O trabalho docente em pós-graduação: prazer e sofrimento

Bruna Lecintia Carpes Souto, Carmem Lúcia Colomé Beck, Liliane Ribeiro Trindade, Rosângela Marion da Silva, Dirce Stein Backes, Rodrigo Almeida Bastos

Resumo


Objetivo: descrever os sentimentos de prazer e sofrimento no trabalho docente em pós-graduação na perspectiva dos docentes. Método: estudo exploratório-descritivo, qualitativo, cujos dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada, com seis docentes de programas de pós-graduação em nível de mestrado de uma Universidade Federal, para a análise de dados optou-se pela análise de conteúdo. Resultados: os resultados evidenciaram que a construção da identidade docente e a visibilidade e reconhecimento são importantes fatores na profissão e que o prazer no trabalho é possível quando se faz o que se gosta. O sofrimento está expresso em elementos cotidianos como sobrecarga, burocracia e frustração, embora não seja reconhecido pelos participantes da pesquisa. Considerações finais: a dinâmica dos sentimentos de prazer e sofrimento aponta que os sentimentos de prazer se sobressaíram em relação aos de sofrimento, o que sugere indícios de negação do mesmo.


Palavras-chave


Saúde do trabalhador; Docentes; Satisfação no emprego; Educação superior

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/2179769222871



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.