Análise dos parques naturais de Canela/RS com ênfase nas atividades de educação

Leonardo Francisco Stahnke, Vânia Medianeira Flores Costa

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo analisar as atividades de Educação Ambiental realizadas nos Parques Naturais do município de Canela/RS, incluindo sua relação com o Turismo Sustentável. Deste modo, inicialmente identificaram-se os parques com características naturais relevantes e elaborou-se um questionário que foi virtualmente respondido pelos seus administradores. O questionário foi composto por 15 questões que objetivavam a avaliar questões amplas e restritas sobre a área dos parques como: sua localização e estruturas, administração, público, aspectos de conservação, relação social e práticas de Educação Ambiental. Dos 17 parques naturais relacionados, 10 responderam ao questionário. A partir deste trabalho verificouse que existe um grande despreparo em relação à administração dos parques sobre sua conservação e gestão. Evidencia-se também o desconhecimento em relação aos fatores abióticos, bióticos e socioeconômicos dos parques, os quais, a maioria, não possui plano de manejo. Há um profundo despreparo dos administradores em relação aos conceitos de Turismo Sustentável e às próprias práticas de Educação Ambiental, fazendo uso desses termos indiscriminadamente como marketing-verde.

 


Palavras-chave


Parques; Canela; Educação Ambiental

Texto completo:

PDF PDF

Referências


BRASIL. Lei Federal nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9985.htm. Acesso em: 1 jul. 2010.

BRASIL. Lei Federal nº 11.428, de 22 de dezembro de 2006. Dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Mata Atlântica, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-

/2006/lei/l11428.htm. Acesso em: 18 mai. 2010.

CANELA. Lei Municipal nº 1.879, de 18 de julho de 2002. Dispõe sobre o ordenamento estrutural dos órgãos Administração Municipal de Canela e dá outras providências.

CAPRA, F. A Teia da Vida: Uma nova compreensão científica dos seres vivos. São Paulo: CULTRIX, 1996. 256p.: il.

DIAS, G. F. Pegada Ecológica e sustentabilidade humana. São Paulo: Gaia, 2002. 264 p.

_________. Educação Ambiental: princípios e práticas. 9. ed. São Paulo: Gaia, 2004. 551 p.

_________. Atividades interdisciplinares de educação ambiental: práticas inovadoras de educação ambiental. 2. ed. rev., ampl. E atual. São Paulo: Gaia, 2006. 224 p.

FONTES, E. O.; LAGE, C. S. Apropriação do espaço pelo turismo em Sauípe e seu impacto no desenvolvimento local. In: CORIOLANO, L. N. M. T.; LIMA, L. C. (Org.). Turismo Comunitário e Responsabilidade Socioamiental. Fortaleza: EDUECE, 2003. p. 92-101.

GEOPROSPEC. Plano de Manejo Parque Ecológico Vale da Ferradura. Canela, julho de 2007.

GRUMBINE, E. The University of the wilderness. Journal of Environmental Education, n. 14, p. 3-7, 1988.

HAM, S. H. Interpretacion Ambiental: Uma Guia Pratica para Gente com Grandes Ideas y Presupuestos Pequeños. Colorado, USA: North. Am. Press, 1992. 473p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE Cidades: Estimativa da População 2009. Disponível em:

http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1. Acesso em: 10 jun. 2010.

MORALES, J. Classificacion de los Medios Interpretativos. In: Manual para la Capacitación del Personal de Áreas Protegidas. Moore, A Ed. National park Service, USA, 1992.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 8. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2003. 118p.

MYERS, N.; MITTERMEIER, R. A.; MITTERMEIER, C. G.; FONSECA, G. A. B.; KENT, J. Biodiversity hotspots for conservation priorities. Nature. n. 403, p. 853-858, 2000.

PRIMACK, R. B.; RODRIGUES, E. Biologia da Conservação. Londrina: E. Rodrigues, 2001.

QUINTAS, J. S. Introdução à Gestão Ambiental Pública. Brasília: IBAMA, 2002.

SCHWARTZ, G. M. A arte no contexto da Educação Física. Rio Claro: Motriz, v. 5, n. 1, p. 49-52, Junho de 1999.

VASCONCELLOS, J. M. de O. Educação e Interpretação Ambiental em Unidades de Conservação. Cadernos de Conservação. Ano 03. nº 04. Dezembro de 2006. Fundação O Boticário de Proteção à Natureza. Curitiba. 86 p.

VIVER SERRA RS 2005/2006. RBS Publicações. Agosto 2005. Porto Alegre. 215 p.




DOI: https://doi.org/10.5902/223613082785

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.