Saber popular: uso de plantas medicinais como forma terapêutica no cuidado à saúde

Marcio Rossato Badke, Caterine Angélica Somavilla, Elisa Vanessa Heisler, Andressa de Andrade, Maria de Lourdes Denardin Budó, Tânea Maria Bisognin Garlet

Resumo


Objetivo: conhecer os saberes e práticas de moradores da região urbana do noroeste do estado do Rio Grande do Sul, acerca do uso de plantas medicinais como forma terapêutica no cuidado à saúde. Método: pesquisa qualitativa do tipo exploratório descritivo, com coleta de dados baseada em entrevista semiestruturada e observação participante. Total de dez entrevistados, usuários de plantas medicinais, selecionados por meio da rede de relações sociais. A coleta ocorreu no período de julho a setembro de 2011. Resultados: na análise temática, emergiram os temas: tipos de plantas e suas indicações; e quem indicou o uso da planta. Considerações finais: as maiorias das indicações populares foram ao encontro da ciência, e os conhecimentos são passados de geração para geração. Sendo assim, sugere-se que o enfermeiro insira-se na comunidade para conhecer ou reconhecer as práticas populares, aproximando-as do saber científico, proporcionando um cuidado integral ao usuário, respeitando seus hábitos e costumes.

Palavras-chave


Plantas; Terapias complementares; Cultura; Assistência integral à saúde; Enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179769217945