Periodização como Metodologia de Análise Regional: O Caso da Região de Amargosa – Bahia

Robson Oliveira Lins, Ricardo Bahia Rios

Resumo


Nos últimos anos, o mundo tem passado por rápidas transformações. O acirramento da competição produtiva, comercial e financeira em escala internacional cria dificuldades para algumas regiões se adequarem aos novos
processos econômicos, fazendo com que estas se reestruturem, promovendo profundas mudanças no perfil organizacional e produtivo do seu espaço. Desta forma, para entender a gênese e evolução do espaço regional de Amargosa até chegar a sua realidade atual, é essencial um esforço de periodização, ou seja, encontrar e desenvolver um panorama histórico contextualizado das suas transformações espaciais. Contudo, este artigo faz uma análise das relações sociais, construindo as estruturas espaciais pretéritas que possam indicar a gênese, decadência e/ou ascendência e dinâmica atual da região.


Texto completo:

PDF

Referências


CLÉSIA, MD. Café: histórico, negócios e elite. São Paulo: OLHO

D’ÁGUA, 2004.

DINIZ, J. A. ; DUARTE, A. C. (coord). A Região cacaueira da

Bahia. Recife, SUDENE, 1983.

FONSECA, Miguel C. Aspecto do desenvolvimento regional do

recôncavo no sul baiano: o caso do município de Cachoeira Bahia

- Brasil. 2006. Tese (Doutorado em Planejamento Territorial e

Desenvolvimento Regional) - Faculdade de Geografia e História,

Universidade de Barcelona, Barcelona.

SASSEN, S. As cidades na economia mundial. São Paulo: Nobel,

SANTOS, Milton (Coord). A Região de Amargosa. Bahia:

Comissão de Planejamento Econômico, 1963.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço habitado. São Paulo:

HUCITEC, 1996.

_______. Espaço eMétodo. 4. ed. São Paulo: Nobel, 1997.

_______. Economia espacial. São Paulo: Edusp, 2003.

_______. Por uma outra globalização. São Paulo: Record, 2000.

SOUZA, M.L. de. Território: sobre espaço e poder, autonomia e

desenvolvimento. In: CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo

César; CORRÊA, Roberto Lobato. (Org). Geografia Conceitos e

Temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.

NETO, R L. Caracterização da degradação e resposta de pastagens

com Brachiaria decumbens Stapf: à interação de N:P na região de

Amargosa - BA. 2002. 131f. Dissertação (Mestrado em Uso,

Manejo e Conservação do Solo e Água) –Universidade Federal da

Bahia, Cruz dasAlmas, 2002.

NETO, L.G. Introdução à formação econômica do Nordeste.

Recife, Fundaj/Massangana, 1997.

WEBER, Max Capitalismo e sociedade rural na Alemanha. In:

Ensaios de Sociologia. 5.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor,


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas