Estimativa de conforto térmico no entorno do Instituto Federal de Mato Grosso: estudo de caso no campus Sorriso

Mauro Sergio de França, Ednei Dombski, Danielli Souza de Melo, Márcio Castanha, Silvana Maria Bertoldo de França

Resumo


O objetivo deste estudo foi estimar o conforto térmico na cidade de Sorriso, estado de Mato Grosso, Brasil. Para isso utilizou-se dois termo-higrômetros para registros das variáveis microclimáticas em duas áreas distintas da cidade, sendo elas o entorno da sede atual e o entorno da sede futura do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Campus Sorriso. Para calcular a estimativa utilizou-se o Índice de Temperatura e Umidade (ITU) obtido em dias representativos para a sazonalidade regional de 2013 durante três horários. Os resultados mostraram predomínio de dias confortáveis pela manhã, extremamente desconfortáveis à tarde e levemente desconfortáveis a noite (estação chuvosa) e dias extremamente desconfortáveis pela manhã e tarde, levemente desconfortáveis a noite (estação seca).


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Elis Dener Lima e BIUDES, Marcelo Sacardi. “Padrões de temperatura e da umidade relativa: estudo de caso no campus da Universidade Federal de Mato Grosso”. Boletim de Geografia. Maringá/PR. v.30, n.3, p.5-16, 2012.

BARBIRATO, G.M.; SOUZA, L.C.L.; TORRES, S.C. Clima e Cidade: a abordagem climática como subsídios. Maceió: EDUFAL, 2007, 154 p. 2007.

COSTA, Antônio Carlos Lôla da, et al. “Variações termo-higrométricas e influências de processo de expansão urbana em cidade equatorial de médio porte”. Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities research medium. Ituiutaba/MG, v.4, n.2, p.615-632, jul./dec. 2013.

DUARTE, Denise Helena Silva e SERRA, Geraldo Gomes. “Padrões de ocupação do solo e microclimas urbanos na região de clima tropical continental brasileira: correlações e proposta de um indicador”. Ambiente Construído. Porto Alegre/RS, v.3, n.2, p.7-20, abr./jun.

DUARTE, Denise Helena Silva. “Variáveis urbanísticas e microclimas urbanos – Modelo empírico e proposta de um indicador”. FÓRUM PATRIMÔNIO: ambiente construído e patrimônio sustentável. Belo Horizonte/MG, v.4, n.1, jan./jun. 2010.

FERREIRA, João Carlos Vicente. Mato Grosso e seus municípios. Cuiabá/MT: Secretaria de Estado de Educação, 2001.

FRANCO, Fernanda Miguel, et al.”Traçado urbano e sua influência no microclima: um estudo de caso em centro histórico”. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. Santa Maria/UFMS, v.9, n.9, p.1916-1931, fev. 2013.

FRANÇA, Mauro Sergio de; MAITELLI, Gilda Tomasini; NOGUEIRA, Marta Cristina de Jesus Albuquerque. “Variações microclimáticas no entorno de duas escolas públicas na cidade de Cuiabá/MT”. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. Santa Maria/UFMS, v.15, n.15, p.3012-3018, out. 2013.

FROTA, Anésia Barros e SCHIFFER, Sueli Ramos. Manual de conforto térmico: arquitetura e urbanismo. 7ª ed. São Paulo: Stúdio Nobel, 2003.

GOMES, Patrícia Silva e LAMBERTS, Roberto. “O estudo do clima urbano e a legislação urbanística: Considerações a partir de Montes Claros/MG”. Ambiente Construído. Porto Alegre/RS. v.9, n.1, p.73-91. jan./mar. 2009.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. “Censo demográfico do Brasil”. Rio de Janeiro, 2010. Acesso em 12/12/2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. “Estimativa Populacional 2013”. Disponível em: Acesso em 26/02/2014.

LABAKI, Lucila Chebel, et al.”Vegetação e conforto térmico em espaços urbanos abertos”. FÓRUM PATRIMÔNIO: Mudanças climáticas e impactos nas cidades. Belo Horizonte/MG. v.4, n.1, p.23-42. 2011.

MACIEL, Carolina Rezende; NOGUEIRA, Marta Cristina de Jesus Albuquerque; NOGUEIRA, José de Souza. “Cobertura do solo e sua influência na temperatura de microclimas urbanos na cidade de Cuiabá/MT”. Caminhos de Geografia. Uberlândia/MG, v. 12, n. 38, p. 40-57. set/2011.

MATIAS, V.R.S. & COSTA, J.M. “Análise climática em Belo Horizonte pela variação do conforto a partir de uma série temporal”. Hygeia. v.8, n.14, p.15-29, jun./2012.

MONTEIRO. Carlos Augusto de Figueiredo. “A cidade como processo derivador ambiental e estrutura geradora de um Clima urbano”. GEOSUL. Florianópolis/SC, v. 5 n.9, p.80-114, 1990.

NÓBREGA, R.S.; LEMOS, T.V.S. “O microclima e o (des) conforto térmico em ambientes abertos na cidade de Recife”. Revista de Geografia (UFPE). v.28, n.1, 2011.

ROCHA, Vinícius Machado e FIALHO, Edson Soares. “Uso da terra e suas implicações na variação termo-higrométricas ao longo de um transecto campo-cidade no município de Viçosa/MG”. Revista de Ciências Humanas. v.10, n.1, p.64-77, jan./jul. 2010.

SANTOS, J.S.; SILVA, V.P.R.; SILVA, E.R.; ARAÚJO, L.E.; COSTA, A.D.L. “Campo térmico urbano e sua relação com o uso e cobertura do solo em cidade tropical úmida”. Revista Brasileira de Geografia Física. v.3, p.540-557, 2012.

SANTOS, Flávia Maria de Moura, et al. “Influência da ocupação do solo no clima urbano de Cuiabá, estado de Mato Grosso, Brasil”. Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities research medium. Ituiutaba/MG, v.4, n.1, p.100-121, jan./jun. 2013.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral. “Anuário Estatístico de Mato Grosso – 2009”. vol. 29, Cuiabá/MT, 2009.

SETTE, D.M.; RIBEIRO, H.; SILVA, E.N. “O índice de temperatura fisiológica equivalente (PET) aplicado à Londrina/PR e sua relação com doenças respiratórias”. Revista Geonorte. Ed. Especial 2, v.2, n.5, p.813-825, 2012.

SILVA JUNIOR, João de Athaydes, et al. “Relações entre percepções térmicas e índices de conforto térmico dos habitantes de uma cidade tropical na Amazônia Oriental”. Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities research medium. Ituiutaba/MG, v.3, n.2, p.395-407, jul./dec. 2012.

SOUZA, Suzethe Costa e MAITELLI, Gilda Tomasini. “Mudanças climáticas na interface superfície urbanizada atmosfera”. Anais do X Encontro de Geógrafos da América Latina. Universidade de São Paulo. mar. 2005.

SOUZA, A.; PAVÃO, H.G.; LASTORIA, G.; GABAS, S.G.; CAVAZZANA, G.H.; PARANHOS FILHO, A.C. “Um estudo de conforto e desconforto térmico para o Mato Grosso do Sul”. Revista de Estudos Ambientais (Online). v. 12, n.2, p.15-25. jul./dez. 2010.

VITAL, Luis Augusto Bekker; MOREIRA, Elvis Bergue Mariz e NÓBREGA, Ranyére Silva. “Estimativa do índice de desconforto humano em um transecto no município Olinda/PE”. Revista Geonorte. Ed. Especial 2, v.2, n.5, p.761-772.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499419381

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas