Cleaner production implementation in the textile sector: The case of a medium-sized industry in Minas Gerais

Nelma Penha da Costa, José Francisco Prado Filho, Alberto Fonseca

Abstract


Textile industries have been increasingly adopting cleaner production strategies, particularly in developed countries. In Brazil and globally, there are arguably few publications addressing this phenomenon. This study aimed at understanding the extent to which industries from textile sector implement cleaner production strategies, based on the empirical analysis of a particular medium-sized industry in the state of Minas Gerais, Brazil. A checklist of cleaner production opportunities, drawn from the literature, was analyzed in the context of the selected industry. Data were collected through interviews and field surveys. This study identified cleaner production opportunities for textiles industries and pointed out a number most viable actions. The study also identified that cleaner production can work as an effective environmental management framework for medium-sized industries. However, depending on the particular aspects of each industry, cleaner production actions may be perceived as technically and economically unviable. In the particular case study, the most implemented actions were those that required lower investments and that were not technically demanding. Results suggest that cleaner production can drive proactive environmental efforts, resulting in technological and economic benefits. However, results also suggest that such benefits may not be easily obtained, particularly in the context of industries with out-of-date technological processes. 


Keywords


Cleaner production; Textile sector; Environmental management; Social Responsibility; Brazil.

Full Text:

PDF

References


Araújo, AF. A aplicação da metodologia de produção mais limpa: estudo em uma empresa do setor de construção civil. 2002. 121 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

CNTL. O que é produção mais limpa? PortoAlegre: Centro Nacional de Tecnologias Limpas SENAI-RS/UNIDO/UNEP; 2003.

CETESB. Guia Técnico Ambiental da Indústria Têxtil – Série P+L. 2009. Disponível em: < www.sinditextilsp.org.br/guia_p%2Bl.pdf.pdf>. Acesso em: 09 mai. 2017.

CEBDS. Guia da produção mais limpa: faça você mesmo. Rio de Janeiro, 2005. Disponível em: < http://cebds.org/wp-content/uploads/2016/09/Guia-Pra%CC%81tico-de-PmaisL.pdf>. Acesso em: 09 mai. 2017.

Giannetti BF, Almeida CMVB. Ecologia industrial: conceitos, ferramentas e aplicações. São Paulo: Edgard Blucher; 2006. p. 1-84.

Giffoni PO, Lange LC. A utilização de borra de fosfato como matéria-prima alternativa para a fabricação de tijolos. 2005; 10(2): 128-136.

Hilson G. Defining “cleaner production” and “pollution prevention” in the mining context. Minerals Engineering. 2003; 16(4): 305-321.

Hinza RTP, Valentina LVD, Franco AC. Monitorando o desempenho ambiental das organizações através da produção mais limpa ou pela avaliação do ciclo de vida. Revista Produção Online. 2007; 7(3).

Monteiro F. Procedimento do sistema de gestão: gerenciamento de resíduos. Sete Lagoas: CEDRO; 2004.

Oliveira EB et al. Desenvolvimento sustentável e produção mais limpa: estudo de caso em uma empresa do setor moveleiro. ConTexto. 2009; 9(16): 1-12.

Pimenta HCD, Marques Júnior S. Modelo de gerenciamento de resíduos sólidos: um estudo de caso na indústria de panificação em Natal-RN. In: XXVI Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Fortaleza, 2006. Disponível em: < http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2006_tr520347_8416.pdf >. Acesso em: 09 mai 2017.

Philippi AJr, Roméro MA, Bruna GC. Curso de gestão ambiental. Barueri, SP: Editora Manole; 2004. p. 154-210.

PNUMA. A produção mais limpa e o consumo sustentável na América Latina e Caribe. São Paulo, 2004. Disponível em: < http://www.cqgp.sp.gov.br/gt_licitacoes/publicacoes/AProducaoMaisLimpaeoConsumoSustentavelNaALeC.pdf>. Acesso em: 09 mai 2017.

Rensi F, Schenini PC. Produção mais limpa. Revista de Ciências da Administração. 2006; 8(16): 1-26.

SEBRAE. Critérios de classificação de empresas. 2009. Disponível em: . Acesso em: 09 mai 2017.

Silva Filho JCG, Sicsú AB. Produção Mais Limpa: uma ferramenta de gestão ambiental aplicada às empresas nacionais. In: XXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Ouro Preto, 2003. Disponível em: < http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2003_TR1005_0001.pdf>. Acesso em: 09 mai 2017.

Silva MP. Estudo da viabilidade de implantação de práticas de produção mais limpa em laboratórios da Fundação Ezequiel Dias – MG. 2009. 168 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2009.

Silva RB. et al. Aplicação da produção mais limpa no processo de clarificação do caldo de cana para a produção de açúcar. Revista GEPROS. 2009; 4(1): 60-71.

Sisinno CLS. Disposição em aterros controlados de resíduos sólidos industriais não-inertes: avaliação dos componentes tóxicos e implicações para o ambiente e para a saúde humana. Cadernos de Saúde Pública. 2008; 19(2): 369-374.

United Nations Environment Programme (UNEP). Implementation Guidelines for Governments. Paris: UNEP; 2001.

Vendrametto O, Sacomano JB, Chaves LEC, Santos OSS, Oliveira Neto GC. Governança corporativa sustentável e vantagem na implementação da Produção Mais Limpa: um estudo de caso. In: IV Congresso Nacional de Excelência em Gestão. Niterói, 2008. Disponível em: . Acesso em: 09 mai. 2017.

Vivela Júnior A, Demarjorovic J. Modelos e ferramentas de gestão ambiental: desafios e perspectivas para as organizações. São Paulo: Senac; 2006. p. 41-148.

Wener EM, Bacarji AG, Hall RJ. Produção mais limpa: conceitos e definições metodológicas. SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Cuiabá, 2009. Disponível em: < http://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos09/306_306_PMaisL_Conceitos_e_Definicoes_Metodologicas.pdf >. Acesso em: 09 mai. 2017.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236117029373



DEAR AUTHORS,

PLEASE, CHECK CAREFULLY BEFORE YOUR SUBMISSION:

- IF ALL AUTHORS "METADATA" (ORCID, LINK TO LATTES, SHORT BIOGRAPHY, AFFILIATION) WERE ADDED,

- THE CORRECT IDIOM YOUR SECTION,

- IF THE HIGHLIGHTS WERE ADDED,

- IF THE GRAPHIC ABSTRACTS WAS ADDED,

- IF THE REVIEWERS INDICATION WAS DONE,

- IF THE REFERENCES FORMAT ARE CORRECT(ABNT)

- IF THE RESOLUTION YOUR FIGURES (600 DPI) ARE SUITABLE

*******************************

PREZADOS AUTORES,

POR FAVOR, VERIFIQUE ATENTAMENTE ANTES DA SUBMISSÃO: 
- SE OS METADADOS (ORCID, LINK PRO LATTES, CURTA BIOGRAFIA E AFILIAÇÃO) DE "TODOS" OS AUTORES FORAM ADICIONADOS, 
- IDIOMA, 
- SE OS HIGHLIHTS FORAM ADICIONADOS, 
- SE O GRAPHICAL ABSTRACT FOI ADICIONADO, 
- SE A INDICAÇÃO DOS REVISORES FOI FEITA, 
- SE O FORMATO DAS REFERÊNCIAS ESTÁ ADEQUADO (ABNT) 
- SE A RESOLUÇÃO SUAS FIGURAS (600 DPI) ESTÁ ADEQUADA.

 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

 

**************************************************

WE ARE ON FACEBOOK! (You are our guest!)

 

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/22361170

Contact: reget.ufsm@gmail.com

...................................................................................


Accesses since 19/06/2012

...................................................................................

Sponsors: