CONSTRUÇÃO DE NORMAS PARA PADRONIZAÇÃO DOS INDICADORES DOS NÍVEIS DE ANSIEDADE-TRAÇO COMPETITIVA EM MENINAS VOLIBOLISTAS E SUA RELAÇÃO COM A PERFORMANCE

Ânderson José Saldanha

Resumo


Este trabalho objetivou o desenvolvimento de normas que padronizassem os níveis de ansiedade-traço competitiva apresentados por meninas volibolistas de 13 e 14 anos, de escolas públicas e particulares de Santa Maria - RS e a determinação da relação existente entre estas normas e o rendimento das atletas. Foi aplicado o questionário SCAT-C, proposto por Martens et al. (1990) em 120 sujeitos para determinarmos os níveis de ansiedade-traço competitiva e um scout em 40 sujeitos componentes deste grupo, para determinarmos suas performances. Analisados os dados, concluiu-se que: a) não há uma diferença significativa entre os níveis de ansiedade-traço competitiva apresentado por meninas volibolistas de 13 anos, quando comparadas com os níveis das meninas volibolistas de 14 anos; b) não há uma diferença significativa entre os níveis de ansiedade- traço competitiva apresentado por meninas volibolistas de escolas particulares, quando comparadas com os níveis das meninas volibolistas de escolas públicas; c) o nível de ansiedade-traço competitiva do grupo foi considerado como “média ansiedade”; d) não existe correlação significativa entre o desempenho técnico e os níveis de ansiedade-traço competitiva; e) a média dos valores para desempenho das atletas avaliadas mediante scout determinou que ocorreram mais erros do que acertos quando da execução dos gestos técnicos.

Texto completo:

Sem título


DOI: https://doi.org/10.5902/2316546410136

Direitos autorais



Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br


 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.