Relação entre o Mini-Exame do Estado Mental e a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) de idosos institucionalizados

Murilo Rezende, Cássia Da Luz Goulart, Vanessa De Mello Konzen, Tania Cristina Malezan Fleig

Resumo


Analisar a relação entre o estado cognitivo, por meio do Mini exame do estado mental (MEEM), com a Classificação internacional e funcionalidade, incapacidade e saúde (CIF). Trata-se de um estudo transversal, realizado em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) em Cachoeira do Sul – RS no período de janeiro e fevereiro de 2017. Foi aplicado o MEEM e realizado a relação dos domínios do mesmo com as categorias da CIF. A amostra foi composta por 33 idosos (79,0±10,3 anos). As mulheres apresentaram maior déficit cognitivo p=0,05] do que os homens p=0,13]. Observou-se uma forte concordância entre os domínios do MEEM e das categorias da CIF, principalmente no componente Atividade e Participação. A maioria dos idosos não apresentavam déficit em sua capacidade cognitiva. A relação entre o MEEM e a CIF mostrou-se eficiente para o reconhecimento de indicadores que venham a direcionar ações, potencializando a funcionalidade cognitiva e minimizando as perdas em idosos institucionalizados.


Palavras-chave


Descritores: Cognição; Instituição de Longa Permanência para idosos (ILPI); Saúde do Idoso Institucionalizado

Texto completo:

PDF

Referências


Gondim AS, Coelho Filho JM, Cavalcanti, AD, Roriz Filho JS., Nogueira CB, Peixoto Junior AA, Lima JO. Prevalence of functional cognitive impairment and associated factors in Brazilian community-dwelling older adults. Dementia & Neuropsychologia. 2017; 11(1), 32-39.

Converso ME, Iartelli I. Caracterização e análise do estado mental e funcional de idosos institucionalizados em instituições públicas de longa permanência. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2007; 267-272.

Domiciano BR, Braga DKAP, da Silva PN, de Vasconcelos TB, Macena RHM. Escolaridade, idade e perdas cognitivas de idosas residentes em instituições de longa permanência. Rev Neurocienc [Internet]. 2014; 22(3).

Vieira MA, da Silva AA., Fernandes AE, de Quadros LB, Penasso Bezerra P. Efetividade de uma intervenção fisioterapêutica cognitivo-motora em idosos institucionalizados com comprometimento cognitivo leve e demência leve. Revista Ciência & Saúde Coletiva. 2016; 21(11).

Melo DM, Barbosa AJG. O uso do Mini-Exame do Estado Mental em pesquisas com idosos no Brasil: uma revisão sistemática. Revista Ciência e Saúde Coletiva. 2015; 20(12):3865-3876.

Lourenço RA, Veras RP. Mini-Exame do Estado Mental: características psicométricas em idosos ambulatoriais. Revista de Saúde Pública. 2006; 40(4), 712-719.

Quintana M, Ferreira E, Santos S, Pelzer M, Lopes M, Barros L. A utilização da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde no cuidado aos idosos. Revista de Enfermagem Referência. 2014; (1), 145.

Josino JB, Costa RB, Vasconcelos TB, Domiciano BR, Brasileiro IC. Análise do estado de funcionalidade de idosos residentes em unidades de longa permanência. Revista Brasileira em Promoção da Saúde. 2015; 28(3), 351-360.

WORLD HEALTH ORGANIZATION-WHO. International classification of functioning, disability and health: ICF. Geneva: World Health Organization. 2001.

Josino JB, Costa RB, Vasconcelos TBD, Domiciano BR, Brasileiro IC. Análise do estado de funcionalidade de idoso residentes em unidades de longa permanência. Rev. bras. promoç. saúde (Impr.). 2015; 28(3).

Almeida AV, Mafra SCT, Silva EP, Kanso S. A Feminização da Velhice: em foco as características socioeconômicas, pessoais e familiares das idosas e o risco social/The Feminization of Old Age: a focus on the socioeconomic, personal and family characteristics of the elderly and the social risk. Textos & Contextos (Porto Alegre). 2015; v. 14, n. 1, p. 115-131.

Campolina AG, Adami F, Santos JLF, Lebrão ML. A transição de saúde e as mudanças na expectativa de vida saudável da população idosa: possíveis impactos da prevenção de doenças crônicas. Cadernos de Saúde Pública. 2013; v. 29, n. 6, p. 1217-1229.

Marinho LM, Vieira MA, Andrade JMO, Costa SM. Grau de dependência de idosos residentes em instituições de longa permanência. Revista Gaúcha de Enfermagem. 2013; v. 34, n. 1, p. 104-110.

Araujo LB, Moreira NB, Villegas ILP, Loureiro APC, Israel VL, Gato SA, Kliemann G. Investigação dos saberes quanto à capacidade funcional e qualidade de vida em idosas institucionalizadas, sob a ótica da CIF. Acta fisiátrica. 2015; v. 22, n. 3.

Domiciano BR, Braga DKAP, Silva PND, Santos MPAD, Vasconcelos TBD, Macena RHM. Cognitive function of elderly residents in long-term institutions: effects of a physiotherapy program. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 2016; v. 19, n. 1, p. 57-70.

Macêdo AML, Cerchiari EAN, Alvarenga MRM, Faccenda O, Oliveira MADC. Avaliação funcional de idosos com déficit cognitivo. Acta Paulista de Enfermagem. 2012; 25(3), 358-363.

Chaves RN, Lima PV, Valença TDC, Santana ES, Marinho MS, Reis LA. Perda cognitiva e dependência funcional em idosos longevos residentes em instituições de longa permanência. Cogitare Enfermagem. 2017; 22(1).

Campos TF, Rodrigues CA, Farias IM, Ribeiro TS, Melo LP. Comparação dos instrumentos de avaliação do sono, cognição e função no acidente vascular encefálico com a classificação internacional de funcionalidade, incapacidade e saúde (CIF). Brazilian Journal of Physical Therapy. 2012; 16(1), 23-29.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236583436418

Direitos autorais 2019 Saúde (Santa Maria)

Acessos desde 08/08/2013.

   

 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

ISSN 0103-4499 ∴ eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

Licença Creative Commons