Estilos de Aprendizagem versus Treinamento Vivencial ao Ar Livre

Carlos Eduardo Rodrigues Moreira, Luciano Munck

Abstract


O objetivo deste estudo foi analisar a relação entre estilos individuais de aprendizagem e o treinamento vivencial ao ar livre. Os treinamentos vivenciais tiveram como técnicas o arvorismo, dinâmicas de grupo e paintball. Para alimentar a análise, foram aplicados dois instrumentos de pesquisa a cento e cinco participantes dos treinamentos: o Learning Style Inventory (LSI) e um questionário para identificação da satisfação. A coleta de dados foi realizada nos próprios locais de treinamento, sendo a identificação dos estilos de aprendizagem realizada antes, e a da satisfação, depois dos treinamentos. Os dados evidenciaram que o estilo de aprendizagem predominante entre os participantes da pesquisa foi o estilo acomodador(24,8%). A satisfação foi predominantemente alta, com 100% das respostas variando entre mais ou menos satisfeito e muito satisfeito (arvorismo P=0,006). Os dados da pesquisa demonstraram fraca influência dos estilos individuais de aprendizagem na maior ou menor satisfação para com os treinamentos recebidos. Em suma, concluiu-se que os treinamentos vivenciais ao ar livre possuem características que proporcionam alta satisfação para diferentes habilidades e estilos de aprendizagem. Informação essa que deveria ser levada em consideração por gestores e líderes no momento de planejar e estruturar programas de treinamento e desenvolvimento para seus colaboradores.




DOI: https://doi.org/10.5902/198346592234




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

  

   

       

 

------

Revista de Administração da UFSM. Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659