Seleção de espécies da floresta ombrófila densa e indicação da densidade de plantio na restauração florestal de áreas degradadas na Amazônia

Rafael Paiva Salomão, Antônio Cordeiro Santana, Sílvio Brienza Júnior

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198050988448

A identificação de espécies-chave que influenciam a ocorrência das demais espécies associadas é de fundamental importância para o sucesso da restauração florestal em áreas degradadas. Objetivou-se neste trabalho apresentar um índice fitossociológico e socioeconômico (IFSE), obtido por técnicas de análise fatorial, cujo modelo envolveu seis variáveis quantitativas (abundância, frequência, dominância, biomassa, valor comercial da madeira e quantidade de produtos florestais não madeireiros) e igual número de variáveis qualitativas, cuja variável dummy assumiu valor igual a 1 para aquelas espécies cujos maiores valores acumulados equivaleram a 50 % do total para cada uma das variáveis quantitativas analisadas. A amostra para o inventário florestal em 407 ha de floresta ombrófila densa foi composta por 80 parcelas de 0,25 ha (4,91 % de intensidade amostral) onde todos os indivíduos com diâmetro a 1,30 m do solo (DAP) ≥ 10 cm foram identificados e mensurados. Foram registrados 10.105 indivíduos, distribuídos em 493 espécies, abrangendo 58 famílias. As espécies foram ranqueadas através do índice proposto em três categorias de prioridade fitossociológica e socioeconômica (alta, média e baixa). A adequação da análise fatorial foi determinada pelos testes Bartlett e KMO. O teste de Bartlett avaliou a significância geral da matriz de correlação indicando que as correlações, em geral, são significantes ao nível de 1 % de probabilidade. O teste KMO, indicou que as variáveis estão correlacionadas e o modelo fatorial apresentou um nível muito bom de adequação aos dados. Estes resultados respaldaram o emprego da análise fatorial para a extração de fatores e a estimação dos escores fatoriais. Os resultados foram estatisticamente validados para a construção do IFSE e, 25 espécies foram selecionadas como prioritárias (espécies-chave). Recomendou-se a densidade de plantio para essas espécies florestais na recuperação de áreas degradadas na Amazônia.

Palavras-chave


seleção de espécies arbóreas; análise multivariada; restauração florestal; espécie-chave

Texto completo:

PDF

Referências


BACHA, C. J. C.; BARROS, A. L. M. Reflorestamento no Brasil: evolução recente e perspectivas para o futuro. Revista Scientia Florestalis, Piracicaba, v. 66, p. 191-203. 2004.

BRIENZA JÚNIOR, S. et al. Considerações sobre a recuperação de áreas alteradas por atividades agropecuária e florestal na Amazônia brasileira., Belém, 1995. p. 3-27p. (Documentos Embrapa/Cpatu, v. 83)

BROWN, S. et al. Biomass estimation methods for tropical forests with applications to forest inventory data. Forest Science v. 35, n. 4, p. 881-902, 1989.

CAMPOS, J. C. C.; LEITE, H. G. Mensuração florestal: perguntas e respostas. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2002. 407 p.

FARIA, J. M. R.; DAVIDE, A. C.; BOTELHO, S. A. Comportamento de espécies florestais em área degradada, com duas adubações de plantio. Revista Cerne, Lavras, v. 3, n. 1, p. 25-77. 1997.

FRANCO, A. A. et al. Revegetação de solos degradados. Seropédica, 1992. 11, 3-11. (Comunicado Técnico Embrapa/Cnpab, v. 9).

GAMA-RODRIGUES, A. C. et al. Balanço de carbono e nutrientes em plantios puro e misto de espécies florestais nativas no sudeste da Bahia. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 32, n. 3, p. 1165-1179, 2008.

GAUCH, H. G. Multivariate Analysis in Community Ecology. Cambridge: Cambridge Univ. Press, 1982. 298 p.

GOODALL, D. W. Objective methods for the classification of vegetation. III. An essay in the use of factor analysis. Austral J. Bot., v. 2, p. 304-324. 1954.

GUIMARÃES NETO, A. B. et al. Avaliação do plantio homogêneo de mogno, Swietenia macrophylla King, em comparação com o plantio consorciadoo com Eucalyptus urophylla S.T. Blake, após 40 meses de idade. Revista Árvore, Viçosa, v. 28, n. 6, p. 777-784, 2004.

HAIR JR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

JOHNSON, R. A.. WICHERN, D. W. Applied Multivariate Statistical Analysis, 6th ed. New Jersey: Pearson, 2007. 761 p.

KAPPELLE, M. K. et al. Changes in diversity along a successional gradient in a Costa Rican upper montane. Biodiversity and Conservation, Amsterdan, v. 4, p. 10-34, 1995.

LA ROI, G. H. Classification and ordination of southern boreal forest form the Hondo – Slave Lake area of central Alberta. Canad. J. Bot., Montreal, v. 70, p. 614-628, 1992.

LAMB, D. et al. Restoration of degraded tropical forest landscapes. Science, New York, v. 310, p.1628-1632, 2005.

LAMB, D. Reforestation of degraded tropical forest lands in the Asia-Pasific region. Journal of Tropical Forest Science, Kepong, v. 7, n. 1, p. 1-7, 1994.

MCKAY, J. K. et al. ‘‘How Local Is Local?’’ A Review of Practical and Conceptual Issues in the Genetics of Restoration. Restoration Ecology, Washington, v. 13, n. 3, p. 432–440, 2005.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2005. 297 p.

MOLINARO, L. C. Função ecológica de espécies arbóreas (Vismia guianensis, Inga edulis, Inga sp) na sucessão vegetal em áreas degradadas pela exploração petrolífera, na região de Urucu, AM. 2005. 83 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 2005.

MOREIRA, P. R. Manejo do solo e recomposição da vegetação com vistas a recuperação de áreas degradadas pela extração de bauxita, Poços de Caldas, MG. 2004. 155 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2004.

NAPPO, M. E. Dinâmica da regeneração natural de espécies arbóreas e arbustivas no sub-bosque de povoamentos de Mimosa scabrella Bentham, em área minerada, em Poços de Caldas-MG. 2002. 86 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2002.

OGUTU, Z. A. Multivariate analysis of plant communities in Narok district, Kenya: the influence of environmental factors and human disturbance. Vegetatio, v. 126, p. 181-189. 1996.

OLIVEIRA-FILHO, A. T. Comparison of the Woody flora and soils of six areas of montane semiciduous Forest in southern Minas Gerais, Brazil. J. Bot., Edinburgh, v. 51, n. 3, p. 355-389, 1994.

OLIVEIRA-FILHO, A. T.; RATTER, J. A. A study of the origin of central Brazilian forests by the analysis of plant species distribution patterns. J. Bot. Edinburgh, v. 52, n. 2, p.141-194. 1995.

PARROTTA, J.; KNOWLES, O.H. Restoring tropical forests on land mined for bauxite: Examples from the Brazilian Amazon. Ecological Engineering, Columbus , v. 17, p. 219-239, 2001.

PIELOU, E. C. The interpretation of ecological data: a primer on classification and ordination. New York: John Wiley & Sons Publ., 1984. 263 p.

RADAMBRASIL. Folha SA 22 - Belém. Rio Janeiro, Ministério das Minas e Energia, Departamento Nacional da Produção Mineral, Projeto Radambrasil, v. 5, 558 p. 1974.

RODRIGUES, R. R.; GANDOLFI, S. Conceitos, tendências e ações para a recuperação de florestas ciliares. In: RODRIGUES, R. R.; LEITÃO FILHO, H. R. (eds.) Matas ciliares: conservação e recuperação. 2. ed. São Paulo, Edusp, 2001, p. 235-247.

SALOMÃO, R. P. et al. As florestas de Belo Monte na grande curva do rio Xingu, Amazônia Oriental. Belém, Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi, Ciências Naturais, Belém, v. 2, n. 3, p. 57-153, set./dez. 2007.

SALOMÃO, R. P. et al. Dinâmica de reflorestamentos visando a restauração da paisagem florestal em áreas de mineração na Amazônia. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi, sér. Bot., Belém, v. 18, n. 1, p. 157-194. 2002.

SALOMÃO, R. P. et al. Estrutura diamétrica e breve caracterização ecológica-econômica de 108 espécies arbóreas da floresta amazônica brasileira. Interciência, Caracas, v. 20, n. 1, p. 20–9. 1995.

SALOMÃO, R. P., ROSA, N. A.; MORAIS, K. A. C.. Dinâmica da regeneração natural de árvores em áreas mineradas da Amazônia. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi, Ciências Naturais, Belém, v. 2, p. 85-139, 2007.

SANTANA, A. C. de. Índice de desempenho competitivo das empresas de polpa de frutas do Estado do Pará. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 45, p. 749 - 775, 2007.

SANTOS, R. M. et al. Riqueza e similaridade florística de oito remanescentes florestais no norte de Minas Gerais, Brasil. Revista Árvore, Viçosa, v. 31, n. 1, p. 135-144, 2007.

SER. Society for Ecologial Restoration, Princípios da SER International sobre a restauração ecológica, 2004. SER and Tucson: Society for Ecological Restoration International. Disponível em: <(http://www.ser.org)> Acesso em: 4 de outubro de 2010.

SHANLEY, P.; MEDINA G. Frutíferas e Plantas Úteis na Vida Amazônica. Belém, CIFOR:Imazon, 2005. 300 p.

SHANLEY, P.; ROSA, N. A. Conhecimento em erosão: um inventário etnobotânico na fronteira de exploração da Amazônia oriental. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi, Ciências Naturais, Belém, v. 1, n. 1, p. 147-71. 2005.

SILVA, A. F.; SHEPHERD, G. J. Comparações florísticas entre algumas matas em floresta densa da bacia do Rio Juruá. Bol. Mus. Paraense Emilio Goeld, sér.Bot., v. 8, n. 2, p. 203-258, 1986.

STELLA, A. Seleção de especies arboreas tropicais prioritarias para a conservação : o caso da Estação Ecologica de Caetetus. 2002. 73 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) - Universidade de Campinas, Campinas. 2002.

TAGGART, J.B. Ordination as an aid in determining priorities for plant community protection. Biol. Conservation, San Diego, v. 68, p. 135-141. 1994.

TOLEDO, L. O. et al. Análise multivariada de atributos pedológicos e fitossociológicos aplicada na caracterização de ambientes de cerrado no norte de Minas Gerais. Revista Árvore, Viçosa, v. 33, n. 5, p. 957-968, 2009.

VIEIRA, I. C. G. et al. Bases técnicas e referenciais para o Programa de Restauração Florestal do Pará: Um Bilhão de Árvores para a Amazônia. Pará Desenvolvimento, Belém, v. 2, p. 9-103, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050988448