Transparência em Instituições de Microfinança Africanas

Diego Antonio Bittencourt Marconatto, Luciano Barin-Cruz, Renaud Legoux

Resumo


A falta de transparência nas instituições de microfinança (IMFs) africanas pode dificultar a difusão da microfinança no continente. Nós analisamos a influência das características organizacionais e da corrupção governamental sobre a transparência daquelas IMFs. Nossos resultados mostram que a maior maturidade e tamanho das IMFs aumentam a sua transparência, enquanto a ausência de fins lucrativos e o foco nos pequenos negócios não geram o mesmo resultado. A regulação legal, por sua vez, diminui a transparência das IMFs africanas. Nossos resultados também revelam o impacto da corrupção governamental sobre a relação estabelecida entre as características organizacionais e a transparência das IMFs na África: menos corrupção aumenta a transparência de todas as IMFs, exceto daquelas reguladas. Finalmente, nós mostramos que em países com altos níveis de corrupção, as IMFs sem fins lucrativos, as dedicadas aos pequenos negócios e as reguladas são as que devem ser mais apoiadas para aumentar a sua transparência.


Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1983465931684

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

  

  

Revista de Administração da UFSM. Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659