ESTADOS COM FRONTEIRAS: UM ESTUDO SOBRE A CONCEPÇÃO DE ESTADOS EUROPEUS

Damaris de Oliveira Santos

Resumo


Este trabalho busca problematizar as concepções de estados europeus e suas fronteiras como um produto historicamente construído, bem como observar as implicações que podem surgir a partir da consolidação de tais concepções. Para tanto, são empregadas proposições de autores como Hobsbawn, Man, Barth e Montero, com o intuito de discorrer sobre a ideia de identidade nacional e identidade étnica, noções que podem fomentar barreiras à mobilidade populacional dentro de determinado território, assim como xenofobia e aversão ao “outro”, especificamente dentro do contexto europeu. Com base em um estudo de natureza qualitativa e descritiva realizado a partir da revisão bibliográfica, discute-se, também, o pluriculturalismo, problematizando a noção de “construção social” sobre o Estado e as identidades nacionais ou sociais. Verificou-se, assim, que sentimentos de não aceitação ao outro podem ser fatos recorrentes no mundo moderno, de modo que uma possibilidade para refletir acerca dessa problemática seria o entendimento de que a comunidade europeia é uma construção imaginada e de que, por meio da inserção do pluriculturalismo, é possível criar projetos e ações para a inserção cada vez maior dos considerados diferentes.


Palavras-chave


Estados Nacionais Europeus; Fronteiras; Identidades nacionais; Comunidade européia imaginada; Pluriculturalismo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2317175824987

  

 

Revista Sociais e Humanas  (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria

Centro de Ciências Sociais e Humanas

Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com

Fone (55) 32208522