Epidemiology of hanseniasis cases notified in Guaraí, Tocantins, from 2008 to 2018

Adriana Keila Dias, Juliana Heloisa Pinê Américo-Pinheiro, Leonice Domingos dos Santos Cintra Lima, Danila Fernanda Rodrigues Frias

Abstract


The present work aimed to analyze the epidemiological data of leprosy available in public domains from 2008 to 2018 in the municipality of Guaraí, Tocantins. This is a cross-sectional, descriptive, retrospective and quantitative study based on secondary data. In the period from 2008 to 2018, 328 cases of leprosy were registered with a coefficient of general hyperendemic detection in the years 2008, 2009 and 2012, very high in 2010 and 2013, high in 2011, 2014, 2015, 2016, and 2017; especially 35-49 years old with 96 (29%) cases, 20–30 and 50-64 with 78 (24%) respectively. The mean detection rate of the disease in children under 15 years of age during the study period was 6.7 / 100,000 inhabitants, with 50.3% of cases classified as paucibacillary and 49.7% multibacillary. Given the above, the need for measures that reveal the epidemiological reality of leprosy is reinforced, raising aspects that may contribute to prevention, diagnosis and treatment, in order to reduce morbidity and physical disabilities.


Keywords


Mycobacterium leprae; Leprosy; Public health

References


Azevedo, M.S, Gonçalves, E.F., Carvalho, A.V. Prevalência da hanseníase no período de 2013 a 2017 em Guaraí/TO/TO. Scire Salutis, v.7, n.2, p.58-64, 2017.

BARBOSA, D.R.M.; ARAÚJO, A.A.; DAMACENO, J.C.F.; ALMEIDA, M.G.; SANTOS, A.G. Perfil Epidemiológico da Hanseníase em Cidade Hiperendêmica do Maranhão, 2005-2012. Revista Rede de Cuidados em Saúde, v.8, n.1, p.1-13, 2014.

BARBOSA, H.F.S.; SATO, M.O. Estudo do perfil clínico e epidemiológico da hanseníase no estado do Tocantins, no período de 2004 até os dias atuais. 9º Seminário de Iniciação Científica. 26 a 29 de novembro de 2013 – Campus de Palmas, UFT, 2013.

BONA, S.H.; SILVA, L.O.B.V.; COSTA, U.A.; HOLANDA, A.O.N.; CAMPELO, V. Recidivas de hanseníase em Centros de Referência de Teresina, Piauí, 2001-2008. Epidemiologia Serviços Saúde, v.24, n.4, p.731-738, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Normas e Procedimentos para Vacinação. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria 3125, de 7 de outubro de 2010. Aprova as Diretrizes para Vigilância, Atenção e Controle da Hanseníase.

BRASIL. Ministério da Saúde. Roteiro para uso do Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan NET para hanseníase. Manual para tabulação dos indicadores de hanseníase. Secretaria de Vigilância em Saúde. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Vigilância em Saúde: Dengue, Esquistossomose, Hanseníase, Malária, Tracoma e Tuberculose. 2. ed. rev. - Brasília: Ministério da Saúde, 2008. 195 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Diretrizes para vigilância, atenção e eliminação da Hanseníase como problema de saúde pública: manual técnico-operacional. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. 58 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Sistema nacional de vigilância em saúde. Relatório de situação: Tocantins. 5. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 34 p.: il. color. – (Série C. Projetos, Programas e Relatórios). 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Situação Epidemiológica da Hanseníase. 2019.

BRITO, A.L.; MONTEIRO, L.D.; RAMOS JUNIOR, A.N.; HEUKELBACH, J.; ALENCAR, C.H. Tendência temporal da hanseníase em uma capital do Nordeste do Brasil: epidemiologia e análise por pontos de inflexão, 2001 a 2012. Revista Brasileira de Epidemiologia, v.19, n.1, p,194-204, 2016.

CAMPOS, S.S.L.; RAMOS JUNIOR, A.N.; KERR-PONTES, L.R.S.; HEUKELBACH, J. Epidemiologia da hanseníase no Município de Sobral, Estado do Ceará-Brasil, no Período de 1997 a 2003. Hansenologia Internationalis, v.30, n.2, p.167-173, 2005.

CHAVES, E.C.; COSTA, S.V.; FLORES, R.L.R.; NEVES, E.O.S. Índice de carência social e hanseníase no estado do Pará em 2013: análise espacial. Epidemiologia Serviço Saúde, v.26, n.4, p.807-816, 2017.

COSTA, A.K.A.N.; PFRIMER, I.A.H.; MENEZES, A.M.F.; NASCIMENTO, L.B.; CARMO FILHO, J.R. Aspectos clínicos e epidemiológicos da hanseníase. Revista de Enfermagem UFPE, v.13, n.2, p.353-362, 2019.

FREITAS, B.H.B.M.; CORTELA, D.C.B.; FERREIRA, S.M.B. Tendência da hanseníase em menores de 15 anos em Mato Grosso (Brasil), 2001-2013. Revista de Saúde Pública, v.51, p.1-10, 2017.

HAKER, M.D.; DUPREE, N.C.; NERY, J.A.C.; SALES, A.M.; SARNO, E.N. Characteristics of leprosy diagnosed through the surveillance of contacts: a comparison with index cases in Rio de Janeiro, 1987-2010. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, v.107, supl1, p.49-54, 2012.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Panorama Tocantins. 2019.

LOUZANO, A.W. Perfil dos comunicantes intradomiciliares de hanseníase em uma cidade hiperendêmica. Dissertação de Mestrado (Ciências da Saúde). Faculdade Medicina Rio Preto - FAMERP. São José do Rio Preto; 2017.

MARTINS, P.V.; ARIART, J.A.B. Itinerários terapêuticos de pacientes com diagnóstico de hanseníase em Salvador, Bahia. Revista de Psicologia e Saúde Coletiva, v.24, n.1, p.273-289, 2014.

MONTEIRO, L.D.; LOPES, L.S.O.; SANTOS, P.R.; RODRIGUES, A.L.M.; BASTOS, W.M.; BARRETO, J.A. Tendências da hanseníase após implementação de um projeto de intervenção em uma capital da Região Norte do Brasil, 2002-2016. Cadernos de Saúde Pública, v.34, n.11, e00007818, 2018.

MONTEIRO, L.D.; MARTINS-MELO, F.R.; BRITO, A.L.; LIMA, M.S.; ALENCAR, C.H.; HEUKELBACH, J. Tendências da hanseníase no Tocantins, um estado hiperendêmico do Norte do Brasil, 2001-2012. Cadernos de Saúde Pública, v.31, p.971-980, 2015.

MONTEIRO, L.D.; MELLO, F.R.M.; MIRANDA, T.P.; HEUKELBACH, J. Hanseníase em menores de 15 anos no estado do Tocantins, Brasil, 2001-2012: padrão epidemiológico e tendência temporal. Revista Brasileira de Epidemiologia, v.22, e190047, 2019.

MONTEIRO, L.D.; MOTA, R.M.S.; MARTINS-MELO, F.R.; ALENCAR, C.H.; HEUKELBACH, J. Social determinants of leprosy in a hyperendemic State in North Brazil. Revista de Saúde Pública, v.51, p.1-11, 2017.

NETO JUNIOR, M.S. Perfil epidemiológico dos casos de hanseníase notificados na cidade de Fernandópolis, São Paulo, no período de 2014 a 2016. 2019. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) – Universidade Brasil, Fernandópolis, 2019.

NEVES, D.C.O.L.; RIBEIRA, C.D.T.; SANTOS, L.E.S.; LOBATO, D.C. Tendência das taxas de detecção de hanseníase em jovens de 10 a 19 anos de idade nas Regiões de Integração do estado do Pará, Brasil, no período de 2005 a 2014. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v.8, n.1, p.29-37, 2017.

OLIVEIRA, A.K.S.; FREIRE, F.F.S.; NASCIMENTO, M.R.F. Incidência e Perfil Clínico Epidemiológico da Hanseníase no Brasil. Revista Científica da FASETE, v.2018.2, p. 95-108, 2018.

PEREIRA, T.M.I.; SILVA, L.M.S.; DIAS, M.S.A.; MONTEIRO, L.D.; SILVA, M.R.F.; ALENCAR, O.M. Tendência temporal da hanseníase em região de alta endemicidade do Nordeste brasileiro. Revista Brasileira de Enfermagem, v.72, n.5, p.1356-1362, 2019.

RIBEIRO, M.D.A.; SILVA, J.C.A.; OLIVEIRA, S.B. Estudo epidemiológico da hanseníase no Brasil: reflexão sobre as metas de eliminação. Revista Panamericana de Salud Pública, v.42, e42, 2019.

SCHNEIDER, P.B.; FREITAS, B.H.B.M. Tendência da hanseníase em menores de 15 anos no Brasil, 2001-2016. Cadernos de Saúde Pública, v.34, n.3, e00101817, 2018.

SOUZA, C.D.F.; LUNA, C.F.; MAGALHAES, M.A.F.M. Transmissão da hanseníase na Bahia, 2001-2015: modelagem a partir de regressão por pontos de inflexão e estatística de varredura espacial. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v.28, n.1, e 2018065, 2019.

SOUZA, E.A.; FERREIRA, A.F.; NZUNDU, R.; ALENCAR, C.H.M. Programmatic vulnerability in leprosy control: Gender-related patterns in Bahia State, Brazil. Cadernos de saúde pública, v.34, n.1, e 00196216, 2018.

VIEIRA, G.D.; ARAGOSO, I.; CARVALHO, R.M.B.; SOUSA, C.M. Hanseníase em Rondônia: incidência e características dos casos notificados, 2001 a 2012. Epidemiologia e Serviço da Saúde, Brasília, v.23, n.2, p.269-275, 2014.

WHO. Organização Mundial da Saúde (OMS). Global leprosy update, 2015: time for action accountability and inclusion, v. 91, n. 35, p. 405–420, 2016.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236117045236

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

DEAR AUTHORS,

PLEASE, CHECK CAREFULLY BEFORE YOUR SUBMISSION:

- IF ALL AUTHORS "METADATA" (ORCID, LINK TO LATTES, SHORT BIOGRAPHY, AFFILIATION) WERE ADDED,

- THE CORRECT IDIOM YOUR SECTION,

- IF THE HIGHLIGHTS WERE ADDED,

- IF THE GRAPHIC ABSTRACTS WAS ADDED,

- IF THE REVIEWERS INDICATION WAS DONE,

- IF THE REFERENCES FORMAT ARE CORRECT(ABNT)

- IF THE RESOLUTION YOUR FIGURES (600 DPI) ARE SUITABLE

*******************************

PREZADOS AUTORES,

POR FAVOR, VERIFIQUE ATENTAMENTE ANTES DA SUBMISSÃO: 
- SE OS METADADOS (ORCID, LINK PRO LATTES, CURTA BIOGRAFIA E AFILIAÇÃO) DE "TODOS" OS AUTORES FORAM ADICIONADOS, 
- IDIOMA, 
- SE OS HIGHLIHTS FORAM ADICIONADOS, 
- SE O GRAPHICAL ABSTRACT FOI ADICIONADO, 
- SE A INDICAÇÃO DOS REVISORES FOI FEITA, 
- SE O FORMATO DAS REFERÊNCIAS ESTÁ ADEQUADO (ABNT) 
- SE A RESOLUÇÃO SUAS FIGURAS (600 DPI) ESTÁ ADEQUADA.

 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

 

**************************************************

WE ARE ON FACEBOOK! (You are our guest!)

 

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/22361170

Contact: reget.ufsm@gmail.com

...................................................................................


Accesses since 19/06/2012

...................................................................................

Sponsors: