O DESAMPARO E A INVISIBILIDADE DOS REFUGIADOS AMBIENTAIS: ESTUDO À LUZ DO CASO BANGLADESH

Douglas Luis Binda Filho, Júlia Chequer Feu Rosa, Letícia Pereira de Lemos, Margareth Vetis Zaganelli

Resumo


Este artigo visa a analisar a situação dos refugiados oriundos de catástrofes naturais, por desastres causados devido a ações antrópicas e por aqueles cuja causa é essencialmente ambiental, à luz do caso Bangladesh, considerado um dos países mais afetados pelo aquecimento global. Com esse desígnio, a partir de metodologia exploratória, utilizando pesquisa bibliográfica e documental, dispõe a respeito do conflito etimológico do termo “refugiado”, uma vez que considera-se haver uma exclusão dos refugiados ambientais e, consequentemente, geram-se dificuldades de estabelecer métodos eficazes de proporcionar asilo a esses indivíduos. Visa-se discorrer de modo a comprovar a complexa conjuntura em que essas pessoas se encontram, uma vez que, ainda que consigam se deslocar para outros territórios, há uma forte presença de xenofobia e uma dificuldade de adaptação dos indivíduos ao destino. Além disso, o estudo visa ressaltar a existência do Projeto de Limoges e a sua importância para a futura criação de dispositivos legais que compreendam o tema em sua especificidade. Conclui-se ainda que, embora não haja dispositivos que auxiliem diretamente no entendimento dos refugiados ambientais, esses indivíduos deslocados são, antes de tudo, titulares de direitos humanos e, portanto, é importante reconhecê-los como detentores dos direitos básicos de todo ser humano.


Palavras-chave


Refugiados ambientais; Caso Bangladesh; Projeto de Limoges; Asilo; Xenofobia.

Texto completo:

PDF

Referências


AGENCIA EFE. Daca, 30 maio 2017. Disponível em:

<https://www.efe.com/efe/brasil/mundo/ciclone-mora- toca-terra- em-bangladesh- enquanto-se-

mantem-alerta- maximo/50000243-3281669>. Acesso em: 24 dez. 2017.

AGENCIA EFE. Daca, 26 out. 2017. Disponível em:

<https://www.efe.com/efe/brasil/sociedade/bangladesh-proibe- casamento-entre- rohingyas-e-

cidad-os- locais/50000246-3419311>. Acesso em: 24 dez. 2017.

ALVES, Angela Limongi Alvarenga. Refúgio e Soberania Estatal: “Refugiados Ambientais”:

Angela Limongi Alvarenga Alves. In: JUBILUT, Liliana Lyra et al (Org.). "Refugiados

Ambientais". Boa Vista: Editora Ufrr, 2018. p. 16-41. Disponível em:

<https://ufrr.br/editora/index.php/editais?download=401:refugiados-ambientais>. Acesso em: 18

mar. 2018.

ANDRADE, José H. Fischel de. Direito internacional dos refugiados: evolução histórica (1921-

. Rio de Janeiro: Renovar, 1996, p. 8-9

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. Tradução de Sebastião

Nascimento. São Paulo: Editora 34, 2010, p. 26-27.

CAVEDON-CAPDEVILLE, Fernanda de Salles; PRIEUR, Michel; LAVIEILLE, Jean-Marc. O

Projeto de Convenção de Limoges sobre o Estatuto Internacional dos Deslocados Ambientais. In:

JUBILUT, Liliana Lyra et al (Org.). "Refugiados Ambientais". Boa Vista: Editora Ufrr, 2018. p.

-41. Disponível em: <https://ufrr.br/editora/index.php/editais?download=401:refugiados-

ambientais>. Acesso em: 18 mar. 2018.

CENTRO DE PESQUISA EM EPIDEMIOLOGIA E DESASTRES (CRED) (Bélgica). HUMAN COST OF NATURAL DISASTERS 2015: A global perspective. Bruxelas: Cred, 2015. Tradução

nossa. 24 dez. 2017

CLARO, Carolina de Abreu Batista. A Proteção dos “Refugiados Ambientais” no Direito Internacional. Rev. Interdiscip. Mobil. Hum., Remhu, Brasília, v. 24, n. 47, p.215-218, ago. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/remhu/v24n47/1980-8585- REMHU-24- 47-215.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2018.

CLARO, Carolina de Abreu Batista. A PROTEÇÃO DOS “REFUGIADOS AMBIENTAIS”

NO DIREITO INTERNACIONAL. 2015. 328 f. Tese (Doutorado) - Curso de Direito,

Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em:

<http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2135/tde-08042016- 155605/pt-br.php>. Acesso em:

mar. 2018.

Escritório do Coordenador Residente da ONU Bangladesh. Bangladesh: HCTT Response Plan

- Monsoon Floods (August 2017-January 2018). Disponível em:

<https://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/Bangladesh_RP_MonsoonFlood_010917.

pdf>. Acesso em: 25 mar. 2018.

GÁMEZ, Luna; GARCIA, Carlos; SPLENDORE, Juliana. Cresce o número de refugiados no

mundo em função do clima. 2015. Disponível em: <https://www.socioambiental.org/pt-

br/noticias-socioambientais/cresce- o-numero- de-refugiados- no-mundo- em-funcao- do-clima>. Acesso em: 25 mar. 2018

GARCIA, Evelin Naiara; GONÇALVES, Allyson Julio. Refugiados ambientais: um desafio internacional. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 14,n. 2374,2009.

Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/14128>. Acesso em: 25 mar. 2018.

JUBILUT, Liliana Lyra. O Direito internacional dos refugiados e sua aplicação no ordenamento jurídico brasileiro / Liliana Lyra Jubilut. - São Paulo: Método, 2007. 240p.

ONU. Declaração nº 1, de 1987. Declaração de Cartagena. Cartagena das Índias , 22 nov. 1984. p. 1-5. Disponível em:

<http://www.acnur.org/fileadmin/scripts/doc.php?file=fileadmin/Documentos/portugues/BD_Leg

al/Instrumentos_Internacionais/Declaracao_de_Cartagena>. Acesso em: 18 mar. 2018.

ONU. Estatuto nº 1, de 1951. Convenção Relativa Ao Estatuto dos Refugiados (1951). Genebra, 28 jul. 1951. p. 1-21. Disponível em:

<http://www.acnur.org/t3/fileadmin/Documentos/portugues/BDL/Convencao_relativa_ao_Estatut

o_dos_Refugiados.pdf?view=1>. Acesso em: 18 fev. 2018.

PENTINAT, Susana Borràs. REFUGIADOS AMBIENTALES: EL NUEVO DESAFíO DEL DERECHO INTERNACIONAL DEL MEDIO AMBIENTE. Revista de Derecho, Barranquilla, v. , n. 2, p.85-108, dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.cl/pdf/revider/v19n2/art04.pdf>.

Acesso em: 19 nov. 2017. Tradução nossa.

LUDOVICO, Marco. Le nuove rotte dei migranti: dal Bangladesh in Turchia e Libia, poi il gommone per l’Italia. 2017. Disponível em: <http://www.ilsole24ore.com/art/notizie/2017-05-

/bangladesh-turchia- libia-poi- gommone-l- italia--

shtml?uuid=AEa2uNUB&refresh_ce=1>. Acesso em: 26 mar. 2018.

MASSEY, Douglas S.. Patterns and Processes of International Migration in the 21st Century. In: CONFERENCE ON AFRICAN MIGRATION IN COMPARATIVE PERSPECTIVE, 1., 2003, Joanesburgo, África do Sul. Patterns and Processes of International Migration in the 21st Century. Joanesburgo, África do Sul: University Of Pennsylvania, 2003. p. 1 - 3. Disponível em:

<http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.473.925&rep=rep1&type=pdf>.

Acesso em: 24 dez. 2017. Tradução nossa.

PEREIRA, Luciana Diniz Durães. O DIREITO INTERNACIONAL DOS REFUGIADOS: ANÁLISE CRÍTICA DO CONCEITO “REFUGIADO AMBIENTAL”. 2009. 172 f. Dissertação

(Mestrado) - Curso de Direito, PontifÍcia Universidade CatÓlica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

PINTO, Anne Fernanda Rocha da Silva. Refugiados ambientais. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XII, n. 71, dez 2009. Disponível em: <http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=6845>. Acesso em: 15 nov. 2017.

RAMOS, Érika Pires. REFUGIADOS AMBIENTAIS: EM BUSCA DE RECONHECIMENTO PELO DIREITO INTERNACIONAL. 2011. 150 f. Tese (Doutorado) - Curso de Direito, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em:

<http://www.acnur.org/t3/fileadmin/Documentos/portugues/eventos/Refugiados_Ambientais.pdf?view=1>. Acesso em: 22 mar. 2018.

SILVA, José Carlos Loureiro da; REI, Fernando. INVISÍVEIS: A REJEIÇÃO AO ESTATUTO DO REFUGIADO AMBIENTAL. Leopoldianum, Santos, v. 107, p.105-122, 2013. Disponível

em: http://periodicos.unisantos.br/leopoldianum/article/view/476/437>. Acesso em: 23 mar. 2018.




DOI: https://doi.org/10.5902/2317175831949



 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.