Ambientes inclusivo e exclusivo no processo ensino-aprendizagem de pessoas com deficiência mental em aulas de educação física

Gilmar de Carvalho Cruz, Ianik Lemishka

Resumo


É questão de interesse no cenário educacional mundial avançar no dilema estabelecido acerca das implicações da organização de ambientes inclusivo (que propõem o atendimento simultâneo de alunos com e sem deficiência) e exclusivo(composto apenas por alunos com algum tipo de deficiência) no desenvolvimento de processos ensino-aprendizagem. Desse modo, o presente estudo objetivou analisar o processo ensino-aprendizagem, em aulas de Educação Física, de movimentos básicos do Tae-Kwon-Do em ambientes exclusivo e inclusivo de atendimento a alunos que apresentam deficiência mental. Participaram da pesquisa descritiva seis alunos de uma escola especial com deficiência mental e 26 alunos de uma escola regular. Ao longo do primeiro semestre letivo de 2007, os alunos com deficiência mental foram submetidos a aulas alternadas em ambiente exclusivo e inclusivo. Os resultados encontrados indicam não haver diferença na resposta motora dos alunos da escola especial, quer no ambiente exclusivo quer no ambiente inclusivo. Mais do que discutir se o atendimento educacional de alunos com deficiência mental deve ocorrer em ambiente inclusivo ou exclusivo, importa aprimorar a organização do ambiente de aprendizagem para que eles realmente aprendam.

Palavras-chave: Inclusão Escolar. Educação Física. Deficiência Mental.

Palavras-chave


School Inclusion; Physical Education; Mental Disability.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X2118

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOI10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

 

 

Periodicidade – Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição 31 março.

Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição 30 junho.

Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição 30 setembro.

Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________