A PREVALÊNCIA DE SINTOMAS DEPRESSIVOS EM MULHERES ENCARCERADAS DO MUNICÍPIO DE PIMENTA BUENO-RO

Cleber Lizardo de Assis, Eloísa Ádria Rodrigues Vitória

Resumo


A população carcerária feminina vem aumentando e estudos apontam uma maior prevalência de transtornos mentais em mulheres, em especial, nesse espaço. Objetiva-se identificar sintomas depressivos na população feminina em cumprimento de pena de prisão na Casa de Detenção do Município de Pimenta Bueno-RO. Método: Amostra de 17 mulheres, foi aplicado um questionário sócio-demográfico e o BDI-II – Inventario de Depressão de Beck. Resultados e discussão: 76,47% das mulheres apresentaram sintomas depressivos; nos primeiros doze meses e após trinta e sete meses há um alto índice de mulheres com depressão, além de outras variáveis levantadas. Conclusão: privação de liberdade e tempo de reclusão, associados a posição social e econômica desfavorável, baixa escolaridade e falta de qualificação profissional, problemas pessoais, constituem fatores de risco que podem contribuir para desenvolver e/ou intensificar sintomas depressivos em mulheres encarceradas.


Palavras-chave


Sistema prisional; Depressão; Psicologia Jurídica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2317175817360



 

Revista Sociais e Humanas (ISSN online 2317-1758)

Universidade Federal de Santa Maria | Centro de Ciências Sociais e Humanas

Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

E-mail: revistaccsh@gmail.com | Telefone: (55) 32208522


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.