CLIMA ORGANIZACIONAL: UMA ABORDAGEM PERCEPTIVA ENTRE GESTORES E COLABORADORES

Lucas Almeida dos Santos, Edvir Schio, Leticia Weber Lemos, Vânia Medianeira Flores Costa

Resumo


Estudar o clima organizacional tem propiciado às organizações a identificação de elementos que afetam o comportamento dos colaboradores a partir de suas percepções e atitudes. O presente estudo realizado numa empresa do ramo automotivo da região central do Rio Grande do Sul tem como objetivo analisar o clima organizacional por meio das percepções dos gestores e colaboradores. Metodologicamente, esta pesquisa apresenta-se como um estudo de caso de natureza qualitativa e quantitativa, onde a coleta de dados se deu por meio de entrevistas com os gestores e a aplicação de um questionário para os colaboradores. Como principais resultados, identificou-se algumas discordâncias mediante as percepções colocadas pelos envolvidos, bem como um desconhecimento, por parte dos gestores, acerca da realidade vivenciada no âmbito organizacional. Como sugestão tem-se a criação de um setor voltado para atividades que promovam a integração de todos os envolvidos, auxiliando assim, na eficácia da gestão e melhoria do clima organizacional.


Palavras-chave


Clima organizacional; Relações interpessoais; Desempenho organizacional; Comportamento

Texto completo:

PDF

Referências


ABZARI, M.; ABBASI, R. Investigating Impact of Organizational Climate on Intention to knowledge Sharing Behavior by Using Theory of Planned Behavior (TPB). Interdisciplinary journal of contemporary research in business, v. 2, n. 12, p. 121-134, 2011.

ARGYLE, M. Psicología del comportamiento interpersonal. Madrid: Alianza Editorial, 1994.

BERGAMINI, C. W. Psicologia aplicada à administração de empresas: psicologia do comportamento organizacional. São Paulo: Atlas, 2006.

BOHLANDER, G.; SNELL, S. Administração de recursos humanos. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

BONOME, J.B.V. Teoria Geral da Administração. Curitiba IESDE Brasil S. A, 2009.

BROWN, S. et al. Administração da Produção e Operações: Um enfoque estratégico na manufatura e nos serviços. Rio de Janeiro: Elzevier, 2005.

CALDERÓN, G.; NARANJO, J. C.; ÁLVAREZ, C. M. La gestión humana en Colombia: características y tendencias de la práctica y de la investigación. Estudios Gerenciales, v. 23, n. 103, p. 39-64, 2007.

CARDENAS, L.; ARCINIEGAS, Y. C.; BARRERA, M. (2009). Modelo de intervención en clima organizacional. International Journal of Psychological Research, v. 2, n. 2, p. 121- 127, 2009.

CARMELI, A.; DUTTON, J. E.; HARDIN, A. E.; Respect as an engine for new ideas: Linking respectful engagement, relational information processing and creativity among employees and teams. Humans Reations, v. 68, n. 8. p. 1315-1346, 2015.

CARVALHAL, E.; ANDRÉ NETO, A.; ANDRADE, G. Negociação e administração de conflitos. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

CARVALHO, C. A. Poder, conflito e controle nas organizações modernas. Maceió: Edufal, 1998.

CARVALHO, C. A.; VIEIRA, M. M. F. O poder nas organizações. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

CAUCHICK MIGUEL, P. A. et al. Metodologia de Pesquisa em Engenharia da Produção e Gestão de Operações. 2° Ed. Rio de Janeiro: Elsevier : ABEPRO, 2012.

CHAMBEL, M. J.; CURRAL, L. Psicologia organizacional: Da estrutura à cultura. Lisboa: Livros Horizonte, 2008.

CHIANG, M.; NÚÑEZ, A. Adaptación y ampliación de un instrumento para medir clima organizacional, satisfacción laboral y autoeficacia en grupos de trabajo. Revista De Estudios Sociales, v. 115, p. 111-139, 2005.

CHIAVENATO, I. Administração de recursos humanos: fundamentos básicos. 2ª Edição. São Paulo: Atlas, 2007.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas. 3. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

CHRISPINO, A. Gestão do conflito escolar: da classificação dos conflitos aos modelos de mediação. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 15, n. 54, p. 11- 28, 2007.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. Pesquisa em Administração: um guia pratico para alunos da graduação. 2° Ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

COSTA, J. Mensuração e desenvolvimento de escalas: aplicações em administração. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2011.

DAVILA, T.; WOUTERS, M. Managing budget emphasis through the explicit design of conditional budgetary slack. Accounting, Organizations and Society, v. 30, n. 7-8, p. 587-608, 2005.

ECHEVARRÍA D. Cultura organizacional y estilos de dirección desde la perspectiva de género: desafíos de la empresa Cubana. La Habana, 2007.

ECHEVERRI, D. R.; CRUZ, R. Revisión de instrumentos de evaluación de clima organizacional. Estudios Gerenciales, v. 30, n. 131, p. 184-189, 2014.

FAURÉ, B.; ROULEAU, L. The strategic competence of accountants and middle managers in budget making. Accounting, Organizations and Society, v. 36, n. 3, p. 167-182, 2011.

FERREIRA, V. C. P.; FORTUNA, A. A. M.; TACHIZAWA, T. 2006. Gestão com Pessoas. FGV: Rio de Janeiro, 2006.

GIL, A. C. Gestão de Pessoas. São Paulo: 2001.

GOHEL, K. Psychological capital as a determinant of employee satisfaction. International Referred Research Journal, v. 3, n. 36, p. 34–37, 2012.

GUILLÉN M. Clima organizacional en la Editorial Ciencias Médicas a partir del análisis de dos de sus dimensiones. Rev Cubana Salud Pública, v. 39, n. 2, p. 242-252, 2013.

GUILLÉN, G.; GALA, L,; VELÁZQUEZ, M. Clima organizacional. Psicología del trabajo para relaciones laborales. México. Mc. Graw Hill, 2000.

GUILLÉN, I. J.; ADUNA, A. P. (2008). La influencia de la cultura y del estilo de gestión sobre el clima organizacional. Estudio de caso de la mediana empresa en la delegación Iztapalapa. Estudios Gerenciales, v. 24, n. 106, p. 47-64, 2008.

HELLRIEGEL, D. y SOLOCUM, J. W. Organizational climate: Measures, research and contingencies. Academy of Management Journal, v. 17, p. 255–280, 1974.

JARAMILLO, O. Mercado laboral de los profesionales de la información em Colombia: resultados del análisis de las ofertas de empleo. Medellín: Universidad de Antioquia, 2013.

JULIÃO, B. E.; VANDI, A. M. Diferenças entre treinamento, desenvolvimento e aprendizagem. Grupo de estudo em ABRH, 2008. . Acesso em: 24 out. 2015.

KOPELMAN, R. E. et al. The Role of Climate and Culture in Productivity. In B. Schneider (Ed.), Organizational climate and culture. San Francisco, CA: Jossey-Bass, 1990.

LEITÃO, S. P.; FORTUNATO, G.; FREITAS, A. S. Relacionamentos interpessoais e emoções nas organizações: uma visão biológica. Revista de Administração Pública. Print version, 2006.

LI, Z.; ZHU, T.; LUO, F. A Study on the Influence of Organizational Climate on Knowledge-Sharing Behavior in IT Enterprises. Journal of Computers, v. 5, n. 4, p. 508-515, 2010.

LUTHANS, F.; NORMAN, S. M.; AVOLIO, B. J.; AVEY, J. B. The mediating role of psychological capital in the supportive organizational climate employee performance relationship. Journal of Organizational Behavior, v. 29, n. 2, p. 219-238, 2008.

MADARIAGA, M. G. Comunicación y liderazgo: sin comunicación no hay líder. Cuadernos del Centro de Estudios en Diseño y Comunicación, n. 33, p. 61-72, 2010.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman. 2012.

MCINTYRE, S. E. Como as pessoas gerem o conflito nas organizações: estratégias individuais negociais. Análise Psicológica, Lisboa, v. 25, n. 2, p. 295-305, 2007.

MÉNDEZ, C. Clima organizacional en colombia. El imcoc: un método de análisis para su intervención. Colección de lecciones en administración. Bogotá, universidad del rosário, 2006.

MOOS, R. H. Conceptualizations of human environments. American Psychologist, v. 28, p. 652–665, 1973.

MORONI L.; DABOS G. E. Comportamientos abusivos de baja intensidad en las organizaciones: una revisión de la literatura y de sus implicâncias. Estudios Gerenciales, v. 30, p. 384-396, 2014.

MOTTA, P. R. Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. 15. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

MULLINS, L. J. Gestão da hospitalidade e comportamento organizacional. 4 ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

MUSSAK, E. Metacompetência: uma nova visão do trabalho e da realização pessoal. 2ª ed. São Paulo: Gente, 2003.

NEVES, J. G. Clima Organizacional, cultura Organizacional e gestão de recursos humanos. Lisboa: Editora RH. 2000.

NORIEGA V. Otra aproximación al estudio del clima organizacional. Revista Infodir, v. 13, n. 9, 2009.

NORIEGA V.; PRIA M. Instrumento para evaluar el clima organizacional en los Grupos de Control de Vectores. Rev Cubana Salud Pública, v. 378, n. 2, 2011.

OTLEY, D. T. Budget use and managerial performance. Journal of Accounting Research, v. 16, n. 1, p. 122-149, 1978.

PARKER, M. Organizational culture and identity. London: SAGE Publications, 2003.

PÉREZ, I.; MALDONADO, M.; PÉREZ M.; BUSTAMANTE, S. Clima organizacional y gerencia: inductores del cambio organizacional. Investigación y Postgrado. v. 21, n. 2, p. 231-248, 2006.

QUINN, R. E. et al. Competências Gerenciais: princípios e aplicações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

REGINATTO, A. P. Equipes campeãs: potencializando o desempenho de sua equipe. 2. ed. Porto Alegre : SEBRAE/RS, 2004.

REYES, M. M.; ZAPATA, D. I. Relation Between Organizational Climate and its Dimensions and Knowledge-sharing Behavior among Knowledge Workers. int.j.psychol.res, v. 7, n. 2, p. 64-75, 2014.

ROBBINS, S. P.; JUDGE; T. A.; SOBRAL, F. Comportamento Organizacional. 14ª. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

ROBERTS, J. The possibilities of accountability. Accounting, Organizations and Society, v. 16, n. 4, p. 355-368, 1991.

RUPERTI, C. Comunicación Organizacional y Relaciones Públicas. Retrieved from, 2009.

SANTANA, P.; ARAUJO, Y. Clima y cultura organizacional: ¿dos constructos para explicar un mismo fenómeno? En: Asociación Europea de Dirección y Economía, 2007.

SCHNEIDER, B,; EHRHART, M. G,; MACEY, W. A. Perspectives on organizational climate and culture. In: Zedeck S, editor. APA handbook of industrial and organizational psychology; Vol. 1. Building and developing the organization. Washington, DC: American Psychological Association, p. 373-414, 2011.

SILVA, A. D. et al. Estratégias de Socialização: a forma mais eficaz para a integração entre indivíduo e organização. In: Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Anais... V SEGET, Resende, 2008.

SILVA, L.G.; MATSUDA, L.M.; WAIDMAN, M.A.P. A estrutura de um serviço de urgência público, na ótica dos trabalhadores: perspectivas da qualidade. Texto Contexto Enfermagem, v. 21, n. 2, p. 302-328, 2012.

SOUZA, T. A.; CAMPOS, J.; DEJANIR, J.; MAGALHÃES, S. R. A importância do clima organizacional. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 13, n.1, p. 315-329, 2015.

SWIFT, P. E.; HWANG, A. Learning, dynamic capabilities and operating routines: A consumer package goods company. The Learning Organization, v. 15, n. 1, p.75-95, 2008.

TAMAYO, A. Impacto dos valores pessoais e organizacionais sobre o comprometimento organizacional. In: TAMAYO, A.; PORTO, J. B. (Ed.). Valores e comportamento nas organizações. Rio de Janeiro: Vozes, 2005. p. 160-186, 2005.

SOUZA, T. A.; CAMPOS JÚNIOR, D. J.; MAGALHÃES, S. R. A importância do clima organizacional. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 13, n. 1, p. 315-329, 2015.

TOMAÉL, M. I.; ALCARÁ, A. R.; DI CHIARA, I. G. Das redes sociais à inovação. Ci. Inf., Brasília, v. 34, n. 2, p. 93-104, 2005.

TORMO, G.; OSCA, A. Antecedentes Organizacionales y Personales de las Intenciones de Compartir Conocimiento: Apoyo, Clima y Compromiso con la Organización. Revista de Psicología del Trabajo y de las Organizaciones, v. 27, n. 3, p. 213- 226, 2011.

UCYMAT - Dirección del Trabajo. Problemas actuales en salud de los trabajadores. Santiago: LOM. Ediciones, 2001.

VALLEJO, J. La personalidad integradora: El doble logro de ser sí mismo y vincularse. Barcelona: Ediciones CEDEL, 2004.

VENDEMIATTI, M. et al. Conflito na gestão hospitalar: o papel da liderança. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v. 15, n. 1, p. 1301-1314, 2010.

WOOD JR. T. Remuneração Estratégica. São Paulo: Atlas, 2011.

ZUTTA, M. Estilo de dirección. Equipo Operativo MECI-SGC. San Juan de Pasto, Colombia, 2008.




DOI: https://doi.org/10.5902/2317175830768



 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.