A racialização do espaço urbano da cidade de Curitiba - PR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236499446911

Palavras-chave:

invisibilidade, racialização, segregação

Resumo

O presente artigo, resultado de uma dissertação de mestrado, objetiva apontar como o planejamento urbano da cidade de Curitiba resultou em um processo de segregação espacial e como, neste contexto, se espacializa, a segregação de base racial na cidade. A metodologia adotada pautou-se em pesquisas bibliográficas e elaboração de mapa com base nos dados de cor/raça do Censo Demográfico (IBGE, 2010). Na primeira seção discutimos que ao longo dos processos históricos/geográficos de planejamento urbano de Curitiba, se forjaram pressões territoriais aos grupos pobres e negros para habitarem longe das regiões centrais da cidade. Posteriormente, apresentamos através de mapas de cor e renda dos habitantes dos bairros de Curitiba a diferenciação socioespacial entre grupos negros e brancos na cidade. Ao final, constata-se que a população negra curitibana vivência uma diferença na distribuição espacial na cidade em relação ao grupo branco, ou seja, existe uma ordem sócio-espacial racializada na cidade que estabelece uma seletividade e marginalização espacial a esses grupos.

Biografia do Autor

Glaucia Pereira do Nascimento, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil

Licenciada (2016) e Bacharela (2017) em Geografia pela Universidade Federal do Paraná. Mestra em Geografia pela mesma instituição (Linha Produção do Espaço e Cultura)
e participante do Laboratório Coletivo de Estudos sobre Conflitos pelo Território e pela Terra (ENCONTTRA). Tem experiência na área de Geografia, atuando principalmente nos seguintes temas: Conflitos pela terra e pelo território em especial nas comunidades quilombolas, relações raciais, território e territorialidade negra.

Referências

ALBUQUERQUE, A. F. A questão habitacional em Curitiba: o enigma da cidade-modelo. 2013. 157 p. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Setor Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16137/tde-20052010 092803/publico/Aline_Albuquerque.pdf Acesso em: 02/12/2020.

BRUSTOLIN, C. Reconhecimento e Desconsideração: a regularização fundiária dos territórios quilombolas sob suspeita. 2009. 277 p. Tese (Doutorado em Sociologia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

CAMPOS, A. de O. O planejamento urbano e a “invisibilidade” dos afrodescendentes: discriminação étnico-racial, intervenção estatal e segregação sócio-espacial na cidade do Rio de Janeiro. Anuário do Instituto de Geociências, Rio de Janeiro, v. 29, n. 2, p. 225-246, 2006. Disponível em: http://www.ppegeo.igc.usp.br/index.php/anigeo/article/view/4891. Acesso em: 10 out. 2020.

CARVALHO, A. S.; SUGAI, M. I. Estado, investimentos e exclusão social: a produção do espaço da pobreza em Curitiba. Oculum Ensaios, Campinas v. 11, n. 2, p. 318-334, 2014.

CARVALHO, A. S. Uma cidade excludente: Planejamento urbano e a segregação socioespacial em Curitiba. In: II SNPD. Florianópolis. Anais [...] Florianópolis: UDESC, v.1, 2014.

CARVALHO, A. S. Vivendo às margens: Habitação de Interesse Social e o processo da segregação socioespacial em Curitiba. 2014. 314 p. Dissertação (Mestrado em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

CARVALHO, T. V. R. de. A identidade do movimento Hip-Hop curitibano a partir da análise do discurso de letras de música de Rap. 2011. 141 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

CARVALHO, T. V. R. de. O silêncio sobre o negro na construção da identidade de Curitiba: memória e esquecimento. 2016. 178 p.Tese (Doutorado em Letras), Setor de Ciências Humanas da Universidade Federal do Paraná, Curitiba,2016.

FERREIRA, D.C.; RATTS, A. Geografia da Diferença: Diferenciações Socioespaciais e Raciais. Revista Geoamazônia, Belém, v. 4, n. 7, p. 97-105, 2016.

FERREIRA G. G. Geo-grafias negras & geografias negras. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), Goiânia, v. 12, n. Ed. Especial, p. 292-311, abr. 2020. Disponível em: http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/866. Acesso em: 26 maio 2020.

FRANÇA, D. S. do N. Raça, Classe e Segregação Residencial no Município de São Paulo. 2010. 134 p. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo 2010.

GAZETA DO POVO. Cinco cidades brasileiras integram lista das mais desiguais do mundo. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/cinco-cidades-brasileiras-integram-lista-das-mais-desiguais-do-mundo-289ip4tf7gr70xp5s0uhycd3i/. Em 2012 a cidade parece também como a 6.ª pior cidade da América Latina em distribuição de renda. Acesso em: 01/06/2020.

GONZALEZ, L; HASENBALG, C. Lugar de negro. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1982.

GUTIERREZ, H. Donos de terras e escravos no Paraná: padrões e hierarquias nas primeiras décadas do século XIX, História (São Paulo), São Paulo, v. 25, n. 1, p.100-122, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-90742006000100005&script=sci_abstract&tlng=pt#:~:text=Nas%20primeiras%20d%C3%A9cadas%20do%20s%C3%A9culo%20XIX%20a%20reparti%C3%A7%C3%A3o%20da%20terra,parte%20dos%20propriet%C3%A1rios%20de%20escravos. Acesso em: 10 Out 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Bruto nominal a preços correntes (2016). Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/curitiba/pesquisa/38/47001?tipo=ranking

IPPUC. Curitiba em dados. Disponível em http://www.ippuc.org.br/default.php?pagina=348

MARTINS, W. Um Brasil diferente: ensaio sobre fenômenos de aculturação no Paraná. 2. ed. São Paulo: T. A. Queiroz, 1989. (Coleção Coroa Vermelha. Estudos Brasileiros; v. 16)

OLIVEIRA, D. A. de. Por uma Geografia das relações raciais: o racismo na cidade do Rio de Janeiro. 2011. 274 p. Tese (Doutorado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2011.

OLIVEIRA, D. A. de. O marketing urbano e a questão racial na era dos megaempreendimentos e eventos no Rio de Janeiro. R. B. ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS, v. 16, n. 1. Rio de Janeiro, 2014.

POLUCHA, R. S. Ecoville: construindo uma cidade para poucos. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais (ANPUR), v. 11, n, 1, Rio de Janeiro, 2009.

RAMOS, M. E. R. Território Afrodescendente: leitura de cidade através do bairro da Liberdade, Salvador (Bahia). Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo: PPGAU/UFBA, Salvador, 2007.

RAMOS, M. E. Bairros Negros: uma Lacuna nos Estudos Urbanísticos Um estudo empírico-conceitual no Bairro do Engenho Velho da Federação, Salvador (Bahia). Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – UFBA, Salvador, 2013.

RATTS, A. Gênero, raça e espaço: trajetórias de mulheres negras. In: Encontro Nacional da ANPOCS, 27, Caxambu, out. 2003.

RATTS, A. Corporeidade e diferença na Geografia Escolar e na Geografia da escola: Uma abordagem interseccional de raça, etnia, gênero e sexualidade no espaço educacional. Terra Livre, São Paulo, v. 1, n. 46, p. 114-141, 2016.

ROLNIK, R. O que é cidade. São Paulo: Brasiliense, 1988.

ROLNIK, R. Territórios negros nas cidades brasileiras (etnicidade e cidade em São Paulo e no Rio de Janeiro), Estudos Afro-Asiáticos. Rio de Janeiro, n° 17, 1989.

ROLNIK, R. Territórios negros nas cidades brasileiras: etnicidade e cidade em São Paulo e Rio de Janeiro. In: SANTOS, Renato Emerson dos (org.). Diversidade, espaço e relações étnico-raciais: o negro na geografia do Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 75-90.

SÁNCHEZ, G. F. A reinvenção das cidades na virada de século: agentes, estratégias e escalas de ação política. Revista de Sociologia Política, Curitiba, n. 16, p. 31-49, jun. 2001.

SÁNCHEZ, G. F. A reinvenção das cidades para um mercado mundial. 1. ed. Chapecó: Argos Editora Universitária, 2003.

SÁNCHEZ, G. F. Curitiba imagem e mito: reflexão acerca da construção social de uma imagem hegemônica. Dissertação (Mestrado) - IPPUR-UFRJ, Rio de Janeiro, 1993.

SANTOS, R. E. dos. Rediscutindo o ensino de geografia: temas da Lei 10.639. Rio de Janeiro: CEAP, 2009.

SANTOS, R. E. dos. Sobre espacialidades das relações raciais: raça, racialidade e racismo no espaço urbano. In: SANTOS, Renato Emerson dos (Org.). Questões urbanas e racismo. Petrópolis: De Petrus, 2012.

SOUZA, M G. Juventude negra e racismo: o movimento hip hop em Curitiba e a apreensão da imagem de “Capital Européia” em uma “harmonia racial”. 2003. 150 p. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Programa de Pós-graduação em Sociologia. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2003.

SOUZA, M G. Ações afirmativas e inclusão de negros por “cotas raciais” nos serviços públicos do Paraná. Tese (Doutorado em Sociologia) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Faculdade de Ciências e Letras, Unesp, Araraquara, 2010.

TELLES, E. O Significado da Raça na Sociedade Brasileira. Trad. Ana Arruda Callado. Versão divulgada na internet em agosto de 2012.

Downloads

Publicado

2021-09-08

Como Citar

do Nascimento, G. P. (2021). A racialização do espaço urbano da cidade de Curitiba - PR. Geografia Ensino & Pesquisa, 25, e24. https://doi.org/10.5902/2236499446911

Edição

Seção

Produção do Espaço e Dinâmica Regional