O projeto político-pedagógico dos movimentos sociais: o que a educação formal tem para aprender com eles?

Ane Carine Meurer, Cesar De David

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198464444881

 

O presente artigo pretende discutir as rupturas existentes entre a escola formal e a pedagogia dos movimentos sociais, enfocando, de forma particular, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Queremos chamar a atenção para a possibilidade das escolas formais, em seus projetos político pedagógicos, reconhecerem as possibilidades de troca de saberes que os movimentos sociais oferecem. Tentamos, pois, resgatar algumas abordagens que definem o que são os movimentos sociais e as suas práticas pedagógicas, tendo como referência o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a fim de que o conhecimento amealhado pelo movimento possa ser aprendido pela escola formal, enriquecendo sua leitura e escrita de mundo.

Palavras-chave: projeto político-pedagógico; escola; movimentos sociais; educação do MST.


Palavras-chave


Political and pedagogical projects; School; Social movements; MST education.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198464444881

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao

 


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

 

Periodicidade – Publicação contínua

 

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar