Analysis of sustainable practices in micro-enterprises of the industrial sector of the central region of the state of Rio Grande do Sul

Stéfani Dona Motta, Renata Coradini Bianchi, Patrinês Aparecida França Zonatto, Juliana Andreia Rudell Boligon, Ana Carolina Cozza Josende da Silva

Abstract


Nowadays companies are under pressure from the globalized market to have a sustainable, quality and value added attitude. The micro-enterprises along with the ones of small size are the most representative in the world, highlighting the importance of their role in the society according to the Brazilian Support Service for Micro and Small Enterprises - SEBRAE (2017). Therefore, this research aims to analyze the sustainable practices used by microenterprises from the industrial region of the central state of Rio Grande do Sul. To do so, the nature of research is classified as qualitative and quantitative, exploratory, and the methodology used was the multiple case study. The research was applied in five micro-companies of the industrial sector that make up the Metal Centro cluster, through semi-structured interviews with the managers. The obtained data were processed in the software Sphinx Léxica - v5, to aid in the interpretation, after analyzing the quantitative data, the content analysis of the results obtained with the theory approached was performed. .From the research it was evidenced that the micro companies have basic attitudes about sustainable practices, that is, they use those methodologies that are within their reach, because the practices that require a greater degree of dedication, commitment and investment, are not executed. Given this, the results achieved in this research indicate that the development of sustainable practices is not the priority in the business of companies, except in cases of legal norms or government requirements. 


Keywords


Sustentabilidade; microempresas; gestão ambiental; indústria

Full Text:

PDF

References


Almeida, F. (2002). O Bom Negócio da Sustentabilidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Almeida, J. & Premebida, A. (2014). Histórico, Relevância e Explorações Ontológicas da Questão Ambiental. Revista Sociologias, Porto Alegre, RS, v. 35, p.14-33.

Araújo, A. A. et al. (2014). O Sistema de Gestão Ambiental Como Impulsor da Educação Ambiental: Um Estudo de Caso em Uma Empresa do Polo Industrial de Manaus (PIM) a Partir da Percepção de Seus Colaboradores. Revista Monografias Ambientais - Remoa, Santa Maria, RS, v. 13, n. 4, p.3580-3590.

Araújo, G. M. (2005). Sistema de Gestão Ambiental ISO14001/04. Rio de Janeiro. Editora Gerenciamento Verde.

Bauer, M. & Gaskell, G. (2002). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Editora Vozes.

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Classificação De Porte Dos Clientes. 2017. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/financiamento/guia/quem-pode-ser-cliente>. Acesso em: 22 ago. 2018.

Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. (1988). Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

Compêndio e Sustentabilidade. (2017). Brasil - Indicadores ETHOS. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2018.

Coral, E. (2002). Modelos de Planejamento Estratégico para Sustentabilidade Empresarial. 282 f. Tese de doutorado, Curso de Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/82705

Diário de Santa Maria. Santa Maria o 4 Maior Potencial de Consumo do Estado. Santa Maria, 14 jul. 2016. Disponível em: . Acesso em: 21 maio 2018.

Dias, R. (2013). Sustentabilidade como condição para que uma empresa permaneça no mercado. Produção e Consumo Sustentáveis: Oportunidade e diferencial competitivo a partir do empreendedorismo sustentável, Brasília: SEBRAE, p. 95.

Duarte, V. M. N. (2017). Pesquisa Quantitativa e Qualitativa. Revista Brasileira de Gestão. V. 27. pp.628 – 646.

Empresômetrompe. EmpresômetroMPE: Confederação do Comércio Nacional de Bens, Serviços e Turismo. 2017. Disponível em: http://empresometro.cnc.org.br/estatisticas>. Acesso em: 12 abr. 2018.

Em Discussão!: Revista de Audiências Públicas do Senado Federal. S.l, v. 3, n. 11, jun. 2012.

Francischetti, C. E., Camargo, L. S. G & Santos, N. C. (2014). Qualidade de Vida, Sustentabilidade e Educação Financeira. Revista de Finanças e Contabilidade da Unimep – Reficon Piracicaba, SP, v. 1, n. 1, p.33-47.

Franco, N. M. (2008). Mudanças Climáticas e Oportunidades de Negócio Para Pequenas Empresas. Brasília: Sebrae.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. As Micro e Pequenas Empresas Comerciais e de Serviços no Brasil. Coordenação de Serviços e Comércio, Rio de Janeiro, 2003. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2018.

¬¬Indicadores Ethos. Indicadores Ethos: Para Negócios Responsáveis e Sustentáveis. 2017. Disponível em: < http://www3.ethos.org.br>. Acesso em: 13 maio 2018.

Martins, M. R. S & Silva, J. G. F. (2014). O sistema de gestão ambiental baseado na ISO 14000: Importância do instrumento no caminho da sustentabilidade ambiental. Revista Eletônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental - REGET/UFSM, Santa Maria, RS, v. 18, n. 4, p.1460-1466.

Mattar, F. (1996). Pesquisa de marketing. Ed. Atlas.

Ministério do Meio Ambiente. Agenda 21. 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2018.

Molin, M. (2009). Diagnóstico Ambiental para a Implementação de um Sistema de Gestão Ambiental. Estudo de Caso: Gabriella Revestimentos Cerâmicos LTDA. Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC.

Nunes, M. L. T. (2005). Entrevista como Instrumento de Pesquisa. In: M. M. K. Macedo & L. K. Carrasco (Orgs). Textos de entrevista: olhares diversos sobre a interação humana. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Pereira, A. C. et al. (2013). Percepções de gestores sobre as contribuições do processo de certificação ISO 14001 nas práticas de gestão ambiental. Revista de Contabilidade e Organizações, São Paulo, p.73-88.

Razzoto, E. Práticas Sustentáveis. 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2018.

Richardson, R. et al. (1989). Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

Rosa, C., Ferreira, G. L. B. & Possamai, O. (2015). Plano de Gestão Ambiental Baseado em Indicadores de Desempenho Ambiental Aplicado à Microempresas. XXXV ENEGEP - Encontro Nacional de Engenharia de Produção: Perspectivas Globais para a Engenharia de Produção, Fortaleza, p.1-16, 13-16.

Sebrae. Critérios de Classificação de Empresas: MEI - ME - EPP. 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2018.

Silva, E. L & Menezes, E. M. (2001). Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. Florianópolis: Laboratório de Ensino à Distância da UFSC.

Silva, V. A. R. (2014). Desmistificando a Implantação de SGA em MPEs: Aplicação de ferramentas de Gestão Ambiental em empresas do Projeto Adensamento da Cadeia Produtiva do Petróleo, Gás e Energia no Estado do Maranhão. 87 f. Dissertação (Mestrado em Energia e Ambiente) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís. Disponível em: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/674

Souza, M. T. S & Ribeiro, H. C. M. (2013). Sustentabilidade Ambiental: uma Meta-análise da Produção Brasileira em Periódicos de Administração. Revista de Administração Contemporânea - RAC, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p.368-396.

Srour, R. H. (2011). Por que empresas eticamente orientadas? Organicom, São Paulo, v.5, n.8, p. 60-67.

Tagore, V. (2009). O que é Desenvolvimento Sustentável. Revista Meio Ambiente. 2009.

Vellani, C & Ribeiro, M. (2009). Sustentabilidade e Contabilidade. Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, v.1, ano 6, p.187-206.

Vieira, V. A. (2001). As Tipologias, Variações e Características da Pesquisa de Marketing. Revista da FAE, Curitiba, v. 5, n. 1, p.61-70.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e método. Tradução de Daniel Grassi. 2.ed. Porto Alegre: Bookman.




DOI: https://doi.org/10.5902/1983465939047


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

  

   

       

 

------

Revista de Administração da UFSM. Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659