A COOPERAÇÃO BRASILEIRA NA ÁREA DA EDUCAÇÃO NOS PALOPS NO PERÍODO 2000-2012: PRINCIPAIS ATORES E PROJETOS

Danielle Regina Ullrich, Rosinha Machado Carrion

Resumo


A partir da perspectiva da cooperação Sul-Sul para o desenvolvimento, discursivamente apresentada como um processo de parceria entre países semiperiféricos e periféricos para fins de vantagens mútuas, o presente artigo, de natureza teórica, tem por objetivo provocar a reflexão acerca dos termos em que está se dando a cooperação entre Brasil e os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOPs). Para tal, apresenta os projetos e investimentos realizados pelo Brasil, nos últimos doze anos, no conjunto dos PALOPs, notadamente na área de educação com destaque para os atores por eles responsáveis. Os dados coletados revelam que 77,45% dos projetos de cooperação brasileira na África, estão sendo realizados nesses países, sendo que a área da educação é que mais está recebendo recursos (15,53%) alocados, principalmente, em formação profissional, alfabetização e formulação de políticas públicas para a educação. A conclusão a que se chega é que o direcionamento das ações de cooperação está em consonância com objetivos e estratégias da Política Externa Brasileira (PEB), refletindo tanto os objetivos de natureza política e econômica almejados pelo país, como as questões de natureza cultural em face a proximidade linguística e a matriz colonial comum ao Brasil e aos referidos países lusófonos.


Palavras-chave


Cooperação Sul-Sul; Educação; Brasil; PALOPs.

Texto completo:

PDF




 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.