Interdisciplinaridade: em Busca do Paraíso (Irrecuperavelmente) Perdido

Eduardo G. Castro

Resumo


No presente artigo o autor se propõe a encontrar alguns motivos que expliquem o fato de que uma pratica habitual do campo do conhecimento, qual seja a interdisciplinaridade, tenha-se convertido em problema relevante, ao ponto que pensadores de todo o mundo e instituições internacionais investem tempo e dinheiro para justificar o que parece não necessitar de justificações.  As respostas conduzem a duas respostas principais: de um lado, a tendência a “profissionalizar” o conhecimento e definir “âmbitos de poder”; do outro verifica-se que a própria concepção “conhecimento”desenvolvida por nossa “civilização”conduziu a uma visão fragmentada e inerte do “real”, visão que contamina todas as práticas culturais, incluídas as que tem a ver com a educação, o que provavelmente contribui a explicar o desinteresse das gerações atuais. Este artigo sintetiza e atualiza idéias que originalmente foram desenvolvidas pelo autor num seminário sobre interdisciplinaridade no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da Universidade Federal do Pará em meados da década de 90.


Palavras-chave


Interdisciplinaridade; Conhecimento; Âmbitos de poder

Texto completo:

PDF




 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.