Brioflorula (bryophyta\musgos e marchantiophyta\hepáticas) do Parque Estadual Cânion do rio Poti, Buriti dos Montes – PI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236499447876

Palavras-chave:

Afloramentos rochosos, Briófitas de Caatinga, Unidade de Conservação

Resumo

Esse estudo busca amostrar a diversidade de briófitas (bryophyta/musgos e marchantiophyta/hepáticas), bem como, conhecer o padrão de distribuição geográfica brasileira e mundial e  os domínios fitogeográficos, além de registrar o tipo de colonização nos substratos (grupos briocenológicos) e os hábitos de vida das espécies  ocorrentes no Parque Estadual Cânion do Rio Poti, Buriti dos Montes/Piauí. Para tanto, o material botânico foi coletado, herborizado e identificado seguindo a metodologia usual, especializada, provenientes de trechos de áreas de afloramentos rochosos presentes sobre a influência do Cânion do Rio Poti. A flora de briófitas do Parque é composta por 14 espécies, distribuídas em seis famílias e oito gêneros. Destas, 13 são espécies de musgos, distribuídas em cinco famílias e sete gêneros e uma espécie de hepática (uma família e um gênero). Desse total, 12 espécies (85,7%) apresentam-se distribuídas em mais de cinco Estados do Brasil e em mais de três domínios e duas (14,3%) com rara distribuição e também em um único domínio. Esta pesquisa é a primeira para o Parque, e vem contribuir com informações importantes de registros desse grupo vegetal, em área de afloramentos rochosos do bioma Caatinga, o que amplia sobre a ocorrência e a distribuição geográfica das espécies. Novos estudos florísticos de briófitas são necessários em todos ambientes de delimitação do Parque para amostrar a real diversidade de briofitas.

 

Biografia do Autor

Lorran André Moraes, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Doutorando  em Desenvolvimento e Meio Ambiente (TROPEN-UFPI) Universidade Federal do Piauí- UFPI.. Mestre em Biodiversidade, saúde e Ambiente -UEMA. Bi-Graduado em Ciências Biológicas – UFPI/UESPI. E-mail: lorranbio@hotmail.com

Gonçalo Mendes da Conceição, Universidade Estadual do Maranhão - UEMA


Doutor em Zootecnia - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP. Mestre em Biologia Vegetal  - UFPE.  Graduado em Ciências / Biologia –UESPI. Especialista em Botânica - UFPE. Professor / Pesquisador da Universidade Estadual do Maranhão - UEMA. Coordenador do Laboratório de Biologia Vegetal - LABIVE e Curador do Herbário Prof. Aluízio Bittencourt - HABIT. Vice-Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade, Meio Ambiente e Saúde - PPGBAS.

Maria de Fátima Veras Araújo, Universidade Estadual do Piauí - UESPI

Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2015). Mestra em Ciências da Educação pela Universidade Federal do Piauí (2007). Graduada em Licenciatura Plena em Ciências com Habilitação em Biologia pela Universidade Federal do Piauí (1979). Atualmente é Professora Associada II com regime de Dedicação Exclusiva da Universidade Estadual do Piauí, na qual é Coordenadora do Curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas, lotada no Centro de Ciências da Natureza - CCN. Professora do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Biologia - Mestrado Profissional (PROFBIO) da Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

BALLEJOS, J.; BASTOS, C. J. P. Musgos Pleurocárpicos do Parque Estadual das Sete Passagens. Hoehnea, v. 36, n. 3, p.479-495, 2009.

BARRETO, L. L.; COSTA, L. R. F.; CLAUDINO-SALES, V. C. Cânion do rio Poti: contribuição para a geomorfologia estrutural do oeste cearense. In: AGUIAR, P. F.; MEIRELES, A. J. A. (Orgs.). Relevo cearense: perspectivas de análises. Porto Alegre: Liro, 2012.

BARRETO, L. L.; COSTA, L. R. F. Evolução geomorfológica e condicionantes Morfoestruturais do cânion do Rio Poti, nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Geomorfologia, São Paulo, v.15, n.3, p. 411-424, 2014.

BASTOS, C. J. P.; STRADMANN, M. T. S.; BÔAS-BASTOS, S. B. V. Additional contribution to the bryophyte flora of Chapada Diamantina National Park, state of Bahia, Brazil. Tropical Bryology, v. 15, n. 1, p. 15-20, 1998a.

BASTOS, C. J. P.; ALBERTOS, B.; VILAS-BÔAS, S. B. Bryophytes from some 'caatinga' areas in the state of Bahia (Brazil). Tropical Bryology, v.14, p. 69-75, 1998b.

BASTOS, C. J. P.; YANO, O.; BÔAS- BASTOS , S. B. V. Briófitas de campos rupestres da Chapada Diamantina, Estado da Bahia, Brasil. Revista Brasil. Bot., São Paulo, v.23, n.4, p. 359-370, 2000.

BATISTA, W. V. S. M.; SANTOS, N. D. Can regional and local fi lters explain epiphytic bryophyte distributions in the Atlantic Forest of southeastern Brazil? Acta Botanica Brasilica, v. 30, n. 3, p. 462-472. 2016.

BATISTA, W. V. S. M.; PÔRTO, K. C.; SANTOS, N. D. Distribution, ecology, and reproduction of bryophytes in a humid enclave in the semiarid region of northeastern Brazil. Acta Botanica Brasilica, v. 32, n. 2, p. 303-313, 2018.

BISANG, I.; EHRLÉN, J.; KORPELAINEN, H.; HEDENÄS, L. No evidence of sexual niche partitioning in a dioecious moss with rare sexual reproduction. Annals of Botany, v. 116, v. 5, n. 1, p. 771-779, 2015.

BRITO, E. S.; ILKIU-BORGES, A. L. Bryofl ora of the municipalities of Soure and Cachoeira do Arari, on Marajó Island, in the state of Pará, Brazil. Acta Botânica Brasílica, v. 27, v. 1, p.124-141, 2013.

BRITO, E. S.; ILKIU-BORGES, A. L. Briófitas de uma área de Terra Firme no município de Mirinzal e novas ocorrências para o estado do Maranhão, Brasil. Iheringia, Série Botânica, v. 69, n. 1, p. 133-142, 2014.

BÔAS-BASTOS, S. B. V.; BASTOS, C. J. P. Duas novas ocorrências de hepáticas folhosas (Marchantiophyta) para o estado da Bahia, Brasil. Rodriguésia, v. 67, n. 4, p. 1101-1106, 2016.

BORDIN, J. Briófitas do centro urbano de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil. 2008. 112 p. Dissertação de Mestrado. Instituto de Botânica, São Paulo. 2008.

BORDIN, J.; YANO, O. Novas ocorrências de antóceros e hepáticas para o Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasil Bot, v.32, n.2, p.189-211, 2009.

BORDIN, J.; YANO, O. Fissidentaceae (Bryophyta) do Brasil. Boletim do Instituto de Botânica, 2013.

BORDIN, J. Fissidentaceae. in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. 2015. Disponivel em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB96335. Acesso em: 06 de novembro de 2018.

BUCK, W. R. Guide to the Plants of Central French Guiana. Part 3. Mosses. Memoirs of The New York Botanical Garden, v. 76, p. 1-167, 2003.

BUCK, W. R.; GOFFINET, B. Morphology and Classification of Mosses. In: SHAW, A. J.; GOFFINET, B. (eds.). Bryophyte Biology. New York: Cambridge University Press, p. 55-138, 2009.

CASTRO, A. A. J. F. Comparação florístico-geográfica (Brasil) e fitossociológica (Piauí - São Paulo) de amostras de cerrado. 1994. 520 p. Campinas: UNICAMP, Tese (Doutorado), Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1994.

CASTRO, N. M. C. F.; PÔRTO, K. C.; YANO, O. CASTRO, A. A. J. F. Levantamento florístico de bryopsida de cerrado e mata ripícola do Parque Nacional de Sete Cidades, Piauí, Brasil. Acta bot. bras, n. 16, n. 1, p. 61-76, 2002.

CEPRO. Diagnóstico das condições ambientais de Estado do Piauí, Teresina, 1995.

CONCEIÇAO, G. M.; RUGIERI, A. C.; BRITO, E. S. Musgos Pleurocárpicos do Município de Caxias, Maranhão, Brasil. Acta Tecnológica, v. 5, n. 2, p. 32-42, 2010.

COSTA, A. M. R.; OLIVEIRA, R. R.; SÁ, N. A. S.; CONCEIÇÃO, G. M. Briófitas do Cerrado Maranhense, Nordeste do Brasil. Revista NBC, Belo Horizonte, v. 8, n. 16, p. 3-45, 2018.

COSTA, D. P. Florisitic composition and diversity of Amazonian rainforest bryophytes in the state of Acre, Brazil. Acta Amazonica, v. 33, n. 3, p. 399-414, 2003.

COSTA, D. P. Musgos do Pico da Caledônea, município de Nova Friburgo, estado do Rio de Janeiro, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 8, n. 2, p. 141-191, 1994.

COSTA, D. P.; LUIZI-PONZO, A. P. Introdução as Briófitas do Brasil. Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil. v.1, p. 61-68, 2010.

COSTA, D. P.; PERALTA, D. F. Briófitas in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: http://reflora.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB128472. Acesso em: 20 de junho de 2020.

COSTA, D. P.; PERALTA, D. F. Bryophytes diversity in Brazil. Rodriguésia, v. 66, n.4, p.1063-1071, 2015.

COSTA, F. B. Hepáticas (Marchantiophyta) do Parque Nacional Chapadas das Mesas, Maranhão, Brasil. 2017. 100 p. Dissertação (Mestrado) – Centro de Estudos Superiores de Caxias, curso de Pós-Graduação em Biodiversidade, Ambiente e Saúde. 2017.

COSTA, F. B.; SILVA, E. O.; CONCEIÇAO, G. M. Hepáticas (Marchantiophyta) e musgos (Bryophyta) da Área de Proteção Ambiental do Buriti do Meio, município de Caxias, Maranhão, Brasil. Scientia plena, v. 11, p. 4, 2015.

CRANDALL-STOTLER, B.; STOTLER, R.E.; LONG, D.G. Morphology and classification of Marchantiophyta. In: Bryophyte Biology. GOFFINET, B.; SHAW, A. J. (eds.). Cambridge University Press, Cambridge, p. 1-54, 2009.

DUFF, R. J. et al. Progress and challenges toward developing a phylogeny and classification of the hornworts. Bryologist, v. 110, p. 214-243, 2007.

FANTECELLE, L. B.; et al. Briófitas da Chapada de Canga: diversidade e importância. In: CARMO, F. F.; KAMINO, L. (Eds.), Chapada De Canga. Instituto Prístino (in publication). 2017.

FORZZA, R. C. et al. Introdução. In: FORZZA, R. C. et al. (eds.) Lista de espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. v.1. Rio de Janeiro, Jardim Botânico do Rio de Janeiro. 2010.

FRAHM, J. P. Dicranaceae: Campylopodioideae, Paraleucobryoideae. Flora Neotropica, v. 54, p.1-236, 1991.

FRAHM, J. P. Biologie der Moose. Heidelberg/Berlin, Spektrum Akademischer Verlag. 2001.

FRAHM, J. P. Manual of tropical Bryology. Tropical Bryology, v. 23, p. 1-196, 2003.

GÓES, A. M. O.; SOUZA, J. M. P; TEIXEIRA, L. B. Estagio exploratório e perspectivas petrolíferas da bacia do Parnaíba. Boletim de Geociências da Petrobrás. Rio de Janeiro, v. 4, p. 55-64, 1995.

GOFFINET, B.; BUCK, W. R.; SHAW, A. J. Morphology and Classification of the Bryophyta. In: Goffinet, B.; Shaw, A. J. (eds.). Bryophyte Biology. New York: Cambridge University Press, p. 55-138, 2009.

GRADSTEIN, S. R.; CHURCHILL, S. P.; SALAZAR-ALLEN, N. Guide to the Bryophytes of Tropical America. Memoirs of the New York Botanical Garden, New York, v. 86, 577p, 2001.

GRADSTEIN, S. R.; COSTA, D. P. The Hepaticae and Anthocerotae of Brazil. Memoirs of The New York Botanical Garden, v. 87, p. 1-318, 2003.

INÁCIO-SILVA, M.; CARMO, D. M.; PERALTA, D. F. As espécies brasileiras endêmicas de Campylopus Brid. (Bryophyta) estão ameaçadas? Uma análise usando modelagem para avaliar os seus estados de conservação. Hoehnea, v. 44, n. 3, p. 464-472, 2017.

IUCN. Guidelines for Application of IUCN Red List Criteria at Regional and National Levels: Version 4.0. Gland, Switzerland and Cambridge, UK. 2012. 41p.

IUCN. Standards and Petitions Subcommittee. Guidelines for Using the IUCN Red List Categories and Criteria. Version 10. Prepared by the Standards and Petitions Subcommittee. 2013. Disponível em: http://jr.iucnredlist.org/documents/RedListGuidelines.pdf. Acesso em: 20 de novembro de 2019.

LEMOS-MICHEL, E. Hepáticas Epífitas sobre o pinheiro-brasileiro no Rio Grande do Sul. Editora da Universidade, Porto Alegre, 2001. 191p.

Lista de Espécies da Flora do Brasil (LEFB). 2020. Disponível em: floradobrasil.jbrj.gov.br. Acesso em: 10 de fevereiro de 2019.

MACEDO, L. P. C.; ILKIU-BORGES, A. L. Richness of Marchantiophyta and Bryophyta in a protected area of the Brazilian Amazon. Acta Bot. Bras, v. 28, n. 4, p. 527-538, 2014.

MORAES, E. N. R.; LISBOA, R. C. L. Musgos (Bryophyta) da Serra dos Carajás, estado do Pará, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi, Ciências Naturais, Belém, v. 1, n. 1, p. 39-68, 2006.

MORI, S. A.; SILVA, L. A. M.; LISBOA, G.; CORANDIN, L. Manual de manejo do herbário fanerogâmico. 2 ed. Ilhéus: Centro de Pesquisas do Cacau. 1989. 103 p.

OLIVEIRA, H. C.; ALVES, M. H. Adições à brioflora do Estado do Ceará, Brasil. Rodriguésia, v. 58, p.1-11, 2007.

OLIVEIRA, H. C.; BASTOS, C. J. P. Musgos pleurocárpicos da Chapada da Ibiapaba, Ceará, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 24, n. 1, p.193-204, 2010a.

OLIVEIRA, H. C.; BASTOS, C. J. P. Fissidentaceae (Bryophyta) da Chapada da Ibiapaba, Ceará, Brasil. Revista Brasileira de Botânica, v. 33, p. 393-405, 2010b.

OLIVEIRA, R. R. Musgos (Bryophyta) do Parque Nacional da Chapada das Mesas, Maranhão, Brasil. 2017. 148p. Dissertação (Mestrado) – Centro de Estudos Superiores de Caxias, curso de Pós-Graduação em Biodiversidade, Ambiente e Saúde. 2017.

OLIVEIRA, R. F.; SILVA, G. S.; OLIVEIRA, R. R.; OLIVEIRA, H. C.; CONCEIÇÃO, G. M. Musgos (Bryophyta) de um fragmento do cerrado maranhense, Brasil. Biota Amazônica, Macapá, v. 8, n. 2, p. 12-18, 2018.

PEÑALOZA-BOJACÁ, G. F.; OLIVEIRA, B. A.; ARAÚJO, C. A. T.; FANTECELLE, L. B.; MACIEL-SILVA, A. S. Bryophyte reproduction on ironstone outcrops: delicate plants in harsh environments. Flora (in press), 155-161, 2017.

PERALTA, D. F. Musgos (Bryophyta) do Parque Estadual da Ilha Anchieta (PEIA) São Paulo, Brasil. 2005. 227p. Dissertação de mestrado, Instituto de Botânica, São Paulo. 2005.

PERALTA, D. F.; BRITO, E. S. I.; VARÃO, L. F.; CONCEIÇÃO, G. M.; CUNHA, I. P. R. Novas ocorrências e lista das briófitas do estado do Maranhão, Brasil. Pesquisa em Foco, v. 19, n.1, p. 63-78, 2011.

PERALTA, D. F.; SILVA, A. L.; CARMO, D. M.; SANTOS, E. L. D.; LIMA, J. S.; AMELIO, L. A.; SILVA, M. S. D.; PRUDÊNCIO, R. X. A. Splachnobryaceae, In: Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. 2020. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB97113. Acesso em: 06 Nov. 2018.

POREMBSKI, S. Tropical inselbergs: habitat types, adaptative strategies and diversity patterns. Revista Brasileira de Botânica, v. 30, n. 4, p. 579-586, 2007.

PÔRTO, K. C.; SILVEIRA, M. F. G.; ALMEIDA, P. S. Briófitas da Caatinga l.estação experimental do Ipa, Caruaru – PE. Acta boI. Bras, v.8, n1, p. 77-85, 1994.

PÔRTO, K. C.; BEZERRA, M. F. A. Briófitas de caatinga. 2. Agrestina, pernambuco, brasil. Acta bot. bras, v. 10, n. 1, p. 93-102, 1996.

PÔRTO, K. C.; SILVA, I. C. C.; REIS, L. C.; MACIEL-SILVA, A. S. Sex ratios and sporophyte production in the moss Bryum argenteum Hedw. on a rock outcrop, north-eastern Brazil. J. Bryol, p. 1-5, 2016.

PROCTOR, M. C. F. Chapter 10: Physiological Ecology: Water relations, light and temperature responses, carbon balance. In: A.J.E. Smith (ed.). Bryophyte Ecology. 2 ed. Chapman and Hall, New York, p. 333-382, 1982.

PROCTOR, M. C. F.; OLIVER, M. J.; WOOD, A. J.; ALPERT, P.; STARK, L.; CLEAVITT, N.; MISHLER, B. Desiccation-tolerance in bryophytes : a review Desiccation-tolerance in bryophytes : a review. The American Bryological and Lichenological Society, v. 110, 595-621, 2007.

PURSELL, R. A. Fissidentaceae: Flora Neotropica Monograph, v. 101, p. 1-278, 2008.

RAMSAY, H. P.; BERRIE, G. K. Sex determination in bryophytes. J. Hattori Bot. Lab. 52, p. 255-274, 1982.

ROSENGREN, F.; CRONBERG, N. Selective spore germination on shoots of Homalothecium lutescens, a moss with dwarf males. Biol. Lett., n. 11, p. 1-4. 2015.

SANTOS, R. C. P.; LISBOA, R. C. L. Musgos (bryophyta) da microrregião do Salgado Paraense e sua utilização como possíveis indicadores de ambientes perturbados. Rodriguésia, v. 59, n. 2, p. 361-368, 2008.

SANTOS, F. J. L.; CONCEIÇÃO, G. M. Espécies da Brioflora do Parque Estadual do Mirador, Maranhão, Brasil. Cadernos de Geociências, v. 7, n. 2, p. 136-139, 2010.

SHAW, A. J.; GOFFINET, B., Bryophyte Biology. Cambridge, New York, Melbourne, Madrid, Cape Town, Singapore, São Paulo, 2. ed., 2009.

SILVA, J. B.; GERMANO, S. R. Bryophytes on rocky outcrops in the caatinga biome: a conservationist perspective. Acta Botanica Brasilica, v. 27, n. 4, p. 827-35, 2013.

SILVA, J. B.; SILVA, M. P. P.; PÔRTO, K. C. Briófitas de afloramentos rochosos do Estado de Pernambuco, Brasil. Boletim do Museu de Biologia Mello Leitão, v. 36, p. 85-100, 2014a.

SILVA, J. B.; SANTOS, N. D.; PÔRTO, K. C. Betadiversity: effect of geographical distance and environmental gradients on the rocky outcrop bryophytes. Cryptogamie, Bryologie, v.35, p. 133-63, 2014b.

SILVA, J. B.; PÔRTO, K. C. Can we use the acrocarpous moss gametophyte length to assess microclimatic conditions in harsh environmental? Frahmia, v.12, p. 1-9, 2016.

SILVA, J. B. et al. Bryophyte richness of soil islands on rocky outcrops is not driven by island size or habitat heterogeneity. Acta Botanica Brasilica, v. 32, n. 2, p. 161-168, 2018a.

SILVA, J. B.; et al. Different trait arrangements can blur the significance of ecological drivers of community assembly of mosses from rocky outcrops. Flora, v. 238, p. 43-50, 2018b.

SILVA, A. M.; OLIVEIRA, R. R.; CONCEIÇÃO, G. M. Musgos (Bryophyta) do Morro do Alecrim, centro urbano de Caxias, Maranhão, Brasil. Rev. Arq. Científicos (IMMES). v. 1, n. 1, p. 55-62, 2018.

SIQUEIRA, S. M. C.; COSTA, P. S.; SOUZA, E. B.; OLIVEIRA, H. C. Briófitas de um remanescente de Mata Atlântica no Município de Ubajara, CE, Brasil. Hoehnea, v. 38, n. 4, p. 597-608, 2011.

VALENTE, E. B.; PÔRTO, K. C. Briófitas de uma área de afloramento rochoso na Serra da Jibóia, município de Santa Teresinha, Bahia, Brasil. Boletim do Instituto de Botânica, v.18, p. 207-11, 2006a.

VALENTE, E. B.; PÔRTO, K. C. Hepáticas (Marchantiophyta) de um fragmento de Mata Atlântica na Serra da Jibóia, município de Santa Teresinha, BA, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 20, p. 433-441, 2006b.

VALENTE, E. B.; PÔRTO, K. C.; BASTOS, C. J. P. Species richness and distribution of bryophytes within different phytophysiognomies in the Chapada Diamantina region of Brazil. Acta Botanica Brasilica, v. 27, n. 2, p. 294-310, 2013.

VANDERPOORTEN, A.; GOFFINET, B. Introduction of Bryophytes. Cambridge University Press, 2009. 294p.

VARAO, L. F.; CUNHA, I. P. R.; PERALTA, D. F. Levantamento de briófitas do distrito Bananal, município de Governador Edison Lobão, Maranhão, Brasil. Revista de Biologia e Ciência da Terra, v. 11, n. 2, p. 88-92, 2011.

VIANA, P. L. et al. Flora of the cangas of the Serra dos Carajás Pará, Brazil: history, study area and methodology. Rodriguésia, v. 67, p. 1107-1124, 2016.

VIEIRA, H. C. A.; OLIVEIRA, R. R.; SILVA, M. L. A.; SILVA, D. L. S.; CONCEIÇÃO, G. M.; OLIVEIRA, H. C. Briófitas de ocorrências em São João do Sóter, Maranhão, Brasil. Acta Brasiliensis, v. 1, n. 2, p. 8-12, 2017.

VISNADI, S. R. Parque Estadual das Fontes do Ipiranga: unidade de conservação importante para a proteção da brioflora da Mata Atlântica na cidade de São Paulo, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Naturais, v. 3, n. 10, p. 437-469, 2016.

WAGNER, S.; BADER, M. Y.; ZOTZ, G. Physiological Ecology of Tropical Bryophytes. In: HANSON, D. T.; RICE, S. K. (eds.). Photosynthesis in Bryophytes and Early Land Plants. Springer, New York, p. 269-290, 2014.

YANO, O.; BORDIN, J.; PERALTA, D. P. Briófitas dos Estados do Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte (Brasil). Hoehnea, v. 36, p. 387-415, 2009.

YANO, O.; J. BORDIN. Ampliação do conhecimento sobre a distribuição geográfica de espécies de briófitas no Brasil. Bol. Soc. Argent. Bot., v. 52, n. 2, p. 383-392, 2017.

Downloads

Publicado

2021-10-15

Como Citar

Moraes, L. A., Conceição, G. M. da, & Araújo, M. de F. V. (2021). Brioflorula (bryophyta\musgos e marchantiophyta\hepáticas) do Parque Estadual Cânion do rio Poti, Buriti dos Montes – PI. Geografia Ensino & Pesquisa, 25, e28. https://doi.org/10.5902/2236499447876

Edição

Seção

Meio Ambiente, Paisagem e Qualidade Ambiental