Resenha de Pesquisa em educao comparada sob condies de interconectividade global

Review of Research in comparative education under conditions of global interconnectivity

Eduardo Cristiano Hass da Silva

Doutorando na Universidade do Vale do Rio dos Sinos, So Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil.

eduardohass.he@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-3906-5448

 

Recebido em 01 de junho de 2018

Aprovado em 30 de agosto de 2018

Publicado em 17 de dezembro de 2019

 

 

Jrgen Schriewer professor emrito de Educao Comparada da Universidade Humboldt, de Berlim, na qual j exerceu as funes de decano da Faculdade de Educao e de coordenador de redes de pesquisa de estudos transculturais nas cincias histricas e sociais. Alm disso, ex-presidente da Sociedade de Educao Comparada da Europa e j foi professor visitante em universidades em Paris, Estocolmo, Tquio, Beijing, Cidade do Mxico e Buenos Aires. As linhas de pesquisa em que o autor tem atuado so: a Histria Comparada da Educao, Pesquisa da Sociedade Mundial, Histria e Metodologia da Pesquisa Social Comparada.

A publicao do livro aqui resenhado coincide com a vinda do professor Jrgen Schriewer Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) como pesquisador visitante, abordando o tema Estudos internacionais e comparados em educao: fundamentos, concepes e metodologias. De forma geral, o autor revisita alguns de seus trabalhos, atualizando textos e apresentando resultados de pesquisas que vem desenvolvendo. Dividido em oito captulos, o livro mostra-se uma leitura fundamental para aqueles que pretendem se aventurar pelo uso da pesquisa comparada, sobretudo para a pesquisa em educao comparada, entendida pelo autor como resultado da articulao de diferentes campos como a histria, filosofia e a sociologia. Ao longo dos captulos, Schriewer defende a comparao como um exerccio complexo.

No primeiro captulo, o pesquisador busca basicamente compreender qual a identidade da Educao Comparada como rea e/ou como disciplina. Dessa forma, o autor ressalta que compreender a Educao Comparada requer uma anlise histrica, antropolgica, sociolgica e filosfica, devendo a mesma ser entendida em relao a estes diferentes ramos de estudos comparativos e internacionais. Retomando trabalhos do socilogo alemo Friedrich H. Tenbruck, bem como revisitando seus prprios artigos, Schriewer cunha termos para as distintas estruturas da Educao Comparada:

(...) epistemo-lgica da pesquisa social comparada propriamente dita, a socio-lgica dos estudos internacionais sobre educao orientados para a reforma e a globo-lgica da investigao de fenmenos e organizaes educacionais inerentemente transnacionais e/ou mundiais (SCHRIEWER, 2018, p. 13).

Em relao epistemo-lgica, Schriewer afirma que no final do sculo XVIII que se pode encontrar tentativas do uso do mtodo comparado em Cincias Humanas. Para ele, estas tentativas so tomadas a partir da anatomia comparada e aplicadas em estudos comparativos da linguagem, religio, mitologia, direito, governo e educao a partir dos conhecimentos que vinham sendo acumulados ao longo do sculo. No sculo XIX, os estudos em pesquisa comparada sero revistos a partir de Durkheim [1895] e sua sociologia comparada: A transformao de Durkheim, mais elaborada por seus sucessores, fez da comparao algo diferente do que um mtodo no sentido de uma tcnica especfica de coleta de dados ou elaborao de um levantamento (p. 17). J no sculo XVIII pode-se falar da existncia de uma comparao simples, entendida como operao mental universal e uma comparao complexa, sendo este o mtodo que ser utilizado nas cincias sociais e fundamentar educao comparada. Ainda em relao epistemo-lgica, Schriewer destaca que os componentes essenciais da pesquisa social comparada so a problemtica norteadora, es estilos cognitivos de distanciamento e perspectivismo, a sensibilidade particular para diferenas socioculturais e as tcnicas complexas de estabelecer relaes entre relaes.

Sobre a socio-lgica, compreendida como os estudos internacionais sobre educao orientados para a reforma, o autor destaca a importncia do processo de modernizao do sculo XIX, momento em que os Estados Nacionais emergentes elaboraram relatrios prticos e tcnicos. Esses relatrios, embora comprometidos, atericos e metodologicamente fracos, aumentaram sua importncia ao longo do sculo XX. Neste modelo, o projeto de pesquisa comparada apresenta um problema de pesquisa, relaes entre relaes, unidades adequadas de comparao e relevncia para o aconselhamento de polticas. Em relao globo-lgica, que atenta para a anlise das estruturas transociais e sistemas mundiais, Schriewer destaca que pode ser localizada em diferentes nveis de anlise que visam, sobretudo, explicar o surgimento do sistema mundial interconectado nico.

O segundo captulo procura apresentar alguns elementos fundamentais que sustentam a Pesquisa Comparada. Inicia destacando que a abordagem comparada no privilgio de uma disciplina em particular, mas, sim, de um espectro de disciplinas das cincias humanas e sociais. Tentando localizar as origens da pesquisa em educao comparada, defende que elas podem estar nos escritos de Marc-Antoine Jullien de Paris, no ano de 1817.

Ao apresentar a definio de uma metodologia comparativa consistente, Schriewer a fundamenta em trs princpios. O primeiro princpio o estilo refinado de pensamento relacional comparativo, que consiste no em apenas fazer relaes entre fatos observveis, mas, sim, em fazer relaes entre relaes ou entre sistemas de relaes em seu conjunto. neste processo de relao de relaes que a metodologia comparativa adquire relevncia particular para a produo, exame e crtica de teorias. O segundo princpio refere-se elaborao de uma problemtica estruturadora da pesquisa e, o terceiro, em uma lgica de anlise em ao. A concatenao destes trs princpios permitiu a formao de uma abordagem de pesquisa que estrutura, inquire e processa dados de modo autnomo (p. 55). O autor finaliza o captulo apresentando trs dimenses de problemas em esboo de cunho histrico: acesso uma base de experincias ampliadas para o nvel global; distanciamentos das sociedades nacionais e formas contrastantes de avaliao.

O terceiro captulo voltado para a possibilidade de compreenso da pesquisa comparada em direo a uma cincia da complexidade. Para atender esse objetivo, o captulo apresenta um estudo histrico da metodologia comparada em trs nveis temporais especficos. O primeiro destes nveis temporais corresponde ao final do sculo XVIII, no qual se considera ter emergido o grande programa dos estudos comparados do ser humano e da sociedade (p. 85). O segundo nvel temporal equivale ao final do sculo XIX, momentos no qual foram definidos pela primeira vez os princpios do que depois se tornou a metodologia comparada dominante nas cincias sociais (p. 85). O ltimo nvel temporal referente ao final do sculo XX, momento em que se reconheceu o questionamento de pressupostos fundamentais dessa metodologia dominante (p. 85).

Percorrendo estes trs nveis temporais, o autor mostra como a metodologia comparada , nas cincias humanas, elaborada dentro do marco da sociologia comparada e da cincia poltica, sendo que, passa a encontrar aceitao geral em outros campos de estudo. Esta aceitao permite a realizao de estudos de educao comparada em interseco com campos como a histria, pesquisa da modernizao e da sociologia industrial. Os estudos de Schriewer colocam em xeque algumas teses defendidas pela sociologia industrial e pela economia da educao de que as exigncias de qualificao e as estruturas educacionais so, em grande parte, determinadas pela mudana tecnolgica, pelo desenvolvimento econmico e exigncias de uma racionalidade universal intrnseca ao industrialismo.

Na sequncia, o captulo 4 tensiona o crescimento da pesquisa comprada nas ltimas trs dcadas, bem como a continuidade de divergncias acadmicas sobre a metodologia. Sustentando que, apesar das crticas oriundas das divergncias acadmicas, a pesquisa comparada possui elementos gerais, retoma alguns dos pontos anteriormente apresentados, como: 1. Entendimento da pesquisa comparada como uma comparao complexa, de nvel mltiplo, relacionando relaes e relaes de relaes; 2. Entendimento de que o mtodo cientfico da comparao no compara ou identifica apenas semelhanas, mas organiza e permite discernir diferenas e; 3. Compreenso de que enquanto mtodo, a comparao sustenta-se pelo distanciamento e pelo perspectivismo (permitindo que o observador se distancie das caractersticas de seu objeto). Finalizando o captulo, o autor atenta para a diferena entre Educao Comparada e Educao Internacional. Quanto a primeira, o autor entende como a pesquisa cientfica em educao comparada e, a segunda, pautada na Educao Internacional para o Desenvolvimento e na Cincia Poltica Educacional, sendo que o que as diferenciam so as funes a elas atribudas.

Os captulos cinco e seis so voltados para a anlise da construo da internacionalidade da educao. O quinto captulo escrito em parceria com um segundo autor, Carlos Martinez. Para analisarem as construes da internacionalidade da educao, os autores iniciam apresentando o contexto globalizado de comunicao, atentando para os fenmenos da crescente interconectividade global convencionalmente expressada como internacionalizao ou globalizao. Para Schriewer e Martinez, o crescimento da interconectividade global tornou-se uma caracterstica proeminente do mundo contemporneo a partir do final do sculo XX.

No contexto de comunicao globalizada, os autores destacam que diferentes organismos tm interferido e atuado em assuntos educacionais, sendo eles, em especial, o Banco Mundial, a Unesco, a OCDE, bem como ONGs internacionais. Dessa forma, os autores afirmam que a educao tem sido pensada para alguns pesquisadores a partir da lgica do sistema-mundo, entendido (...) primordialmente em termos de uma comunidade poltica mundial emergente e um correspondente ambiente cultural transnacional (p. 184). Expressando sua opinio, os autores entendem que a educao moldada por fatores histricos e culturais, ocorrendo diferenciao funcional da sociedade. Para encerrar o captulo, apresentam os resultados de um projeto de pesquisa de Educao Comparada da Universidade de Humboldt, de Berlim, realizado a partir de revistas educacionais espanholas, russas e chinesas. O captulo seis procura basicamente entender as fases dos estudos em educao comparada a partir da lgica do sistema-mundo e de redes de inter-relao, que para Schriewer so duas: O final do sculo XVIII e o perfil de um grande programa e Final do sculo XX e mundo como unidade de anlise.

Comparados com os demais, os captulos sete e oito so relativamente breves. O captulo sete aborda a Declarao de Bolonha de 1999 como um exemplo particular de processos muito mais amplos de interconexo e padronizao em nvel global de educao (p. 259). O autor entende Bolonha como um mito neoeuropeu, sustentando sua opinio a partir de uma abordagem neoinstitucionalista. Essa abordagem entendida a partir de trs argumentos: o primeiro refere-se crescente importncia alcanada por organizaes governamentais e no governamentais internacionais bem como pelos ciclos de comunicao e coordenao bilaterais e multilaterais(...) (p. 260); o segundo refere-se ao fato de que, em geral, as organizaes no determinam seu comportamento primordialmente, menos ainda exclusivamente, com base em uma tomada de decises autnoma apropriada para problemas devidamente analisados ou situaes problemticas particulares (p. 260) e; o terceiro argumento de que um modelo refinado proporciona novas percepes das condies para processos de difuso transnacional.

Finalizando a obra, o captulo oito atenta para algumas teorias da sociedade mundial como entidade global, mostrando como as cincias sociais originaram uma gama de teorias refinadas da globalizao. A sociedade mundial entendida como um universo simblico, baseada em uma compreenso construtivista como um sistema baseado em regras cognitivas.

A obra de Jrgen Schriewer fundamental para compreender a pesquisa em educao comparada a partir de uma perspectiva scio histrica, uma vez que revela o empreendimento historicamente contingente e intelectual de atuao de importantes atores sociais. O autor apresenta a pesquisa comparada como um campo moldado por diferentes pressupostos epistemolgicos, ao mesmo tempo em que incentiva a produo de estudos em educao comparada, visando preencher lacunas e rever trabalhos deficientes. A obra permite a compreenso da pesquisa comparada em uma perspectiva metodolgica, complexa e cientfica, fundamentada na relao de relaes e de sistema de relaes.

Referncia

SCHRIEWER, Jrgen. Pesquisa em educao comparada sob condies de interconectividade global. Traduo de Geraldo Korndrfer e Lus Marcos Sander. So Leopoldo: Oikos, 2018.

 

Correspondncia

Eduardo Cristiano Hass da Silva Universidade do Vale do Rio dos Sinos Av. Unisinos, 950 - Cristo Rei, CEP 93022-750, So Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil.

 



CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar