Efeitos do tratamento com glutamina via enteral em modelo animal de sepse

Maicon Machado Sulzbacher, Analú Bender Santos, Renan Daniel Bueno Basso, Gabriela Elisa Hirsh, Mirna Stela Ludwig, Thiago Gomes Heck

Resumo


RESUMO

Objetivo: Avaliar o tratamento enteral com L-glutamina nos parâmetros clínicos em modelo experimental de sepse. Métodos: Foram utilizados 24 camundongos B6129SF2/J: Primeiramente, 11 camundongos foram divididos em três grupos para avaliar o modelo experimental que mimetize a fase hipodinâmica na sepse. Os animais receberam solução fisiológica ou solução fecal a 10% ou 20% (i.p.), sendo avaliados glicemia e temperatura corporal em 24h. Avaliamos o efeito do tratamento de L-glutamina por 48h na glicemia, temperatura retal, contagem de leucócitos e peso corporal em 13 animais nos grupos: Controle, Sepse, Glutamina e Sepse+Glutamina. Resultados: A solução fecal 20% induziu a sepse, evidenciando hipotermia, hipoglicemia e leucopenia. O tratamento com L-glutamina evitou a leucopenia. Conclusão: O tratamento com L-glutamina previne a leucopenia no modelo experimental de sepse, sem melhorar outros parâmetros clínicos. Sendo a resposta imune essencial na sepse, o uso de glutamina pode ser útil como terapia adjuvante na sepse.

Palavras Chave: Sepse; Modelos Animais; Glutamina; Leucopenia.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236583431163

Acessos desde 08/08/2013.

  

 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

ISSN 0103-4499 ∴ eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

Licença Creative Commons