A concepção das mulheres de Mirandópolis-São Paulo acerca do exame de papanicolau

Gean Domingos da Silva Souza, Rafaela Azevedo Abrantes de Oliveira, Annies Stevanin, Mariana Ferreira Sousa, Elton Carlos de Almeida

Resumo


Objetivo: verificar o conhecimento das mulheres de Mirandópolis-São Paulo apresentam sobre o exame de papanicolau. Método: pesquisa de campo exploratória de abordagem quantitativa descritiva, realizada no município de Mirandópolis – São Paulo, com amostra de cem mulheres, que responderam a um questionário autoaplicável. Os dados foram analisados com o auxílio do software SPSS, e dispostos em porcentagem. Resultados: os dados evidenciaram que, 83% das mulheres, já realizaram o exame Papanicolau, 42% delas realizam o exame uma vez ao ano, com perda da periodicidade preconizada pelo Ministério da Saúde. A vergonha e a falta de tempo apresentaram como a principal barreira para a não realização do exame de papanicolau. Conclusão: o rastreamento do Câncer do colo uterino deve estar focado no conhecimento, e na diminuição dos fatores contribuintes para a não realização do Exame de Papanicolau, que advém de um relacionamento empático e de confiança entre as usuárias e o profissional de saúde.


Palavras-chave


Enfermagem; Conhecimento; Esfregaço vaginal; Saúde da mulher

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/217976929647



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.