MULHERES E PATRIARCADO: RELAÇÕES DE DEPENDÊNCIA E SUBMISSÃO NAS CASAS DE FARINHA DO AGRESTE ALAGOANO

Milka Alves Correia Barbosa, Fátima Regina Ney Matos, Ana Paula Ferreira dos Santos, Ana Márcia Batista Almeida

Resumo


Este estudo procurou analisar os aspectos do trabalho das mulheres nas casas de farinha do Agreste Alagoano que ainda reproduzem o padrão de dominação do patriarcado tradicional brasileiro. O patriarcado caracteriza-se pela extraordinária influência que exerce na organização social do Brasil desde a época da colonização até os dias atuais. O quadro teórico foi construído sobre divisão do trabalho sexual e divisão sexual do trabalho, patriarcado, mandioca e casas de farinha. A abordagem metodológica foi a pesquisa qualitativa e realizou-se um estudo de caso, delimitado pelo conjunto de casas de farinha localizadas no agreste alagoano. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semi-estruturadas e observação direta e analisados a partir da técnica da análise de conteúdo. A dupla jornada de trabalho (casa de farinha e trabalhos domésticos), a baixa remuneração, as condições precarizadas de trabalho, o respeito e a lealdade à autoridade do dono da casa de farinha – como provedor de salário, comida, trabalho -, são algumas das condições que alimentam a exploração sob as quais as trabalhadoras estão submetidas. Nas casas de farinha estudadas, a divisão sexual do trabalho é aceita e naturalizada como resultado de diferenças físicas entre homens e mulheres. Os resultados mostraram que vários aspectos do trabalho das mulheres nas casas de farinha do Agreste Alagoano ainda reproduzem o padrão de dominação do patriarcado tradicional brasileiro.


Palavras-chave


Patriarcado; Divisão do trabalho sexual; Gênero; Mulheres; Casas de Farinha.

Texto completo:

PDF




 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.