DOENÇA MENTAL E CONTROLE SOCIAL: RELEITURA A PARTIR DE MICHEL FOUCAULT

José Manuel de Sacadura Rocha

Resumo


Este artigo foca o Controle Social por meio da denominada Doença Mental a partir primordialmente do pensamento de Michel Foucault. Explora a tradição antipsiquiátrica e da psicologia social de diversos autores do ponto de vista da Cultura nas sociedades industriais mercantis. Defende-se a ideia que o “relacionamento médico com a “forma psíquica” e seu tratamento estão na “conformação” que existe entre a economia política e as formas derivadas como o político” e sua manifestação pelo “poder”. Conclui-se que os sujeitos quando considerados doentios, quando tratados como perigosos, se inserem como agentes de mecanismos que visam ao controle biopolítico de suas energias psíquicas, estabelecendo um estilo de vida que vai além das relações de produção e consumo, mas vai por elas.

 


Palavras-chave


Controle, Antipsiquiatria, Pós-estruturalismo, Biopolítica, Foucault

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2317175825953

  

 

Revista Sociais e Humanas  (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria

Centro de Ciências Sociais e Humanas

Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com

Fone (55) 32208522