 1990. RAEGA, Curitiba, v. 40, p. 177-194, 2017.

PADILHA, W.; ESPÍNDOLA, C. J. Prodecoop e Procap-agro e o crescimento das cooperativas agroindustriais da região sul. In: ENANPEGE, 11., 2015, Presidente Prudente. Anais... . Presidente Prudente: Edufgd, 2015. v. 1, p. 6187- 6198.

PELUSO JR, V. Aspectos Geográficos de Santa Catarina. Florianópolis: FCC/EDUFSC, 1991.

SANTOS, M. Sociedade e espaço: A formação social como teoria e como método. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, v. 54, p. 81-100, jun. 1977.

SOUTO MAIOR, A. S. Povoamento. In. CATALDO, D. M. (Org.). Geografia do Brasil: A Grande região Sul. Rio de Janeiro: FIBGE. v. 4, n. 2, p. 3-46, 1968.

SOUZA, J. J. de. O complexo de laticínios no Brasil: o caso da região Sul. 2014. 289 f. Tese (Doutorado) - Curso de Geografia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

WAIBEL, L. Princípios da Colonização Européia no Sul do Brasil. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, ano 50, número especial, IBGE, 1988.

Downloads

Publicado

2022-01-10 — Atualizado em 2022-01-12

Versões

Como Citar

Costa Cunha, R. C., & Espíndoal, C. J. (2022). Eficiência produtiva da agropecuária do estado de Santa Catarina e seu novo espraiamento territorial pós-2003. Geografia Ensino & Pesquisa, 25, e38. https://doi.org/10.5902/2236499464708 (Original work published 10º de janeiro de 2022)

Edição

Seção

Meio Ambiente, Paisagem e Qualidade Ambiental