Saneamento básico: um estudo na Região Metropolitana da Grande São Luís

Débora Danna Soares da Silva

Resumo


A falta de acesso universal ao saneamento básico acaba comprometendo a saúde pública da comunidade, assim o serviço de saneamento básico eficiente tem grande poder e deve fazer parte de políticas públicas prioritárias. Com isso, este trabalho teve como objetivo diagnosticar os serviços de saneamento básico da Região Metropolitana da Grande São Luís, através da percepção do usuário. A metodologia utilizada foi a aplicação de questionários, os quais foram tratados através de método estatístico, sendo aplicados em 117 residências nos meses de abril e maio de 2019. De acordo com os resultados, verificou-se que o serviço de saneamento mais deficiente em toda Região Metropolitana é o esgotamento sanitário, percebeu-se que os índices de atendimento são baixos e tem municípios da Região Metropolitana que não possui qualquer atendimento referente a esse serviço. Além disso, conforme usuários, os serviços de limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos são os melhores consolidados. Assim, conclui-se que a metodologia de avaliação do sistema a partir da percepção do usuário mostrou-se ferramenta importante para a gestão, para o planejamento, para a credibilidade do sistema e para monitorar a prestação dos serviços.

Palavras-chave


Levantamento; Qualidade ambiental; Infraestrutura; Monitoramento; Usuário

Texto completo:

HTML PDF

Referências


ARAÚJO, Bequiane Pereira de Araújo et al.. Saneamento básico: estudo de caso no bairro Morro do Pequi Corrente, PI. In: Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, 7., 2016, Campina Grande/PB. Anais... Campina Grande/PB, 2016.

AYACH, Lucy Ribeiro et al.. Saúde, saneamento e percepção de riscos ambientais urbanos. Caderno de Geografia, Belo Horizonte, v. 22, n. 37, p.47-64, 2012.

BRASIL. Fundação Nacional de Saúde. Manual do Saneamento. 3 ed. rev. - Brasília: Fundação Nacional de Saúde - FUNASA, 2004. 408 p.

BRASIL. Lei n° 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei n° 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências. Publicado no DOU de 8.1.2007 e retificado no DOU de 11.1.2007.

BRASIL. Fundação Nacional de Saúde. Resíduos sólidos e a saúde da comunidade: informações técnicas sobre a interrelação saúde, meio ambiente e resíduos sólidos. Brasília: Fundação Nacional de Saúde - FUNASA, 2013. 44 p.

GONÇALVES, Keyt Oliveira; FERNANDES, Lindemberg Lima; GIRARD, Luiza. Diagnóstico do serviço de abastecimento de água na percepção do usuário no município de Barcarena - Pará. Revista Monografias Ambientais - Remoa, Santa Maria, v. 14, n. 1, p.20-25, jan. 2015.

GOUVEIA, Nelson. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciência e Saúde Coletiva, São Paulo, v. 6, n. 17, p.1503-1510, abr. 2012.

OLIVEIRA, Paulo Henrique F. C. Amostragem básica – Aplicação em auditoria. Ed. Ciência Moderna Ltda, 2004.

OLIVEIRA, Dulce Raquel Pereira Oliveira et al.. Avaliação do grau de contaminação microbiológica do estuário do Rio Paciência, Estado do Maranhão. Arquivos de Ciências do Mar, Fortaleza, v. 45, n. 1, p. 56-61, 2012.

OLIVEIRA, Mayara Silva. VIEIRA, Andressa Brito, CARVALHO, Mônica Teixeira. Saneamento ambiental na Grande São Luís: o que os olhos não veem, a população sente. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – ipea 2014. Funções públicas de interesse comum nas metrópoles brasileiras: transportes, saneamento básico e uso do solo / organizadores: Marco Aurélio Costa, Bárbara Oliveira Marguti. – Brasília: IPEA, 2014. p. 187-209.

RIBEIRO, Júlia Werneck; ROOKE, Juliana Maria Scoralick. Saneamento básico e sua relação com o meio ambiente e a saúde pública. 2010. 36 f. TCC (Especialização) - Curso de Especialização em Análise Ambiental, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2010.

SILVA, Isadora de Queiroz da. Análise preliminar dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário em São Luís do Maranhão, Brasil: um enfoque ambiental. 2015. 71 f. TCC (Graduação) - Curso de Ciência e Tecnologia – BICT, Universidade Federal do Maranhão, Maranhão, 2018.

SILVA, Gilmar Silvério da et al.. Avaliação integrada da qualidade de águas superficiais: grau de trofia e proteção da vida aquática nos rios Anil e Bacanga, São Luís (MA). Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, vol.19, n.3, jul./set. 2014.

SILVA, Isael Gomes; VIANA, Michael Barbosa Viana. Implantação de sistema de esgotamento sanitário no bairro Vila Epitácio Cafeteira – trecho da Bacia do rio Santo Antônio – no município de Paço do

LUMIAR/MA. Revista Caribeña de Ciencias Sociales, Málaga, Espanha, v., n., jul. 2019.

SIQUEIRA, Mariana Santiago et al.. Internações por doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado na rede pública de saúde da região metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 2010-2014. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, 26(4):795-806, out-dez 2017.

SNIS. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento. Diagnóstico de Água e Esgoto – 2018 – série histórica – municípios: São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa. Brasília, 2018.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. Princípios do tratamento biológico de águas residuárias. 4ª Edição. Volume 1. Editora UFMG. Belo Horizonte, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130841911

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.