Autocuidado de indivíduos com insuficiência cardíaca

Fabiane Bomfim da Silva Costa, Glicia Gleide Gonçalves Gama, Andreia Santos Mendes

Resumo


Objetivo: descrever o nível de autocuidado de indivíduos com insuficiência cardíaca (IC). Método: estudo descritivo, realizado num ambulatório de cardiologia em Salvador, Bahia, no período de setembro e outubro de 2017 e em janeiro de 2018. Foram feitas entrevistas gravadas utilizando instrumento próprio e aplicado a Escala Europeia de comportamento do autocuidado na Insuficiência Cardíaca (EEAIC). Resultados: a amostra foi composta por 43 indivíduos, do sexo masculino (53,5%), entre 51 a 60 anos (34,9%), raça/cor autodeclarada negra (46,5%), vivendo com companheiro(a) (51,2%), baixa escolaridade (ensino fundamental incompleto 41,9%) e baixa renda (39,5%). Com relação ao autocuidado, o valor médio do score na EEAIC foi de 30,1 (±7,4). Evidenciou-se que 46,5% dos entrevistados apresentaram capacidade inadequada para o autocuidado (score total entre 31 a 50 pontos). Conclusão: o comportamento de autocuidado foi de moderado à insatisfatório sugerindo implementação de práticas educativas efetivas para capacitar os indivíduos no manejo da doença.


Palavras-chave


Insuficiência Cardíaca; Autocuidado; Escala de avaliação comportamental; Educação em Saúde; Enfermagem.

Texto completo:

PDF PDF HTML HTML (English)

Referências


Poffo MR, Assis AV, Fracasso M, Londero Filho OM, Alves SMM, Bald AP, et al. Perfil dos pacientes internados por insuficiência cardíaca em hospital terciário. Int J Cardiovasc Sci. 2017;30(3):189-98. doi: http://dx.doi.org/10.5935/2359-4802.20170044

Freitas AKE, Cirino RHD. Manejo ambulatorial da insuficiência cardíaca crônica. Rev Med UFPR [Internet]. 2017 jul-set [acesso em 2019 set 28];4(3):123-36. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/revmedicaufpr/article/view/56397/33902

Tossin BR, Souto VT, Terra MG, Siqueira DF, Mello AL, Silva AA. As práticas educativas e o autocuidado: evidências na produção científica da enfermagem. REME Rev Min Enferm. 2016; 20:e940. doi: http://dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20160010

Bonin CDB, Santos RZ, Erkmann N, SouzaVF, Assis AV, Benetti M. Conhecimento sobre a insuficiência cardíaca em participantes e não participantes de reabilitação. Int J Cardiovasc Sci [Internet]. 2016 [cited 2019 jul 04];29(6):453-9. Available from: http://www.onlineijcs.org/english/sumario/29/29-6/original4.asp

Jorge AJL, Rosa MLG, Correia DMS, Martins WA, Ceron DMM, Coelho LCF, et al. avaliação da qualidade de vida em pacientes com e sem insuficiência cardíaca na atenção primária. Arq Bras Cardiol. 2017;109(3):248-52. doi: http://dx.doi.org/10.5935/abc.20170123

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Diretriz brasileira de insuficiência cardíaca crônica e aguda. Arq Bras Cardiol [Internet]. 2018 [acesso em 2019 jun 25];111(3):436-539. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/portal/abc/portugues/2018/v11103/pdf/11103021.pdf

Linn AC, Azzolin K, Souza EN. Association between self-care and hospital readmissions of patients with heart failure. Rev Bras Enferm. 2016;69(3):469-74. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690312i

Pereira FAC. O autocuidado na insuficiência cardíaca: tradução, adaptação e validação da European Heart Failure Self-Care Behaviour Scale para o contexto português [dissertação]. Porto (Portugal): Universidade do Porto, Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar; 2013 [acesso em 2019 jul 19]. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/70811/2/30857.pdf

Sampaio AC. Qualidade dos prontuários médicos como reflexo das relações médico-usuário em cinco hospitais do Recife/PE [tese]. Recife: Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz; 2010 [acesso em 2020 abr 24]. Disponível em: https://www.cpqam.fiocruz.br/bibpdf/2010sampaio-ac.pdf

Mesquita ET, Jorge AJL, Rabelo LM, Souza Júnior CV. Entendendo a hospitalização em pacientes com insuficiência cardíaca. Int J Cardiovasc Sci [Internet]. 2017 [acesso em 2019 jun 22]; 30(1):81-90. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ijcs/v30n1/pt_2359-4802-ijcs-30-01-0081.pdf

Campelo RC, Silva WC, Batista NJC. Atuação do enfermeiro nas orientações para a prevenção de fatores agravantes na Insuficiência Cardíaca Congestiva: revisão integrativa. Braz J Surg Clin Res [Internet]. 2018 set-nov [acesso em 2019 set 04];24(2):176-80. Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20181006_151416.pdf

Sposito NPB, Kobayashi RM. Conhecimento das mulheres com insuficiência cardíaca. REME Rev Min Enferm. 2016;20:e982. doi: http://dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20160052

Freitas AKE, Cirino RHD. Manejo ambulatorial da insuficiência cardíaca crônica. Rev Med UFPR [Internet]. 2017 jul-set [acesso em 2019 jul 08];4(3):123-36. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/revmedicaufpr/article/view/56397/33902

Viana PAS, Carneiro Neto JD, Novais CT, Guimarães IF, Lopes YS, Reis BC. Perfil de pacientes internados para tratamento de insuficiência cardíaca descompensada. SANARE, Rev Polít Públicas (Sobral). 2018 jan-jun;17(1):15-23. doi: https://doi.org/10.36925/sanare.v17i1.1218

Jaenisch RB, Faralozzo F. Efeito do treinamento resistido em pacientes insuficiência cardíaca. Rev Perspect Ciênc Saúde [Internet]. 2017 [acesso em 2019 jun 15];2(1):124-36. Disponível em: http://sys.facos.edu.br/ojs/index.php/perspectiva/article/view/46

Calegari L, Barroso BF, Bratz J, Romano S, Figueiredo GF, Ceccon M, et al. Efeitos do treinamento aeróbico e do fortalecimento em pacientes com insuficiência cardíaca. Rev Bras Med Esporte. 2017 mar-abr;23(2). doi: http://dx.doi.org/10.1590/1517-869220172302153651

Silva PLS, Mendes FCV. Fisioterapia no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva. Braz J Surg Clin Res [Internet]. 2017 jun-jul [acesso em 2019 jun 27];19(1):115-22. Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20170605_151326.pdf

Medeiros J, Medeiros CA. Avaliação do autocuidado nos portadores de insuficiência cardíaca. Cogitare Enferm. 2017;22(3):e51082. doi: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i3.51082




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769240711

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.