Caracterização dos Núcleos de Apoio à Atenção Básica – Saúde Mental de uma região de saúde

Guilherme Emanuel Weiss Pinheiro, Luciane Prado Kantorski

Resumo


Objetivo: caracterizar o apoio matricial em uma região de saúde do Rio Grande do Sul, a partir dos núcleos de apoio à atenção básica – saúde mental. Métodos: pesquisa qualitativa, realizada com núcleos de apoio à atenção básica de três municípios de uma região de saúde do estado do Rio Grande do Sul, os quais mantinham o referido núcleo. A coleta de dados ocorreu nos meses de novembro e dezembro de 2018, de forma online com profissionais de apoio matricial, os quais preencheram formulário eletrônico sobre as características do município, do núcleo e do trabalho do apoio matricial. A pesquisa recebeu aprovação de Comitê de Ética em Pesquisa. Resultados: são apresentadas as composições da rede de atenção à saúde, a composição e a caracterização dos núcleos de apoio à atenção básica da região e a organização do trabalho dos núcleos, em especial, na revisão da prática de encaminhamentos. Considerações Finais: o trabalho do apoio matricial, viabilizado pelos núcleos de apoio à atenção básica, propicia oferta de serviços e responsabilização à atenção básica, por meio das ações de educação permanente em saúde, cuidado compartilhado e supervisão em municípios de pequeno porte, buscando favorecer a oferta de ações de saúde mental às pessoas em sofrimento psíquico no território.


Palavras-chave


Saúde mental; Atenção primária à saúde; Assistência integral à saúde; Equipe de assistência ao paciente.

Texto completo:

PDF

Referências


Delgado PGGThe challenge of production of knowledge on the Brazilian psychiatric reform process. Cien Saude Colet. 2015;20(2):312–312. doi: 10.1590/1413-81232015202.17692014.

Ministério da Justiça (Brasil). Rede de Atenção Psicossocial no SUS: Eixo Políticas e Fundamentos [Internet]. 2018 [cited 2020 Jun 2]. Available from: http://www.aberta.senad.gov.br/medias/original/201704/20170424-094953-001.pdf

Ministério da Saúde (Brasil). HumanizaSUS: equipes de referência e apoio matricial. Brasília: Ministério da Saúde; 2004. 16 p.

Campos GWDS, Domitti AC. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad Saude Pública. 2007;23(2):399–407. doi: 10.1590/S0102-311X2007000200016.

Nascimento MGG, Nadaleti NP, Vilela S de C, Terra F de S, Silva SA da, Resck ZMR. Nursing work process in the promotion of mental health: reflective analysis. Rev enferm Cent-Oeste Min. 2017;7:e2097. doi: 10.19175/recom.v7i0.2097.

Souza ÂC de, Amarante PD, Abrahão AL. Inclusion of mental health in primary health care: care strategy in the territory. Rev bras enferm. 2019;72(6):1677–82. doi: 10.1590/0034-7167-2018-0806.

Almeida DR, Soares JNC, Dias MG, Rocha FC, Neto GR de A, Andrade DLB. Care for carriers of mental disorder in primary care: an interdisciplinary and multiprofessional practice. Rev Pesqui (Univ Fed Estado Rio J, Online). 2020;12:420–5. doi: 10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.8388.

Ministério da Saúde (Brasil). Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Brasília: Ministério da Saúde; 2014. 118 p.

Comissão Intergestores Bipartite (Rio Grande do Sul). Resolução nº 403/11 – CIB/RS, de 26 de outubro de 2011. Cria os Núcleos de Apoio à Atenção Básica (NAAB) – saúde mental, dentro da Política Estadual da Atenção Básica. Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul, 03 Nov 2011.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades [Internet]. homepage. 2019 [cited 2019 Jun 28]. Available from: https://cidades.ibge.gov.br/

Ministério da Saúde (Brasil). Portaria nº 3.124, de 28 de dezembro de 2012. Redefine os parâmetros de vinculação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) Modalidades 1 e 2 às Equipes Saúde da Família e/ou Equipes de Atenção Básica para populações específicas, cria a Modalidade NASF 3, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 31 dez. 2012. Seção 1, p. 223.

Zanardo GL de P. Reinternações psiquiátricas: Análise das características sociodemográficas, clínicas e do uso da rede de atenção psicossocial de usuários com transtornos mentais [dissertação]. [Porto Alegre]: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; 2016. 83 p.

Simoni ACR, Siqueira E, Soares J, Cabral KV, Adamy PE, Charão RB, Heinzelmann R, Almeida SA. Percursos da redução de danos no Rio Grande do Sul. Saúde Redes. 2015;1(1):57–65. doi: 10.18310/2446-4813.2015v1n1p57-65.

Guba EG, Lincoln YS. Avaliação de quarta geração. Campinas: Editora UNICAMP; 2011.

Ministério da Saúde (Brasil). e-Gestor AB – Informação e Gestão da Atenção Básica [Internet]. 2020 [cited 2020 Jun 2]. Available from: https://egestorab.saude.gov.br/paginas/acessoPublico/relatorios/relHistoricoCobertura.xhtml

Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprovar as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 13 jun. 2013. Seção 1, p. 59.

Tatmatsu DB, Araújo ACC. Atenção Primária e Saúde Mental: Contribuições e Potencialidades do Apoio Matricial. Mudanças. 2016;24(2):71–9. doi: 10.15603/2176-1019/mud.v24n2p71-79.

Costa EVS, Cunha MC, Carvalho ME de, Negreiros JA, Oliveira EN, Neto FRGX. Salud Mental en Atención Primaria: taller de herramientas de enfoque familiar. Cult. cuid. 2018;(51):133–43.

Oliveira GC de, Schneider JF, Pinho LB de, Camatta MW, Nasi C, Guimarães AN, Torres MEL. Matrix support actions in Primary Health Care: a phenomenological study. Acta Paul Enferm. 2019;32(6):674–82. doi: 10.1590/1982-0194201900093.

Silva SM da, Silva AM da, Souza AR De, Moura ADA, Lima GG De, Feitoza AR. Family health strategy: mental health care actions. Rev enferm UERJ. 2017;25: e16926. doi: 10.12957/reuerj.2017.16926.

Cela M, Oliveira IF de. O psicólogo no Núcleo de Apoio à saúde da Família: articulação de saberes e ações. Estud Psicol. 2015;20(1):31–9. doi: 10.5935/1678-4669.20150005.

Jacinto B de O, Rodrigues C de S, Maxta BSB, Tomasi ARP. O apoio matricial em saúde realizado por terapeutas ocupacionais no Sistema Único de Saúde. Cad Ter Ocup UFSCar. 2017;25(1):191–201.doi: 10.4322/0104-4931.ctoAR0772.

Reis ML, Medeiros M, Pacheco LR, Caixeta CC. Evaluation of the multiprofessional work of the Family Health Support Center (NASF). Texto & contexto enferm. 2016;25(1): e2810014. doi: 10.1590/0104-070720160002810014.

Castro CP de, Oliveira MM de, Campos GW de S. Matrix Support in the SUS of Campinas: how an inter-professional practice has developed and consolidated in the health network. Cien Saude Colet. 2016;21(5):1625–36. doi: 10.1590/1413-81232015215.19302015.

Bispo Júnior JP, Moreira DC. Núcleos de Apoio à Saúde da Família: concepções, implicações e desafios para o apoio matricial. Trab educ saúde. 2018;16(2):683–702. doi: 10.1590/1981-7746-sol00122.

Patrocínio SS da SM do, Machado CV, Fausto MCR. Núcleo de Apoio à Saúde da Família: proposta nacional e implementação em municípios do Rio de Janeiro. Saúde debate. 2015;39(spe):105–19. doi: 10.5935/0103-1104.2015S005373.

Martinez JFN, Silva MS, Silva AM. O Núcleo de Apoio à Saúde da Família em Goiânia (GO): percepções dos profissionais e gestores. Saúde debate. 2016;40(110):95-106. doi: 10.1590/0103-1104201611007.

Souza TT de, Knabben RJ, Calvo MCM. Caracterização de núcleos de apoio à saúde da família e integração às equipes de saúde da família vinculadas. Rev APS. 2017;20(4):551–64.

Oliveira GC, Schneider JF, Pinho LB, Camatta MW, Nasi C, Guimarães AN, Torres MEL. Matrix support in mental health in primary care: the vision of supporters and nurses. Rev gaúch. enferm. 2020;41(spe):e20190081. doi: 10.1590/1983-1447.2020.20190081.

Gurgel ALLG, Jorge MSB, Caminha ECCR, Maia Neto JP, Vasconcelos MGF. Mental health care in the family health strategy: the experience of matrix support. Rev enferm UERJ. 2017;25:1–6. doi: 10.12957/reuerj.2017.7101.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583447060

Direitos autorais 2020 Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.