Escala de folgas: satisfação de técnicos e auxiliares de enfermagem

Vanessa Monteiro Mantovani, Andréia Jandira Fonseca, Maria Henriqueta Luce Kruse, Amália de Fátima Lucena, Isabel Cristina Echer

Resumo


Objetivo: conhecer a satisfação dos técnicos e auxiliares de enfermagem em relação a um modelo de escala fixa de folgas. Método: estudo qualitativo realizado em uma unidade de internação de um hospital universitário do sul do Brasil, entre outubro e novembro de 2013. A coleta de dados ocorreu por meio de entrevistas a 11 profissionais da equipe de enfermagem. Os dados foram analisados por técnica de análise de conteúdo. Resultados: da análise emergiu a categoria “Satisfação em trabalhar com escala de folgas fixa” e as subcategorias “Benefícios para a vida pessoal dos profissionais” e “Benefícios no ambiente de trabalho para os profissionais”. Considerações finais: o modelo de escala de folga fixa promoveu satisfação pessoal e profissional, e integração entre as equipes de enfermagem, fatos que podem melhorar o ambiente de trabalho e a qualidade da assistência prestada.


Palavras-chave


Recursos humanos de enfermagem; Satisfação no emprego; Trabalho em turnos; Enfermagem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179769219447



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.