REPRESENTAÇÕES SOCIOCULTURAIS: RELAÇÕES ENTRE GÊNERO E ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO, SOB O OLHAR DA IDENTIFICAÇÃO

Renata Gomes Camargo, Soraia Napoleão Freitas, Sheila Torma da Silveira

Resumo


Pela atuação e participação em um projeto de pesquisa, vinculado a Universidade Federal de Santa Maria, que visa identificar e orientar alunos com indicadores de altas habilidades/superdotação, obtivemos dados onde buscamos os subsídios para elaboração deste artigo, que tem por embasamento metodológico a pesquisa qualitativa. Sendo assim, partimos de reflexões teóricas sobre altas habilidades/superdotação e gênero para apresentar, neste artigo, uma discussão sobre as concepções destas temáticas entre professores envolvidos em dois processos de identificação de alunos com indicadores de altas habilidades/superdotação, realizadas pela equipe executora do referido projeto. Um dos processos foi no ano de 2008 e o outro no ano de 2009. Demonstramos que as representações socioculturais sobre gênero, apresentadas pelos professores, podem gerar equívocos na identificação destes alunos. Esta discussão reflexiva nos remete a outra: a importância da educação especial atuar em consonância com o paradigma educacional da inclusão, que prevê a valorização da diversidade, pois nesta encontramos respaldo para a realização desta ação quanto às altas habilidades/superdotação e gênero.


Palavras-chave


Gênero, Altas habilidades/superdotação, Representações sócio-culturais

Texto completo:

PDF




 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.