Assessing emerging multinationals’ “Global Mindedness” profiles

Germano Glufke Reis, Maria Tereza Leme Fleury, Afonso Fleury, Felipe Zambaldi

Resumo


Apesar da importância do desenvolvimento de uma mentalidade global (MG), para que as empresas possam explorar oportunidades globais, a literatura existente sobre MG, em sua maioria, investiga as multinacionais de países desenvolvidos; menor ênfase tem sido dada às multinacionais de países emergentes, embora estas apresentem características e padrões de internacionalização únicos. Além disso, os estudos acerca dos impactos da MG sobre a internacionalização têm se baseado, em sua maioria, no pressuposto de homogeneidade, em vez de diferenciação da MG entre as multinacionais do mesmo país. Este estudo aborda esse tema, explorando a diversidade de configurações da MG entre multinacionais brasileiras. Para isso, uma escala multidimensional de MG foi validada, por meio de pré-teste e análise fatorial confirmatória com estimadores bayesianos; a seguir, foi realizada uma análise hierárquica de clusters, posteriormente otimizada com o algoritmo K-médias. Como resultado, uma taxonomia de MG foi identificada, englobando: multinacionais com mentalidade global total, empresas com habilidades interculturais, multinacionais orientadas para mercados internacionais e multinacionais focadas no mercado doméstico. Para ilustrar a taxonomia identificada, quatro estudos de caso envolvendo grandes multinacionais brasileiras são explorados. As configurações identificadas apontam para a necessidade de se estudar a MG das empresas em conjunto com fatores institucionais e econômicos para explicar as especificidades da internacionalização de multinacionais emergentes, bem como as diferenciações entre empresas de um mesmo país emergente.

Apesar da importância do desenvolvimento de uma mentalidade global (MG), para que as empresas possam explorar oportunidades globais, a literatura existente sobre MG, em sua maioria, investiga as multinacionais de países desenvolvidos; menor ênfase tem sido dada às multinacionais de países emergentes, embora estas apresentem características e padrões de internacionalização únicos. Além disso, os estudos acerca dos impactos da MG sobre a internacionalização têm se baseado, em sua maioria, no pressuposto de homogeneidade, em vez de diferenciação da MG entre as multinacionais do mesmo país. Este estudo aborda esse tema, explorando a diversidade de configurações da MG entre multinacionais brasileiras. Para isso, uma escala multidimensional de MG foi validada, por meio de pré-teste e análise fatorial confirmatória com estimadores bayesianos; a seguir, foi realizada uma análise hierárquica de clusters, posteriormente otimizada com o algoritmo K-médias. Como resultado, uma taxonomia de MG foi identificada, englobando: multinacionais com mentalidade global total, empresas com habilidades interculturais, multinacionais orientadas para mercados internacionais e multinacionais focadas no mercado doméstico. Para ilustrar a taxonomia identificada, quatro estudos de caso envolvendo grandes multinacionais brasileiras são explorados. As configurações identificadas apontam para a necessidade de se estudar a MG das empresas em conjunto com fatores institucionais e econômicos para explicar as especificidades da internacionalização de multinacionais emergentes, bem como as diferenciações entre empresas de um mesmo país emergente.


Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1983465918047

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

  

Revista de Administração da UFSM. Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659