Municipal solid waste management: analysis of sustainability indicators in the metropolitan area of Fortaleza, Ceará

Jackeline Lucas Souza, Paulo Henrique Nobre Parente

Abstract


Public managers, increasingly, due to concern about the sustainability of urban centers, are adopting public policies focused on improving the environment and quality of life. In this context, the study aims to analyze the level of sustainability of urban solid waste management in the metropolitan region of Fortaleza. Therefore, an exploratory study was conducted, with descriptive approach, whose data collection was performed through the application of questionnaires and semi-structured interviews, based on the Matrix of Sustainability Indicators proposed by Santiago and Dias (2012). The results of the research show that the municipalities of the metropolitan region of Fortaleza present, in their highest representativeness, medium-low levels of sustainability. Thus, it is concluded that, in fact, municipalities present incipient practices regarding the search for sustainability of the management of municipal solid waste, from the frequent context of excessive generation and inadequate disposal of solid waste.


Full Text:

PDF

References


ALBERTE, E. P. V.; CARNEIRO, A. P.; KAN, L. Recuperação de áreas degradadas por disposição de resíduos sólidos urbanos. Diálogos & Ciência, n. 5, p. 1-15, jun. 2005.

ADEDIPE N. O. et al. Waste management, processing, and detoxification. In: CHOPRA, K. et al. (Ed.) Millennium Ecosystems Assessment. Ecosystems and Human Well-Being: Policy Responses: findings of the Responses Working Group. Washington, DC: Island Press, 2005. v.3, p.313-34.

AGAMUTHU, P.; KHIDZIR, K. M.; FAUSIAH, S. H. Drivers of sustainable waste management in Asia. Waste Management and Research, n. 27, n. 7, p. 625-633, oct., 2009.

ARAS, G.; CROWTHER, D. Corporate Sustainability Reporting: a study in Disingenuity? Journal of Business Ethics, v. 87, n. 1, p. 279-288, 2009.

BAQUERO, M.; CREMONENSE, D. Capital social: teoria e prática. Ijuí: Unijuí, 2006.

BARRETO, R. C. S. Políticas Públicas e o Desenvolvimento Rural Sustentável no Estado do Ceará: um estudo de caso. Dissertação de Mestrado em Economia Rural, Universidade Federal do Ceará, 2004.

BESEN, G. R.; RIBEIRO, H. Indicadores de Sustentabilidade para Programas Municipais de Coleta Seletiva métodos e técnicas de avaliação. In: Workshop Internacional de Pesquisa em Indicadores de Sustentabilidade Governança Ambiental e Indicadores de Sustentabilidade, 2008, São Carlos. Governança Ambiental e Indicadores de Sustentabilidade. São Carlos: EESC/USP, 2008.

BORGES, F. Q. Administração pública do setor elétrico: indicadores de sustentabilidade no ambiente residencial do estado do Pará (2001-10). Revista de Administração Pública, v. 46, n. 3, p. 737-751, mai./jun. 2012.

BRASIL. Lei n° 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei n° 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2013.

______. Lei n° 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei n° 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm>. Acesso em: 10 dez. 2013.

BRAGA, T. M.; FREITAS, A. P. G.; DUARTE, G. S.; CAREPA-SOUSA, J. Índice de sustentabilidade municipal: o desafio de mensurar. Nova Economia, v. 14, n. 3, p. 11-33, set./dez. 2004.

BRIASSOULIS, H. Sustainable Development and its Indicators: Through a (Planner’s) Glass Darkly. Journal of Environmental Planning and Management, v. 44, n. 3, p. 409-427, 2001.

BRUNDTLAND, G. et al. Nosso Futuro Comum. Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro: FGV, 2 ed. 1991.

CARVALHO, P. G. M. C.; BARCELLOS, F. C. Políticas públicas e sustentabilidade ambiental: construindo indicadores de sustentabilidade. Indicadores Econômicos, v. 37, n. 1, 2009.

CASTRO, B. A.; ARAÚJO, M. A. D. Gestão dos resíduos sólidos sob a ótica da Agenda 21: um estudo de caso em uma cidade nordestina. Revista de Administração Pública, v. 38, n. 4, p. 561-587, jul./ago. 2004.

CONSALTER, M. A. S. Sistema de produção lavoura-pecuária: uma abordagem para a construção de indicadores integrados de sustentabilidade. 2008. Tese (Doutorado em Agronomia) – Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2008.

DELAI, I.; TAKASHI, S. Uma proposta de modelo de referência para mensuração da sustentabilidade corporativa. Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 2, n. 1, p. 19-40, jan./abr. 2008.

DEUS, A. B. S.; LUCA, S. L.; CLARKE, R. T. Índice de impacto dos resíduos sólidos urbanos na saúde pública (IIRSP): metodologia e aplicação. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 9, n. 4, p. 329-334, 2004.

DIAS, G. F. Iniciação à Temática Ambiental. São Paulo: Gaia, 2004.

DIAS, D. M.; MARTINEZ, C. B.; BARROS, R. T. V.; LIBÂNO, M. Modelo para estimativa da geração de resíduos sólidos domiciliares em centros urbanos a partir de variáveis socioeconômicas conjunturais. Engenharia Sanitária Ambiental, v. 17, n. 3, p. 325-332, jul./set. 2012.

ELKINGTON, J. Cannibals with forks: the triple bottom line of 21st century business. Oxford: Capstone Publishing Limited, 1999.

FERREIRA, F. L. Análise dos indicadores municipais de sustentabilidade ambiental utilizados no Grande ABC. 2011. 164 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Municipal de São Caetano do Sul, São Caetano do Sul, 2011.

FLÔRES, J. O. M. Reflexões sobre o desenvolvimento sustentável. Revista de Administração Pública, v. 29, n. 2, p. 5-26, abr./jun. 1995.

GOMES, M. H. S. C.; OLIVEIRA, E. C.; BRESCIANI, L. P.; PEREIRA, R. S. Política nacional de resíduos sólidos: perspectivas de cumprimento da Lei 12.305/2010 nos municípios brasileiros, municípios paulistas e municípios da região do ABC. Revista de Administração da UFSM, v. 7, edição especial, 93-110, 2014.

JACOBI, P. R.; BENSEN, G. R. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 25, n. 71, p. 135-158, jan./abr. 2011.

LOGAREZZI, A. Educação ambiental em resíduo: o foco da abordagem. In: CINQUETTI, H. C. S. LOGAREZZI, A. (orgs). Consumo e Resíduo: fundamentos para o trabalho educativo. 2006, p. 119-144.

MALHOTRA, N. K. Marketing research: an applied orientation. Upper Saddle River: Prentice Hall, 1996.

MARTINS, M. F.; CÂNDIDO, G. A. Índices de desenvolvimento sustentável para localidades: uma proposta metodológica de construção e análise. Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 6, n. 1, p. 3-19, jan./abr. 2012.

MAZZER, C.; CAVALCANTI, O. A. Introdução à gestão ambiental de resíduos. Infarma, v.16, n. 11-12, p.67-77, 2004.

MCDANIEL, C; GATES, R. Contemporary marketing research. Saint Paul: West Publishing Company, 1996.

MILANEZ, B.; TEIXEIRA, B. A. N. Proposta de método de avaliação de indicadores de sustentabilidade para gestão de resíduos sólidos urbanos. In: FRANKENBERG, C. L. C.; RAYA-RODRIGUEZ, M. T.; CANTELLI, M. (Coord.). Gestão ambiental urbana e industrial. Porto Alegre: EDIPUCRS, p. 272-283, 2003.

MUCELIN, C. A. Estudo ecológico de fragmentos ambientais urbanos: percepção sígnica e pesquisa participante. Tese (Doutorado em Ciências ambientais) - Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais – PEA, Universidade Estadual de Maringá – UEM, 2006.

NASCIMENTO, V. F.; SOBRAL, A. C.; ANDRADE, P. R.; OMETTO, J. P. H. B. Evolução e desafios no gerenciamento de resíduos sólidos urbanos no Brasil. Revista Ambiente & Água, v. 10, n. 4, p. 890-902, 2015.

O’LEARY, P. R.; WALSH, P. W.; HAM, R. K.; GRUDER, S. G.; KOHRELL, M. G.; JOHNSON, H. J.; PFERDEHIRT, W.; RAZVI, A. S. Decision Maker’s Guide to Solid Waste Management. v. 2. Washington DC: U. S. Environmental Protection Agency, 1999.

OLIVEIRA, M. V. C.; CARVALHO, A. R. Princípios básicos do saneamento do meio. 4 ed. São Paulo: Senac, 2004.

PIAZ, J. F. D.; FERREIRA, G. M. V. Gestão de resíduos sólidos domiciliares urbanos: o caso do município de Maraú – RS. Revista de Gestão Social e Ambiental, v.5, n. 1, p. 33-47, jan./abr. 2011.

PIRES, A.; MARTINHO, G.; CHANG, N. Solid waste management in European countries: A review of systems analysis techniques. Journal of Environmental Management, v. 92, n. 4, p. 1033-1050, apr. 2011.

POLAZ, C. N. M.; TEIXEIRA, B. A. N. Indicadores de sustentabilidade para a gestão municipal de resíduos sólidos urbanos: um estudo para São Carlos (SP). Engenharia Sanitária Ambiental, v.14, n.3, p. 411-420, jul./set. 2009.

RODRIGUEZ, C. À procura de alternativas econômicas em tempos de globalização: o caso das cooperativas de recicladores de lixo na Colômbia. In. SACHS, I. Rumo à ecossocioeconomia: teoria e prática do desenvolvimento. São Paulo: Cortez, 2007.

RIBEIRO, H.; JACOBI, P. R.; BESEN, G. R.; GUNTHER, W. M. R.; DEMAJOROVIC, J.; VIVEIROS, M. Coleta seletiva com inclusão social: cooperativismo e sustentabilidade. São Paulo: Annablume, 2009, 111p.

ROY, M. Planning for sustainable urbanization in fast growing cities: Mitigation and adaptation issues addressed in Dhaka, Bangladesh. Habitat International, v. 33, n. 3, p. 276-286, jul. 2009.

SANTIAGO, L. S.; DIAS, S. M. F. Matriz de indicadores de sustentabilidade para a gestão de resíduos sólidos urbanos. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 17, n. 2, p. 203-212, abr./jun. 2012.

SANTOS, G. O.; RIGOTTO, R. M. Possíveis impactos sobre o ambiente e a saúde humana decorrentes dos lixões inativos de Fortaleza (CE). Revista Saúde e Ambiente, v. 9, n. 2, p. 55-62, 2008.

SANTOS, M. R.; TEIXEIRA, C. E.; KNIESS, C. T. Avaliação de desempenho ambiental na valorização de resíduos sólidos de processos industriais. Revista de Administração da UFSM, v. 7, edição especial, p. 75-92, 2014.

SHEN, L.; OCHOA, J. J.; SHAH, M. N.; ZHANG, X. The application of urban sustainability indicators – A comparison between various practices. Habitat International, v. 35, n. 1, p. 17-29, jan. 2011.

SIENA, O. Método para avaliar progresso em direção ao desenvolvimento sustentável. 2002. 236 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Centro Tecnológico (CTC), Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP), – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

SILVA, E. A.; TORRE, M. B. R. Disposição de resíduos sólidos urbanos: um estudo de caso a partir das concepções de moradores das comunidades de moranguinho/metrô, Areia Branca-RN. Revista Brasileira de Gestão Ambiental, v.2, n.1, p.5-25, jan./dez. 2008.

SILVA, C. L.; FUGII, G. M.; SANTOYO, A. H. Proposta de um modelo de avaliação das ações do poder público municipal perante as políticas de gestão de resíduos sólidos urbanos no Brasil: um estudo aplicado ao município de Curitiba. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 9, n. 2, p. 276-292, mai./ago., 2017.

STRIEDER, A. C.; DELUQUE, M.; SCHADECK, M. Desenvolvimento sustentável: a responsabilidade dos futuros governantes municipais. Revista de Administração, v. 10, n. 17, p. 71-89, mar. 2012.

TANGUAY, G. A.; RAJAONSON, J.; LEFEBVRE, J.; LANOIE, P. Measuring the sustainability of cities: An analysis of the use of local indicators. Ecological Indicators, v. 10, n. 2, p. 407-418, mar. 2010.

VICTOR, D.; AGAMUTHU, P. Strategic environmental assessment policy integration model for solid waste management in Malaysia. Environmental Science & Police, n. 33, p. 233-245, nov., 2013.




DOI: https://doi.org/10.5902/1983465924165

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

  

  

Revista de Administração da UFSM. Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659