Perfil dos acidentes de trabalho em uma cidade de pequeno porte no sul do Brasil

Luísa Ortlieb Fontana, Luciane Peter Grillo

Resumo


Introdução: Acidente de trabalho é aquele que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa provocando lesão corporal ou perturbação funcional que causa a morte ou a perda, ou redução permanente ou temporária da capacidade para o trabalho. Objetivo: Descrever o perfil dos acidentes de trabalho ocorridos no município de Curitibanos, Estado de Santa Catariana, Brasil, no período de 2011 a 2015. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório descritivo, com dados secundários provenientes das Comunicações de Acidentes do Trabalho fornecido pelo Instituto Nacional de Seguridade Social. Resultados: No período estudado foram registrados 487 acidentes, destes 85,4% (n=416) eram homens com renda média entre um e dois salários mínimos (n=369, 75,8%), idade entre 20 e 39 anos (n=298, 61,2%), solteiros (n=236, 48,5%), atuando na ocupação de alimentador de linha de produção (n=124, 25,5%), tendo atingido membros superiores ou inferiores (n=372, 76,3%), sofrendo lesão de fratura, corte, laceração ou ferida contusa (n=204, 41,9%). Conclusão: Estes resultados podem contribuir para subsidiar a vigilância de causas externas e direcionar políticas públicas voltadas para a promoção da saúde do trabalhador, principalmente neste município estudado.

Descritores: acidentes de trabalho; saúde do trabalhador; notificação de acidentes de trabalho; riscos ocupacionais.

Palavras-chave


acidentes de trabalho; saúde do trabalhador; notificação de acidentes de trabalho; riscos ocupacionais

Texto completo:

PDF

Referências


Oliveira AGS, Bakke HÁ, Alencar JF. Riscos biomecânicos posturais em trabalhadores de uma serraria. Fisioterapia e Pesquisa. 2009; 16(1):28-33.

Brasil. Lei nº. 8.213, de 24 de julho de 1991.

Santana VS, Araújo Filho JB, Albuquerque-Oliveira PR, Barbosa-Branco A. Acidentes de trabalho: custos previdenciários e dias de trabalho perdidos. Revista de Saúde Pública. 2006; 40(6):1004-12.

Organização Mundial da Saúde. CID-10 Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde [Internet]. [citado em 5 abr. 2016]. Disponível em: http://www.cid10.com.br

Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego [Internet]. 2016 [citado em 5 abr. 2016]. Disponível em: http://www. mtecbo.gov.br/cbosite/pages/home.jsf.

Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas: IBGE, 2010 [Internet]. [citado em 11 ago. 2015]. Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/painel.php?lang=&codmun=420480&search=|curitibanos.

Brasil. Anuário Estatístico da Previdência Social. V. 23. Brasília: MTPS/DATAPREV, 2016.

Classificação internacional de doenças [Internet]. [citado em 1 jul. 2016]. http://www.medicinanet.com.br/cid10.htm.

Silva EP da; Cotta RMM.; Souza AP, Minette LJ, Vieira HANF. Diagnóstico das condições de saúde de trabalhadores envolvidos na atividade de extração manual de madeira. Revista Árvore. 2010; 34(3):561-5.

Scussiato LA, Sarquis LMM, Kirchhof ALC, Kalinke LP. Perfil epidemiológico dos acidentes de trabalho graves no Estado do Paraná, Brasil, 2007 a 2010. Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2013; 22(4):621-30.

Ribeiro S, Augusto FJT, Kluthcovky ACGC. Acidentes de trabalho na indústria madeireira de uma cidade no interior do Paraná: Análise das comunicações de acidentes de trabalho. Revista Salus. 2009; 3(1):15-22.

Rios MA, Nery AA, Alves MS, Jesus CS. Acidentes e doenças relacionadas ao trabalho em Jequié, Bahia, registrados no Instituto Nacional de Seguridade Social, 2008-2009. Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2012; 21(2):315-24.

Kirchhof ALC, Magnago TS, Urbanetto JS, Cera MC, Marques CS, Capellari C. Os acidentes de trabalho atendidos em pronto atendimento de hospital universitário. Revista de Enfermagem. 2004; 25(2):194-201.

Miranda FMD, Scussiato LA, Kirchhof ALC, Cruz EDA, Sarquis LMM. Caracterização das vítimas e dos acidentes de trabalho fatais. Revista Gaúcha de Enfermagem. 2012; 33(2):45-51.

Souza V, Blank VLG, Calvo MCM. Cenários típicos de lesões decorrentes de acidentes de trabalho na indústria madeireira. Revista de Saúde Pública. 2002; 36(6):702-8.

SEBRAE, Santa Catarina. Santa Catarina em Números. Florianópolis: Sebrae/SC, 2010. 118p.

Vilela RAG, Ricardi GVF, Iguti AM. Experiência do programa de saúde do trabalhador de Piracicaba: desafios da vigilância em acidentes do trabalho. Informe epidemiológico do SUS. 2001; 10(2):81-92.

Konig M. Trabalho mata mais que epidemia no Brasil [Internet]. Gazeta do povo, 2015 [citado em 6 jun. 2016]. Disponível em: http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/especiais/acidentes-de-trabalho-no-brasil/index.jpp.

Simão E, Marchesini L. Brasil perde 1,542 milhão de empregos formais em 2015 [Internet]. São Paulo: Valor, 2016. [citado em 5 abr. 2016] Disponível em: http://www.valor.com.br/brasil/4403992/brasil-perde-1542-milhao-deempregos-formais-em-2015.

Brasil. Ministério da Previdência Social [Internet]. 2013 [citado em 1 jun. 2016] Disponível em: http://www3.dataprev.gov.br/scripts10/dardoweb.cgi.

Soares P, Lima S. Economia brasileira cresce 2,3% em 2013 [Internet]. FOLHA: 2014. [citado em 6 jun. 2016] Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/02/1418579-economia-brasileira-cresce-23-em-2013.shtml.

Wunsh Filho, V. Perfil epidemiológico dos trabalhadores. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho. 2004; 2(2):103-17.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583423894

Direitos autorais 2018 Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.