ENVELHECIMENTOS MASCULINOS: ENTRE VIVÊNCIAS PLURAIS E EXIGÊNCIAS NORMATIVAS

Gabriela Felten da Maia, Fátima Cristina Vieira Perurena, Benedito Medrado

Resumo


Neste artigo nos propomos a descrever e analisar significados de velhice e envelhecimento produzidos em um contexto de homossociabilidade, a partir de informações produzidas em pesquisa de mestrado realizada em uma cidade do interior do Rio Grande do Sul. Partimos das leituras teóricas que buscam compreender os homens e as masculinidades como construções de gênero. Buscamos compreender como ordens simbólicas de gênero produzem distintos olhares ao processo de envelhecer, constituindo-o como plural e heterogêneo, mas ao mesmo tempo marcados por jogos de poder. A metodologia, de natureza qualitativa, baseou-se em registros etnográficos feitos em uma praça central da cidade, onde se concentram uma expressiva quantidade de homens considerados velhos. Nossas análises destacam a multiplicidade de formas possíveis de categorizar, definir e diferenciar experiências de envelhecimento, produzindo modos de ser homem velho também diversos, fortemente marcados pela sexualidade como dispositivo de poder.


Palavras-chave


Envelhecimentos, Gênero, Masculinidades, Sexualidade, Processos de subjetivação.

Texto completo:

PDF




 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.