Produzindo indicadores em saúde mental-AD no contexto de um CRAS: potencializando o exercício da intersetorialidade

José de Deus Neto Vicente, Denila Coelho da Silva

Resumo


Objetivo: Construir indicadores em saúde mental - álcool e outras drogas no contexto de um CRAS. Método: Uso de dados secundários obtidos a partir dos prontuários cadastrados numa unidade de CRAS equivalendo a 79,82% das famílias acompanhadas. Resultados e discussões: Dos 1868 prontuários analisados 9,68% deles constatou-se a presença de indivíduos em uso abusivo e/ou dependência de drogas compondo o grupo familiar; prevalência de indivíduos do sexo masculino, 79,3% dos casos; o álcool a droga mais presente, 70,8% dos casos; 21,1% possuíam apenas o fundamental I; 63,31% dos casos eram indivíduos entre 18 e 59 anos. Constatou-se ainda a prevalência de encaminhamentos ao CAPSad, 55% dos casos; inserção da família em atividades desenvolvidas pelo CRAS, 72% dos casos. Considerações Finais: Observou-se que as demandas relativas ao uso abusivo e/ou dependência de drogas tem se feito presentes em outros espaços socioinstitucionais, tornando-os foco de intervenções de outras políticas setoriais.

Palavras-chave


Indicadores; Assistência Social; Saúde Mental; Ação Intersetorial

Texto completo:

PDF

Referências


Políticas Sobre Drogas-SENAD (BR). Prevenção ao uso indevido de drogas: capacitação para Conselheiros e Lideranças Comunitárias. 3. ed. Brasília(DF):2010.

Duarte P C AV, Dalbosco C. A política e a legislação brasileira sobre drogas, cap. 6, Módulo I. In Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas – SENAD (BR). O uso de substâncias Psicoativas no Brasil. 7. ed.Brasília(DF): 2014.

Brasil. Sistema Único de Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Relatório Final da IV Conferência Nacional de Saúde Mental-Intersetorial, 27 de junho a 1º de julho de 2010. [internet]. Brasília (DF): Conselho Nacional de Saúde/Ministério da Saúde; 2010.[citado 15 outubro 2016]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/biblioteca/Relatorios/relatorio_final_IVcnsmi_cns.pdf .

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (BR). Secretaria Nacional de Assistência Social. Norma Operacional Básica NOB/SUAS. [internet]. Brasília (DF): 2005.[citado 02 dezembro 2016]. Disponível em: http://www.assistenciasocial.al.gov.br/sala-de-imprensa/arquivos/NOB-SUAS.pdf .

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome(BR). Departamento de Proteção Social Básica. Proteção Social Básica: a importância da dimensão preventiva do uso e dependência do crack e outras drogas. Parte 2 In: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (BR). Sistema Único de Assistência Social SUAS: perspectivas para o trabalho integrado com a questão do crack e outras drogas. [internet]. Brasília, (DF): 2016.

[citado 01 setembro 2016].Disponível em: http://www.assistenciasocial.al.gov.br/acervo/protecao-social-especial-mediacomplexidade/creas-paefi/texto-mds-drogas-final.pdf/view .

Jannuzzi PM. Indicadores Sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. Campinas: Alínea:

Cobo B, Sabóia AL. Uma Contribuição para a Discussão sobre a Construção de Indicadores para Implementação e Acompanhamento de Políticas Públicas. Caxambu: 2006.

Leite FT. Metodologia científica. Métodos e técnicas de pesquisa (monografias, Dissertações, Teses e Livros). 3. ed. São Paulo: Ideias e letras: 2008.

Monteiro CFS, Fé LCM, Moreira MAC, Albuquerque IEM, Silva MG, Passamani MC. Perfil sociodemográfico e adesão ao tratamento de dependentes de álcool em CAPS-ad do Piauí. Esc. Anna Nery. [Internet].2011.[citado 18 agosto 2016] 15( 1): 90-95.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v15n1/13.pdf .

Cantareli NDC, Marchesan EKR, Amaral MC, Lemos JC. Perfil dos usuários de substâncias psicoativas de um Hospital Universitário do Rio Grande do Sul. Rev. Saúde, Santa Maria. [Internet].2014.[citado 10 outubro 2016] 40(1): 85-90, 2014.Disponível em:https://periodicos.ufsm.br/revistasaude/article/view/12777/pdf_1 .

Rossetti ACK, Santos VEP. Dependente químico: adesão ao tratamento. Rev Téc-Cient Enferm. [Internet]. 2006.[citado 25 novembro 2016] 4(14):34-41. Disponível em: http://www.scielo.br

Assis DFF, Castro NT. Alcoolismo feminino: início do beber alcoólico e busca por tratamento. Textos & Contextos. [Internet]. 2010.[citado 01 novembro 2016] 9( 2):358-370. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/

Faria JG, Schneider DRO perfil dos usuários do Capsad-Blumenau e as políticas públicas em saúde mental. Psicologia & Sociedade.[Internet].2009.[citado 16 agosto 2016] 21( 3): 324-333.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v21n3/a05v21n3.pdf .

Peixoto C, Prado CHO, Rodrigues CP, Cheda JND, Mota LBT, Veras AB. Impacto do perfil clínico e sociodemográfico na adesão ao tratamento de pacientes de um Centro de Atenção Psicossocial a Usuários de Álcool e Drogas (CAPSad). J Bras Psiquiatria. [Internet]. 2010.[citado 13 outubro 2016] 59( 4):317-321. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jbpsiq/v59n4/08.pdf .

Bucher R, Oliveira SRM. O discurso do “combate às drogas” e suas ideologias. Revista Saúde Pública.[Internet]. 1994.[citado 14 dezembro 2016] 28( 2): 137-145.

Araújo NB, Marcon SR, Silva NG, Oliveira JRT. Perfil clínico e sociodemográfico de adolescentes que permaneceram e não permaneceram no tratamento em um CAPSad de Cuiabá/MT. J Bras Psiquiatria. [Internet]. 2012.[citado 28 setembro 2016] 61( 4): 227-234. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v28n2/08.pdf.

Ribeiro DR, Carvalho DS. O padrão de uso de drogas por grupos em diferentes fases de tratamento nos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD). J. Bras Psiquiatria. [Internet]. 2015.[citado 28 setembro 2016] 64(3):221-229. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jbpsiq/v64n3/0047-2085-jbpsiq-64-3-0221.pdf.

Silva CC, Costa MCO, Carvalho RC, Amaral MTR, Cruz NLA, Silva MR Iniciação e consumo de substâncias psicoativas entre adolescentes e adultos jovens de Centro de Atenção Psicossocial Antidrogas/CAPS-AD. Ciência & Saúde Coletiva. [Internet]. 2014.[citado 25 setembro 2016] 19( 3):737-745. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n3/1413-8123-csc-19-03-00737.pdf.

Schenker M. Minayo MCS. Fatores de risco e de proteção para o uso de drogas na adolescência. Rev Cien Saude Colet. [Internet]. 2005.[citado 23 outubro 2016] 10(3) :707-717. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v10n3/a27v10n3.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde (BR). Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. [internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2004. [citado 06 outubro 2016] Disponível em: http://www.ccs.saude.gov.br/saude_mental/pdf/sm_sus.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 3.088. Diário Oficial da União. [internet]. Brasília (DF): 2011.[citado 18 outubro 2016] Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt3088_23_12_2011_rep.html.

Brasil. Ministério da Saúde (BR). Política do Ministério da Saúde para a atenção integral a usuários de álcool e outras drogas. [internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2003.[citado 07 julho 2016] Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_atencao_alcool_drogas.pdf.

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (BR). Resolução nº 109, de 11 de novembro de 2009 Aprova a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais. [internet]. Brasília (DF): 2013.[citado 021 agosto 2016]. Disponível em: http://www.fecam.org.br/arquivosbd/basico/0.681344001273163950_paefi___conceito.pdf.

Conselho Nacional de Assistência Social (BR). Política Nacional de Assistência Social (PNAS). Resolução Nº 145, de 15 de Outubro de 2005. [internet]. Brasília (DF): 2005.[citado 07 dezembro 2016]. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/PNAS2004.pdf.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236583425720

Direitos autorais 2018 Saúde (Santa Maria)

Acessos desde 08/08/2013.

   

 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

ISSN 0103-4499 ∴ eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

Licença Creative Commons