PRODUÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO SOBRE ASSÉDIO MORAL NO BRASIL: COMPARAÇÃO COM OS “HOT TOPICS” INTERNACIONAIS

Autores

Palavras-chave:

Assédio Moral, Hot Topics, Comparação.

Resumo

Este artigo tem como objetivo levantar quantitativamente as publicações internacionais e brasileiras, no período de 2009 a 2018, sobre a temática assédio moral, com a finalidade de identificar se os tópicos relacionados à administração são considerados “hot topics” quando combinados ao assédio e identificar se os principais autores internacionais são citados nos estudos nacionais. Para isso, utilizou-se as bases de dados Web of Science e Scientific Periodicals Electronic Library Spell. Constatou-se que o número de publicações internacionais cresceu em especial nos últimos quatro anos, as classificações concentram os maiores percentuais em publicações americanas e estão relacionadas à saúde e às áreas das ciências sociais. Dentre os tópicos combinados a assédio, apenas a categoria Management (Gestão) obteve classificação como “hot topic”. Quanto aos estudos nacionais, observou-se que não apresentam uma regularidade por ano; o maior foco de estudos é no contexto universitário seguido de organizações privadas; e foram encontradas citações dos principais autores internacionais, comprovando consonância entre os estudos brasileiros e o “hot topic” internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taiani Correa da Costa

Mestre em Gestão de Organizações Públicas pela UFSM

Tanise Parmeggiani da Silva

Mestranda no Programa de Gestão de Organizações Públicas da UFSM

Luciana Flores Battistella

Graduada em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria (1990), Mestre em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999) e Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Professora Associada da Universidade Federal de Santa Maria. Interesses de pesquisa em Marketing, Comportamento Organizacional e Gestão de Pessoas na Administração Pública.

Referências

Aquino, K., & Thau, S. (2009). Workplace Victimization: Agression fron the Target’s Perspective. The Annual Review of Psychology is online at psych.annualreviews.org. Annu. Rev. Psychol, 60(7), 17–41.

Araújo, C. A. (2006). Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, 12(1), 11-32.

Bacchi, G. A., Pinheiro, D.R.C., & Pinto, F.G. (2012, janeiro/junho). Assédio moral e resiliência no local de trabalho. Rev. Ciênc. Admin., Fortaleza, 18(1), 301-330.

Banks, M. G. (2006). An Extension of the Hirsch index: indexing scientific topics and compounds. Recuperado de .

Barroso, F. T., & Chaves, N. M. (2017, julho/dezembro). O assédio moral e a sistemática aplicação de normas geral nas relações de trabalho. Revista Curso Direito, 8(2), 01-22.

Benavides, S. D., Matos, F. R. N., Figueiredo, N. C., & Lopes, K. L. A. (2012, Maio/Agosto). Assédio moral no trabalho: um estudo exploratório no município de Fortaleza – Ceará. Rev. Adm. UFSM, 5(2), 373-385.

Brasil. Lei n. 13.185, de 6 de novembro de 2015. Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática. Recuperado de <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13185.htm>.

Carrieri, A. P., Aguiar, A. R. C., & Diniz, A. P. R. (2013, março). Reflexões sobre o indivíduo desejante e o sofrimento no trabalho: o assédio moral, a violência simbólica e o movimento homossexual. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, 11(1), 165–180.

Claybourn, M. (2011). Relationships Between Moral Disengagement, Work Characteristics and Workplace Harassment. Journal of Business Ethics, 100:283-301.

Corrêa, A.M.H., & Carrieri, A.P. (2007, janeiro/março). Percurso semântico do assédio moral na trajetória profissional de mulheres gerentes. RAE, 47(1), 22-32.

Costa, I.C.P., Costa S.F.G., Andrade, C.G., Oliveira, R.C., Abrão, F.M.S., & Silva, C.R.L. (2015) Scientific production on workplace bullying/harassment in dissertations and theses in the Brazilian scenario. Rev Esc Enferm USP, 49(2), 265-274.

Fonseca, E. N. (1986). Bibliometria: teoria e prática. São Paulo: Cultrix,1986.

Freitas, M. E. (2001). Assédio moral e assédio sexual: faces do poder perverso nas organizações. Revista de Administração de Empresas, 41(2), 8-19.

Freitas, M. E., Heloani, R., & Barreto, M. (2008). Assédio moral no trabalho. São Paulo: Cengage Learning.

Heloani, R. (2004). Assédio moral - um ensaio sobre a expropriação da dignidade no trabalho. RAE-eletrônica, 3(1), art. 10.

Hirigoyen, M.F. (2002). Assédio moral: a violência perversa do cotidiano. Rio de Janeiro: Bertrand.

Hirsch, J. E. (2005). An index to quantify an individual’s scientific research output, Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America (PNAS), Califórnia, 102(46), 16569-16572.

Machado, D.Q., Ipiranga, A.S.R., & Matos, F.R.N. (2013, janeiro/março). “Quero matar meu chefe”: Retaliação e Ações de Assédio Moral. Pretexto, Belo Horizonte, 14(1), 52-70.

Mazucatto, I.G. (2017, julho/dezembro). Assédio moral no ambiente de trabalho: compliance como instrumento de mitigação de ocorrências. Raízes Jurídicas, 9(2), 173-192.

Paixão, R. B., Melo, D. R. A., Souza-Silva, J. C., & Cerquinho, K. G. (2013, Julho/Agosto/Setembro). Por que ocorre? Como lidar? A percepção de professores de graduação em Administração sobre o assédio moral. Revista de Administração, 48(3), 516- 529.

Downloads

Publicado

2022-02-27

Como Citar

Costa, T. C. da, da Silva, T. P., Battistella, L. F., & Lock, F. do N. (2022). PRODUÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO SOBRE ASSÉDIO MORAL NO BRASIL: COMPARAÇÃO COM OS “HOT TOPICS” INTERNACIONAIS. Práticas De Administração Pública, 5(2), 64–84. Recuperado de https://periodicos.ufsm.br/pap/article/view/64884

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)